Regulação médica em cardiologia: uma revisão da literatura / Medical regulation in cardiology: a literature review

Eythor Ávila Reis, Ana Clara de Lima Moreira, Bruna Carolina Pereira Cruz, Daniel Henrique Cambraia, Isabella Queiroz, Gabriel Maicow Silva Alcantara, Milena Ferreira Cruvinel, Priscila Ágape Pacheco Pereira Araújo, Vitor Ávila de Oliveira, Alessandro Reis, Ana Paula Pereira da Fonseca

Abstract


Baseada nos três princípios básicos do Sistema Único de Saúde (SUS), a regulação em saúde é vital para promover a equalização do acesso à assistência, pautada em protocolos que garantem que as ações sejam guiadas sempre por um ponto de vista científico que permite aprimorar os serviços de saúde, pois, orientam as prioridades e indicações de encaminhamento. No caso dos protocolos de regulação médica em cardiologia, é possível afirmar que eles existem para orientar os profissionais quanto a comunicação entre os diferentes níveis de atenção, devendo considerar o nível de gravidade dos casos, e o exame mais adequado para cada situação, tendo como opções: o Eletrocardiograma, o Monitoramento Pelo Sistema Holter 24HS, a Monitorização Ambulatorial de Pressão Arterial (MAPA) e o Teste de Esforço/Teste Ergométrico, considerados métodos gráficos, a Ultrassonografia-Doppler Colorido de Vasos, a Ecocardiografia e a Cintilografia, exames de imagem não invasivo, e o Cateterismo Cardíaco. O presente estudo tem por finalidade avaliar por meio de uma revisão bibliográfica de literatura, realizada nas bases de dados LILACS, SCIELO, Pubmed e Web of Science, a regulação de saúde como um todo e os protocolos de exames cardiológicos atuais, bem como sua epidemiologia, normatização e critérios de prioridade. Tais aspectos são relevantes no âmbito de compreender que os protocolos são uma forma de coordenar o fluxo na rede de atenção à saúde, baseados nas diretrizes e evidências científicas da área.


Keywords


Protocolos. Regulação e Fiscalização em Saúde. Cardiologia.

References


AGUIAR, L. O. F. Regulação do acesso em saúde: uma análise das filas e o tempo de espera para consultas médicas especializadas no distrito federal. Brasília: DF, 2018.

BALDERRAMA, Priscila et al. Gestão em saúde: avaliação do acesso ao sistema regional. Rev enfermagem UFPE online., Recife, v.13, n. 4, p :933-42, abr., 2019.

BRASIL. Ministério da Saúde. Portaria nº 2436, de 21 de setembro de 2017. Diário Oficial da União, Brasília: DF, 2017a.

BRASIL. Ministério da Saúde. Portaria nº 4279, de 30 de dezembro de 2010. Diário Oficial da União, Brasília: DF, 2010.

BRASIL. Ministério da Saúde. Protocolos de encaminhamento da atenção básica para a atenção especializada. Ministério da Saúde, Universidade Federal do Rio Grande do Sul. – Brasilia: Ministerio da Saude, 2016a.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Regulação, Avaliação e Controle de Sistemas. Critérios e Parâmetros Para o Planejamento e Programação de Ações e Serviços de Saúde no Âmbito do Sistema Único de Saúde. Brasília, Ministério da Saúde, 2015a.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Implantação das Redes de Atenção à Saúde e outras estratégias da SAS / Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. – Brasília: Ministério da Saúde, 2014a.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria Municipal de Saúde de Divinópolis/MG. Diretoria de Regulação em Saúde/Gerencia de Regulação em Saúde. Divinópolis, MG, 2015b.

BRASIL. Prefeitura de São Paulo. Secretaria Municipal de Saúde de São Paulo (SMS São Paulo). Protocolo de Regulação do Acesso da Rede Hora Certa – Exames de Apoio Diagnóstico. Vol. 01 1º edição. São Paulo, SP, 2014b.

BRASIL. Prefeitura do Rio de Janeiro. Secretaria Municipal de Saúde do Rio de Janeiro (SMS Rio de Janeiro). SISREG – Protocolo para o Regulador. Protocolo clínico de critérios para regulação de vagas ambulatoriais. Rio de Janeiro, RJ, 2016b.

BRASIL. Secretaria Estadual da Saúde do Rio Grande do Sul (SES-RS). Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Telessaúde-RS. Protocolos de Regulação ambulatorial: Cardiologia Adulto. Porto Alegre, UFRGS, 2017b.

BRASIL. Secretaria Municipal de Saúde de Diadema (SMS Diadema). Coordenação da Central Municipal de Regulação. Protocolo de Regulação do Acesso – Especialidades Médicas. Diadema, SP, 2008.

BRASIL. Secretaria Secretaria Municipal de Saúde de Aracaju (SMS Aracaju). Protocolo de Acesso à Regulação de Consultas Especializadas e Procedimentos Ambulatoriais de Média e Alta Complexidade. Aracaju, SE, 2019.

DE SOUSA, M. R.; et al. I diretriz da sociedade brasileira de cardiologia sobre processos e competências para a formação em cardiologia no brasil. Arquivos Brasileiros de Cardiologia. Belo Horizonte: SBC. v. 96, n. 1, p. 1-24, 2011.

FAGANELLO, L. S.; et al. O Perfil do Cardiologista Brasileiro – Uma Amostra de Sócios da Sociedade Brasileira de Crdiologia. Arquivos Brasileiros de Cardiologia. Rio de Janeiro: SBC. v. 113, n. 1, p. 62-68, 2019.

HOEPFNER, Clovis et al. Programa de apoio matricial em cardiologia: qualificação e diálogo com profissionais da atenção primária. Saude soc., São Paulo, v. 23, n. 3, p. 1091-1101, set. 2014.

Informações de Saúde, Epidemiológicas e Morbidade. DATASUS. Brasil: banco de dados, 2020. Disponível em: < http://tabnet.datasus.gov.br/cgi/tabcgi.exe?sia/cnv/qa mg.def>. Acesso em: 29 out. 2020.

Integração e ampliação da telessaúde para o apoio a regulação na qualificação do encaminhamento ambulatorial. Hospitais PROADI-SUS, 2018. Disponível em: < https://hospitais.proadi-sus.org.br/projetos/114/regula-mais-brasil>. Acesso em: 22/02/2020.

LOMBARDI, Donald M. Gestão da assistência à saúde / Donald M. Lombardi, John R. Schermerhorn, Jr. com Brian Kramer; tradução e revisão técnica Teresa Cristina Padilha de Souza. - Rio de Janeiro: LTC, 2009.

OLIVEIRA, M. M.; et al. Estatística Cardiovascular – Brasil 2020. Arquivos Brasileiros de Cardiologia. Rio de Janeiro: SBC. v. 115, n. 3, p. 308-439, 2020.

SCHEFFER M. et al. Demografia Médica no Brasil, 2020. São Paulo, SP: FMUSP, CFM, 2020.

SCHILLING, C.M.; REIS, A.T.; MORAES, J.C. A política regulação do Brasil. Brasília: OPAS, 2006.

Secretaria de Estado de Saúde Do Amazonas (SES-AM). Secretaria Municipal de Saúde de Manaus (SEMSA). Complexo Regulador Do Estado Do Amazonas. Protocolo de Acesso às Consultas e Procedimentos Ambulatoriais de Média e Alta Complexidade. Manaus: SES-AM, 2020.

Secretaria Estadual de Saúde do Espírito Santo (SESA-ES). Subsecretaria de Assuntos de Regulação Organização da Atenção à Saúde; Gerência de Regulação Assistencial; Central de Regulação de Consultas e Exames Especializados. Protocolos de regulação para acesso a consultas e exames especializados. Vitória, SES-ES, 2016.

VILARINS, Geisa Cristina Modesto; SHIMIZU, Helena Eri; GUTIERREZ, Maria Margarita Urdaneta. A regulação em saúde: aspectos conceituais e operacionais. Saúde em Debate, Rio de Janeiro, v. 36, n. 95, p. 640-647, out./dez. 2012.

WERNECK, Marcos Azeredo Furkim. Protocolo de cuidados à saúde e de organização do serviço / Marcos Azeredo Furkim Werneck, Horácio Pereira de Faria e Kátia Ferreira Costa Campos. Belo Horizonte: Nescon/UFMG, Coopmed, 2009.




DOI: https://doi.org/10.34119/bjhrv4n2-160

Refbacks

  • There are currently no refbacks.