Posicionamento de hammock em prematuros em unidade de terapia intensiva neonatal: revisão integrativa da literatura / Hammock positioning in prematures in neonatal intensive care unit: integrative literature review

Gabriela Dantas Carvalho, Francisco Lázaro Arruda, Paulo Romão Ribeiro da Silva, Munyk Dourado Dantas Ponte

Abstract


INTRODUÇÃO: O posicionamento de Hammock consiste no uso de uma rede de algodão esterilizada na incubadora da Unidade de Terapia Intensiva Neonatal (UTIN), como método de promover humanização, conforto e benefícios fisiológicos aos recém-nascidos pré-termos (RNPT). Observa-se a escassez de estudos que abordem cientificamente os benefícios promovidos pela técnica. OBJETIVO: Baseado nisso, o estudo visa analisar a eficácia do posicionamento em Hammock como método de assistência ao RNPT internado em UTIN. METODOLOGIA: Trata-se de uma revisão integrativa, realizada entre dezembro de 2019 a março de 2020, por meio da busca de artigos nas bases de dados on-line: Lilacs, PubMed e SciELO, utilizando os descritores: “prematuro”, “Unidade de Terapia Intensiva”, “posicionamento do paciente” e “fisioterapia”, nas línguas inglesa e portuguesa, publicados entre 2003 a 2019. A qualidade metodológica foi analisada utilizando a escala de PEDro, pontuando os estudos numa escala de 0 a 10 pontos. RESULTADOS: Foram selecionados 56 artigos, dos quais apenas 7 contemplaram os critérios de inclusão. Os estudos compararam o posicionamento de Hammock ao ninho, posição prona ou aplicada de forma individualizada, mostrando que a mesma apresenta efeitos benéficos sobre a frequência cardíaca, frequência respiratória, pressão arterial, saturação de oxigênio, dor, estado de sono/vigília, bem como na organização postural e desenvolvimento neuromotor. CONCLUSÃO: A literatura apresenta escassez de estudos quanto a temática e os estudos encontrados possuem baixa qualidade metodológica. Houve consenso quanto os benefícios propostos pela técnica, no entanto, os estudos apresentaram metodologia semelhante, o que limitou a análise da eficácia da técnica.

 


Keywords


Recém-nascido prematuro, Unidade de Terapia Intensiva Neonatal, Fisioterapia.

References


ARAUJO, A.T.C.; EICKMANN, H.S.; COUTINHO, B.S. Fatores associados ao atraso do desenvolvimento motor de crianças prematuras internadas em unidade de neonatologia. Rev. Bras. Saúde Mater. Infant, v.13, n.2, p.119-128, 2013.

BRASIL. Ministério da Saúde. Atenção à saúde do recém-nascido: guia para os profissionais de saúde. Cuidados com o recém-nascido pré-termo. Brasília: Ministério da Saúde, 4, 2011.

CAETANO, A.J.; ANDRADE, M.L.; SOARES, E.; PONTE, M.R. Humanização em UTI: sentidos e significados sob a ótica da equipe de saúde. Esc. Anna Nery R. Enferm, v.11, n.2, p.325–30, 2007.

COSTA, K.S.F.; BELEZA, L.O.; SOUZA, L.M.; RIBEIRO, L.M. Rede de descanso e ninho: comparação entre efeitos fisiológicos e comportamentais em prematuros. Rev. Gaúcha Enfer, v.36, p.1-9, 2016.

COSTA, K.S.F.; FERNANDES, D.S.; PAULA, R.A.P.; DARÉ, M.F.; CASTRAL, T.C.C.; RIBEIRO, L.M. Rede de descanso e ninho em prematuros: ensaio clínico randomizado. Rev Bras Enferm, v.72, n.3, p.103-109, 2019.

GOMES, N.R.R.; MONTEIRO, R.C.S.; As implicações do uso da “redinha” por bebês prematuros: uma revisão de literatura. Rev Ciênc Saúde, v.16, n.2, p.94-97, 2014.

KELLER, A.; ARBEL, N.; MERLOB, P.; DAVIDSON, S. Neurobehavioral and autonomic effects of hammock positioning in infants with very low birth weight. Ped. Phys. Ther. v.15, n.1, p.3-7, 2003.

JESUS, V.R.; OLIVEIRA, P.M.N.; AZEVEDO, V.M.G.O. Effects of hammock positioning in behavioral status, vital signs, and pain in preterms: a case series study v.22, n.4, p.304-309, 2018.

LAMEGO, C.T.D.; DESLANDES, F.S.; MOREIRA, L.E.M. Desafios para a humanização do cuidado em uma unidade de terapia intensiva neonatal cirúrgica. Ciênc. Saúde Coletiva, v.10, n.3, p.669-675, 2005.

LINO, H.L.; COELHO, G.P.; FONSECA, A.L.F.; FILIPINI, R. Os benefícios da rede de balanço em incubadoras utilizadas em recém-nascidos na UTI neonatal: uma estratégia de humanização. Rev. Enfer, v.18, n.1, p.88-100, 2015.

MALAGOLI, C.R.; SANTOS, A.F.F.; OLIVEIRA, A.E.; BOUZADA, F.C.M. Influência da posição prona na oxigenação, frequência respiratória e na força muscular nos recém-nascidos pré-termo em desmame da ventilação mecânica. Rev. Paul. Pediatr. 2012; v.30, n.2, p.251-256, 2012.

MARQUES, C.N. Posicionamento Terapêutico Do Recém-Nascido. PROFISIO, v.1, n.1, p.11-31, 2012.

MAJNEMER, A.; BARR, R.G. Influence of supine positioning on early neuromotor milestone acquisition. Developmental med. child. Neurol, v.47, p.370-376, 2005.

PONTES, G.A.R.; CANTILLINO, A. A influência do nascimento prematuro no vínculo mãe-bebê. J Bras Psiquiatr, v.63, n.4, p.290-297, 2014.

QUEIROZ, C.M.; ARAÚJO, A.D.S.; FERREIRA, L.M.; SILVA, J.A.; BASSI, D.; SOUZA, C.T. Repercussions in newborns using hammocks and prone position. Rev Investig Bioméd, v.9, p.159-67, 2017.

REICHERT, S.P.A.; LINS, P.N.R.; COLLET, N. Humanização do Cuidado da UTI Neonatal. Rev. Eletr. Enfer, v.9, n.1, p.200-213, 2007.

RIBAS, C.G,; ANDREAZZA, M.G.; NEVES, V.C.; VALDERRAMAS, S. Effectiveness of hammock positioning in reducing pain and improving sleep-wakefulness state in preterm infants. Respir Care. v.64, p.384-9, 2019.

SÁ-NETO, A.J.; RODRIGUES, D.R.M.B. A ação intencional da equipe de enfermagem ao cuidar do RN na UTI neonatal. Ciênc. Cuid. Saúde, v.14, n.3, p.1237-1244, 2015.

SANTOS, C.I.; ROSA, G.J.; LONGO, E.; OAIGEN, F.P.; RÉGIS, G.; PARAZZI, P.L.F. Influência do posicionamento terapêutico na ventilação, perfusão, complacência e oxigenação pulmonar. Rev. Bras. Ciênc. Saúde, v.8, n.26, p.43-51, 2010.

SANTOS, P.N.L.; DITTZ, E.S.; ALVES, C.O. O posicionamento de recém-nascido pré-termo na unidade de terapia intensiva neonatal e sua relação com o desenvolvimento motor. Temas desenvolv, v.18, n.101, p.22-31, 2011.

SHIWA, S.; COSTA, L.; MOSER, A.; AGUIAR, I.; OLIVEIRA, L.; PEDro: the physiotherapy evidence database. Fisioter Mov, v.24, p.523- 33, 2011.

SILVA, S.L.; MONT’ALVERNE, B.G.D.; MEDEIROS, C.I.A.; SILVA, B.C.G.A.; CARVALHO, M.A. Características dos pacientes sob assistência fisioterapêutica na UTI de um hospital universitário: estudo epidemiológico transversal. Rev. Fisioter. S. Fun, v.5, n.1, p.50-58, 2015.

SOUZA, E.S.; MAGALHÃES, L.C. Desenvolvimento motor e funcional em crianças nascidas pré-termo e a termo: influência de fatores de risco biológico e ambiental. Rev. Paul. Pediatr, v.30, n.4, p.462-470, 2012.

SOUSA, O.M.K.; FERREIRA, D.S. Assistência humanizada em UTI neonatal: os sentidos e as limitações identificadas pelos profissionais de saúde. Ciênc. Saúde Coletiva, v.15, n.2, p.471-480, 2010.

VAAST, P.; HOUFFLIN-DEBARGE, V.; DERUELLE, P.; SUBTIL, D.; STORNE, L.; PUECH, F. Could the consequences of pre-mature delivery be futher attenuated by means of new prenatal strategies? Eur. J. Obstet. Gynecol. Reprod. Biol, v.117, n.1, p.21-24, 2004.

XAVIER, S.O.; NASCIMENTO, L.A.M.; BALDOLATI, E.E.M.; PAIVA, B.M.; CAMARGO, M.C.F.; Estratégias de posicionamento do recém-nascido prematuro: reflexões para o cuidado de enfermagem neonatal. Rev Enfermagem UERJ. 2013; v.20, n.6, p.814-818, 2013.

YECCO, G.J. Neurobehavioral development and developmental support of premature infants. J Perinat Neonatal Nurs, v.7, n.1, p.56-65, 1993.




DOI: https://doi.org/10.34119/bjhrv4n2-188

Refbacks

  • There are currently no refbacks.