Ações desenvolvidas durante surto de Acinetobacter baumannii em uma unidade de terapia intensiva de um hospital geral: relato de experiência / Actions taken during an outbreak of Acinetobacter baumannii in an intensive care unit of a general hospital: experience report

Alisson Junior dos Santos, Luciana Aparecida Gonzaga Oliveira, Cláudia Cardoso de Oliveira

Abstract


1 INTRODUÇÃO

Acinetobacter baumannii é um patógeno nosocomial bastante conhecido, cujos surtos com cepas multirresistentes são descritos com frequência aumentada nas últimas décadas.  No Brasil, o A. baumannii é responsável por surtos de infecções em Unidades de Terapia Intensiva (UTI) desde 1996.

Na última década, este microrganismo tornou-se realidade crescente nos hospitais, seja como colonizante ou agente infeccioso em pacientes críticos, trazendo grande impacto na morbidade e mortalidade nos serviços de saúde. Nos últimos anos tem-se assistido a um aumento preocupante de infecções por microrganismos multirresistentes, dentre eles, o A. baumannii, o que vem representando com um grave problema de saúde pública à nível mundial. Neste sentido, a UTI é apontada como a área de maior atenção quanto à prevalência de microorganismos multirresistentes.

 

2 OBJETIVO

Avaliar as ações desenvolvidas durante surto de A. baumannii em uma UTI adulto de um hospital geral do interior de Minas Gerais.

 

3 MATERIAIS E MÉTODOS

Trata-se de um estudo descritivo exploratório, quantitativo, documental, em que foram avaliados os resultados de culturas positivas para A. baumannii em pacientes internados na UTI de um hospital geral do interior de Minas Gerais.

No período de agosto a setembro de 2015, foram identificados 14 pacientes colonizados/infectados, compreendendo a confirmação diagnóstica situacional do surto. Após a realização da investigação dos casos, definição de hipóteses e discussão entre a equipe interdisciplinar da unidade, foram implementadas as seguintes ações: incentivo para maior adesão à prática de higienização das mãos e desinfecção concorrente, rigor quanto às precauções de contato, bloqueio de leitos por 72 horas após alta ou óbito de pacientes colonizados/infectados por A. baumannii com realização de desinfecção terminal e concorrente diária.

 

4 RESULTADOS E DISCUSSÃO

Constatou-se uma redução significativa da ocorrência de A. baumannii, sendo que, posteriormente, não foram identificados pacientes colonizados/infectados pelo microorganismo na UTI.

 

5 CONCLUSÃO

As ações de intervenção propostas demonstraram efetividade, contribuindo para a maior segurança e qualidade da assistência prestada.


Keywords


Acinetobacter Baumannii, Unidades De Terapia Intensiva, Hospitais.

References


ARAÚJO, P.L.; et al. Prevalência de infecção relacionada à assistência à saúde em pacientes internados em unidade de terapia intensiva. Enfermeria Global, n.52, p.291-93, 2018.

DRESCH, F.; et al. Contaminação de superfícies localizadas em unidades de terapia intensiva e salas de cirurgia: uma revisão sistemática da literatura. Rev. epidemiol. controle infecç., Santa Cruz do Sul, v.8, n.1, p.85-91, 2018.

KRZYSCIAK, P.; et al. Acinetobacter baumannii isolated from hospital‐acquired infection: biofilm production and drug susceptibility. APMIS, v.125, n.11, p.1017-26, 2017.




DOI: https://doi.org/10.34119/bjhrv4n2-171

Refbacks

  • There are currently no refbacks.