Uso de jogos eletrônicos por adolescentes em Patos de Minas: Um retrato dos efeitos em estudantes do Ensino Médio / Use of electronic games by adolescents in Patos de Minas: A portrait of the effects on high school students

Priscila Ágape Pacheco Pereira Araújo, Wilson Salgado Junior

Abstract


Objetivo: Com o objetivo de identificar a prevalência e correlatos do uso abusivo de jogos eletrônicos em adolescentes foi realizada a pesquisa com alunos do ensino médio de escolas públicas selecionadas por sorteio na zona urbana do município de Patos de Minas, cidade de porte médio da região do Alto Paranaíba em Minas Gerais. Metodologia: Este trabalho caracteriza-se por ser analítico, quantitativo e transversal com a amostragem de 300 estudantes. Os jovens receberam um questionário de autopreenchimento, com questões que abordavam dados sociodemográficos, o uso de games e perguntas que compõem a escala PVP (Problem Videogame Playing) para medir o uso problemático de jogos eletrônicos. Resultados: Como resultados identificou-se uma prevalência elevada de uso abusivo de jogos eletrônicos (24%), com predominância no sexo masculino, associação com mal rendimento escolar e com interferência no tempo dedicado a relacionamentos afetivos. Conclusão: Tais resultados demonstram que o uso excessivo desses jogos pode alterar de forma nociva o cotidiano do usuário. Diante disso, a inclusão do uso abusivo dos games como um transtorno de saúde mental na 11ª revisão da Classificação Internacional de Doenças (CID-11) é pertinente.

 

 


Keywords


Adolescente, videojogos, CID-11.

References


ALVES, L.; CARVALHO, A. M. Videogame: é do bem ou do mal? Como orientar pais. Psicologia em estudo, 16, n. 2, p. 251-258, 2011.

AWADALLA, N. et al. Association of video gaming with some risky behaviors of secondary school adolescents in Abha, Southwestern Saudi Arabia. Journal of Egyptian Public Health Association, 92, n. 1, p. 18-28, 2017.

BREDA, V. C. T. et al. Dependência de jogos eletrônicos em crianças e adolescentes. Revista Brasileira de Psicoterapia, 16, n. 1, p. 53-67, 2014.

BRISTOT, P. C. A representação das personagens femininas nos games. 2016.

CARVALHO, H. S. et al. Validação da escala pvp para avaliar o uso problemático de videojogos em adolescentes. Revista Eletrônica Estácio Saúde, 7, n. 1, p. 2-6, 2017.

CARVALHO, H. S. et al. Identificação do uso problemático de jogos eletrônicos em estudantes em uma escola do Rio de Janeiro, Brasil. Journal of Health Connections, 1, n. 1, 2017.

DA GAMA TORRES, H. et al. Educação na periferia de São Paulo: ou como pensar as desigualdades educacionais? A cidade contra a escola, p. 59, 2008.

DE LUCENA, J. M. S. et al. Prevalência de tempo excessivo de tela e fatores associados em adolescentes. Revista Paulista de Pediatria, 33, n. 4, p. 407-414, 2015.

DE SOUZA, B. D. et al. VÍCIO EM JOGOS ELETRÔNICOS (PLAY ADDICTION) EM ADO. Revista de Iniciação Científica, 14, n. 1, 2016.

DIAS, P. J. P. et al. Prevalência e fatores associados aos comportamentos sedentários em adolescentes. Revista de Saúde Pública, 48, p. 266-274, 2014.

GONÇALVES, S. G. O uso de jogos eletrônicos em adolescentes do ensino médio em Pelotas. 2017.

LEMOS, I. et al. Uso problemático de jogos eletrônicos em estudantes da Universidade Federal de Pernambuco. Neurobiologia, 75, n. 1-2, p. 91-100, 2012.

LEMOS, I. L. et al. Neuroimagem na dependência de jogos eletrônicos: uma revisão sistemática. Jornal Brasileiro de Psiquiatria, 63, n. 1, p. 57-71, 2014.

LEMOS, I. L.; SANTANA, S. d. M. Dependência de jogos eletrônicos: a possibilidade de um novo diagnóstico psiquiátrico. Archives of Clinical Psychiatry (São Paulo), 39, n. 1, p. 28-33, 2012.

OLIVEIRA, M. P. M. T. d. et al. Uso de internet e de jogos eletrônicos entre adolescentes em situação de vulnerabilidade social. Trends in Psychology, 25, n. 3, p. 1167-1183, 2017.

ORGANIZATION, W. H. ICD-11 for mortality and morbidity statistics. Retrieved June, 22, p. 2018, 2018.

PEDIATRIA, S. B. d. Saúde de crianças e adolescentes na era Digital. : Sociedade Brasileira de Pediatria São Paulo 2016.

PESSINI, R. A. et al. Análise da plasticidade neuronal com o uso de jogos eletrônicos. Journal of Health Informatics, 10, n. 1, 2018.

RIBEIRO, V. M.; VÓVIO, C. L. Desigualdade escolar e vulnerabilidade social no território. Educar em revista, n. SPE. 2, p. 71-87, 2017.

SILVA, S. S. d. Jogos eletrônicos: contribuições para o processo de aprendizagem. 2016.

SUZUKI, F. T. I. et al. O uso de videogames, jogos de computador e internet por uma amostra de universitários da Universidade de São Paulo. Jornal Brasileiro de Psiquiatria, 58, n. 3, p. 162-168, 2009.

VAN ROOIJ, A. J. et al. Online video game addiction: identification of addicted adolescent gamers. addiction, 106, n. 1, p. 205-212, 2011.




DOI: https://doi.org/10.34119/bjhrv4n2-142

Refbacks

  • There are currently no refbacks.