Intoxicação por plantas na população infantil/Plant poisoning in children's population

Elizeu Lima Neto, Ana Jackeline de Oliveira Louzada Lopes, Camila Marcelino de Oliveira, Debora Rocha Moraes, Diana Cavalcanti de Paula Gonçalves, Diélitha Aparecida de Paula, Vitória Pontes Cavalcante, Evilanna Lima Arruda

Abstract


O sistema Nacional de Informações Tóxico-Farmacológicas (SINITOX) registrou, de 1999 a 2013, 23.045 casos e 44 óbitos de intoxicação por plantas no Brasil. Além disso, 60% dos casos de intoxicação com plantas ocorram com crianças menores de nove anos, sendo que 80% deles são acidentais. As plantas tóxicas são todos os vegetais que, introduzidos no organismo, são capazes de causar danos à saúde. Especialistas afirmam que as principais causas das intoxicações por plantas é o desconhecimento das espécies vegetais responsáveis pelo acidente, a utilização de plantas de forma indiscriminada com finalidade terapêutica e a falha nas escolhas das espécies que compõem os ambientes paisagísticos de diversos locais. O objetivo deste trabalho é analisar aspectos relacionados às intoxicações por plantas na população infantil. Foi realizado uma revisão sistemática, sendo analisados artigos de jornal e revi Evilanna Lima Arruda2stas eletrônicas de saúde pública, presentes no GOOGLE ACADÊMICO, LILACS e PUBMED, entre o período de 2014 e 2020. As intoxicações mostraram-se mais prevalentes no grupo de crianças menores de 5 anos, que são mais vulneráveis a estas lesões não intencionais, bem como a maioria das intoxicações ocorrem em ambientes urbanos. No Brasil, 60 % das intoxicações por plantas ocorrem na população menor de nove anos de idade, sendo que são fatores de riscos importantes a pouca escolaridade dos pais e o hábito de utilizar plantas empiricamente. Em relação às espécies de plantas mais envolvidas nos acidentes toxicológicos, destacam-se a Dieffenbachia seguine (comigo-ninguém-pode) 27,1%, Jatropha sp. (pinhão) 22,2% e Ricinus communis L. (mamona) 6,1%. Dessa maneira, orientam proceder da seguinte forma: retirar os resíduos manualmente da boca, não desencadear vômito ou êmese, nunca oferecer líquidos, bem como orienta-se o contato com o CIAT (Centro de Informações e Assistência Toxicológica) ou acionar os órgãos de atendimentos emergenciais. Considerando os aspectos relacionados às intoxicações por plantas na população infantil, infere-se que os acidentes toxicológicos, por colocarem em risco a saúde das crianças, merecem atenção no âmbito educacional e legislativo.


Keywords


“Intoxicação por plantas”, “Envenenamento por plantas”, “Saúde Infantil”.

References


AMORIM, M. L. P.; DE MELLO, M. J. G.; DE SIQUEIRA, M. T. Intoxicações em crianças e adolescentes notificados em um centro de toxicologia no nordeste do Brasil.

Revista Brasileira de Saude Materno Infantil, v. 17, n. 4, p. 765–772, 2017.

BALTAR, S. L. S. M. DE A. et al. Epidemiologia das intoxicações por plantas notificadas pelo Centro de Assistência Toxicológica de Pernambuco (CEATOX-PE) de 1992 a 2009. Revista Fitos, v. 10, n. 4, p. 446–459, 2017.

BOCHNER, R.; LEMOS, E. R. S. DE. PLANTAS TÓXICAS EM ESPAÇOS ESCOLARES INFANTIS: DO RISCO À INFORMAÇÃO. Journal Health NPEPS, v. 2, p. 102–112, 2017.

CRISTIANE, C. et al. Intoxicação Na Primeira Infância : Socorros Domiciliares Realizados Por Adultos Intoxication in Early Childhood : Domestic First Aid Performed By Adults Intoxicación El La Primera Infancia : Socorros Domiciliarios Realizados Por Adultos. Rev baiana enferm (2017);, v. 31, p. 1–7, 2017.

LIZ, A. M. DE et al. Jogo didático: uma ferramenta para a prevenção de intoxicações com plantas. 2018.

SANTOS, E. M. et al. Perfil dos casos de intoxicação por plantas em humanos no estado de Alagoas. Diversitas Journal, v. 4, n. 1, p. 292, 2019.

SILVA, L. R. R. et al. Plantas Tóxicas: Conhecimento de populares para prevenção de acidentes. RevInter Revista Intertox de Toxicologia, v. 7, n. 2, p. 17–36, 2014.




DOI: https://doi.org/10.34119/bjhrv4n2-213

Refbacks

  • There are currently no refbacks.