Avaliação da automedicação entre estudantes de medicina de uma universidade pública do sudeste do Pará / Self-medication evaluation among medical students at a public university in southeastern Pará

Laís Sousa Pismel, Waleska Cheim Rocha Montalvão, Ádria Rodrigues da Silva, Norimar Pinto de Oliveira, Simone Argentino

Abstract


A automedicação consiste no consumo de um produto farmacêutico com objetivo de tratar ou aliviar sintomas ou doenças percebidos, independentemente da prescrição profissional. Este comportamento é bastante difundido e tem aumentado principalmente entre os acadêmicos da área da saúde. Deste modo, o trabalho avaliou a prática de automedicação entre estudantes de medicina, de uma instituição de ensino superior pública do sudeste do Pará. Para isso, realizou-se um estudo transversal, descritivo com abordagem quantitativa, no qual houve a aplicação de um questionário aos acadêmicos de medicina. A análise dos dados foi feita por meio da Estatística Descritiva com a construção de tabelas e gráficos, e por meio da Estatística Analítica através dos Testes G e Qui-Quadrado Aderência para tabelas univariadas e Independência, para tabelas bivariadas. Constatou-se que dos 104 discentes, a maioria  relatou praticar automedicação, destes a maioria significativa buscou aconselhamento com parentes, utilizou conhecimentos prévios, consultou a internet e seguiu instrução da bula. Afirmaram utilizar de 2 a 3 medicamentos, sendo os mais usados analgésicos e antitérmicos, a cafeína apareceu como estimulante mais usado e a cefaleia como principal sintoma, sendo a principal justificativa  busca de alívio imediato. Concluiu-se que a prevalência da automedicação entre os acadêmicos de medicina desta instituição de ensino, é significativa, evidenciando a necessidade de intervenção das estruturas educacionais, para discussão e aprofundamento desta temática pelos discentes, tendo em vista que, como futuros médicos serão formadores de opinião.

 

 


Keywords


Automedicação, medicina, fármacos.

References


ANVISA, Agência Nacional de Vigilância Sanitária, Consulta Pública n? 95 [Internet], de 19 de novembro de 2001. Brasília. Disponível em: http://www4.anvisa.gov.br/base/visadoc/CP/CP%5B2735-1-0%5D.PDF. Acesso em: 03 de janeiro de 2021.

BRASIL, Ministério da Saúde, Resolução - RDC nº 84, de 19 de março de 2002. Disponível em: . Acesso em: 10 de abril de 2020.

BRASIL. Ministério da Saúde. Fundação Instituto Oswaldo Cruz. Levantamento mostra que 25% dos casos de intoxicação atingem crianças com até 5 anos. Disponível em: . Acesso em: 10 de abril de 2020.

CUNHA, L.F.O.; BACHUR, T.P.R.; A influência da educação médica na prática da automedicação entre acadêmicos de medicina. Revinter, v. 12, n. 01, p. 19-26, fev. 2019.

FALLAH, G.; MOUDI, S.; HAMIDIA, A.; BIJANI, A.. Stimulant use in medical students and residents requires more careful attention. Caspian J Intern Med., v. 9, n. 01, p. 87-91, 2018.

FERREIRA, W.A.; SILVA, M.E.S.T.; PAULA, A.C.C.F.F.; Resende, C.A.M.B. Avaliação de Farmácia Caseira no Município de Divinópolis (MG) por Estudantes do Curso de Farmácia da Unifenas. Rev. Infarma, v.17, nº 7/9, 2005.

FILHO, A.I.L.; UCHOA, E.; GUERRA, H. L.; et al. Prevalencia e fatores associados a automedicacao: resultados do Projeto Bambui. Rev. Saúde Pública, São Paulo, v. 36, n. 1, 2002.

FONSECA, F.I.R.M; DEDIVITIS, R.A; SMOKOU, A.; et al. Frequência de automedicação entre acadêmicos de faculdade de medicina. Diagn Tratamento. 2010;15(2):53-7

LIRA, C.A.B.; OLIVEIRA, J.N.S.; ANDRADE, M.S.; CAMPANHARO, C.R.V.; VANCINI, R.L. Conhecimento, percepções e utilização de medicamentos genéricos: um estudo transversal. 3. ed. Goiânia-GO: Einstein (São Paulo), 2014; 12:267-273.

MASSON, W.; FURTADO, P.L.; LAZARINI, C.A.; et al. Automedicação entre acadêmicos do curso de Medicina da Faculdade de Medicina de Marília, São Paulo. Rev. Bras. Pesq. Saúde. Vitória, 14(4): 82-89, out-dez, 2012.

MORAES, L.G.M.; BERNADINA, L.S.D.; ANDRIATO, L.C.; et al. Automedicação em acadêmicos de Medicina. Rev Soc Bras Clin Med. 2018 abr-jun;16(3):167-70

MONTGOMERY A. J.; BRADLEY, C.; ROCHFORT, A. PANAGOPOULOU, E. A Review of Self-Medication in Physicians and Medical Students. Occup Med (Lond), v. 61, p.490-497. 2011.

NACIMENTO, C.S.; ARAÚJO, K.M.M.; GUSMÃO, D.B.M. et al. Avaliação da automedicação entre estudantes de medicina de uma instituição de ensino de Alagoas. Rev. Med. v. 98, n. 6, p. 367-373, 2019.

NETO, J.A.C.; SIRIMARCO, M.T.; CHOI, C.M.K. et al. Automedicação entre estudantes da faculdade de medicina da universidade federal de Juiz de Fora. Rev. HU. v. 32, n. 3, p. 59-64, 2006.

PILGER, M. C.; DOMBROWSKI, G.; REBELO, M.; et al. Automedicação entre acadêmicos de medicina das Universidades Católica e Federal de Pelotas/RS. Rev. da AMRIGS. Porto Alegre, 60 (1): xx-xx, jan.-mar. 2016.

ROCHA, J. S. Meus heróis morreram de overdose. Galênicas, n. 37, p. 02, 2009.

SILVA, R.C.G.; OLIVEIRA, T.M.; CASIMIRO, T.S.; Automedicação em acadêmicos do curso de medicina. Medicina (Ribeirão Preto) 2012;45(1): 5-11

TARLEY, M.G.G.; HENRIQUE, E.; MIGUEL, M.A.; et al. Estudo comparativo do uso da automedicação entre universitários da área da saúde e universitários de outras áreas não relacionados à saúde na universidade de Marília-sp. BJSCR (ISSN online: 2317-4404) .

TOGNOLI, T.A; TAVARES, V.O; RAMOS, A.P.D.; et al. Automedicação entre acadêmicos de medicina de Fernandópolis – São Paulo. J. Health Biol Sci. 2019; 7(4): 382-386

TOMASINI, A.A.; FERRAES, A.M.B.; SANTOS, J.S. Prevalência e fatores da automedicação entre estudantes universitários no Norte do Paraná. 1. ed. Londrina-PR: Biosaúde, 2015; 17:1-12.

UEPA. Apresentação, 2020. Disponível em: . Acesso em: 02 de março de 2020.

ZAMUNER, C. P.; Prefeitura do Município de Tietê Secretaria Municipal de Saúde Vigilância Sanitária e Epidemiológica. Cuidado com os medicamentos. Jun. 2006. Disponível em: Acesso em: 05-10-2007.




DOI: https://doi.org/10.34119/bjhrv4n2-082

Refbacks

  • There are currently no refbacks.