Abordagem terapêutica da obesidade crônica em pacientes pediátricos / Therapeutic Approach to Chronic Obesity in Pediatric Patients

Sersie Lessa Antunes Costa Almeida, Ana Elisa Pugliese Romão, Bianca Henriques Parreiras, Daiane Cristine Silva Lopes, Emmyli Nunes de Freitas, Fernanda Gabriela Soares Elias, Flávia Mattke Santos Ferreira, Gabriel Nascimento Ramos, Júlia Bortolini Roehrig

Abstract


INTRODUÇÃO: A obesidade é uma doença multifatorial, associada a múltiplas comorbidades, e representa um grande e crescente risco para a saúde a nível global. O aumento gradual no número de pacientes pediátricos obesos no mundo tem adquirido destaque no âmbito dos estudos e pesquisas que abordam as possibilidades de assistência terapêutica. RESULTADOS E DISCUSSÃO:  As principais terapias não-farmacológicas da obesidade infantil incluem mudança do estilo de vida, suplementação de Ômega-3, uso de prebióticos e dietas com restrição calórica, que a longo prazo apresentam baixa adesão dos pacientes pediátricos.  O uso de inulina enriquecida com oligofrutose promoveu melhoria na composição corporal além de uma diminuição de Interleucina-6 e triglicerídeos e uma alteração da microbiota. Já o uso isolado de ômega-3 apresentou resposta satisfatória na  hipertrigliceridemia sem alterações de IMC e perfis glicêmico e lipídico. Na abordagem farmacológica, a Metformina é o tratamento padrão para crianças pré-diabéticas e adolescentes obesos. Foi percebido em um ensaio clínico randomizado que esse medicamento diminui o IMC, porém não aumenta a sensibilidade insulínica. Já o Orlistate possui uma eficácia modesta, enquanto o uso da Liraglutida foi considerado seguro na população pediátrica e positivo para a redução de IMC. Em uma metanálise com significância estatística, metformina, sibutramina e orlistat demonstraram mudança no IMC dos pacientes. A abordagem familiar demonstrou grande importância no tratamento da obesidade infantil. O envolvimento assíduo dos pais contribui positivamente para o sucesso da terapêutica. Em contrapartida, o fraco envolvimento familiar foi considerado um entrave para o tratamento da obesidade. E intervenções baseadas na família mostraram-se mais efetivas do que atuações educacionais individualizadas e farmacológicas. CONCLUSÃO: Os resultados encontrados até então demonstram que a literatura científica atual ainda carece de ensaios e estudos clínicos adicionais acerca da aplicabilidade das abordagens terapêuticas na obesidade infantil.

 


Keywords


obesity, therapy, childhood, pediatrics.

References


ARSLAN, Nur; ERDUR, Baris; AYDIN, Adem. Hormones and cytokines in childhood obesity. Indian pediatrics, v. 47, n. 10, p. 829-839, 2010.

BAHIA, Luciana et al. Visão geral das meta-análises sobre prevenção e tratamento da obesidade infantil. Jornal de Pediatria, v. 95, n. 4, p. 385-400, 2019.

BASSOLS, Judit et al. Effects of metformin administration on endocrine-metabolic parameters, visceral adiposity and cardiovascular risk factors in children with obesity and risk markers for metabolic syndrome: A pilot study. PloS one, v. 14, n. 12, p. e0226303, 2019.

CHAO, Ariana M.; WADDEN, Thomas A.; BERKOWITZ, Robert I. The safety of pharmacologic treatment for pediatric obesity. Expert opinion on drug safety, v. 17, n. 4, p. 379-385, 2018.

COMINATO, Louise et al. Efeitos da metformina no tratamento da obesidade e na resistência à insulina em crianças e adolescentes: Uma Revisão Sistemática. UNILUS Ensino e Pesquisa. v. 12, n. 27, 2015.

DANNE, Thomas et al. Liraglutide in an adolescent population with obesity: a randomized, double-blind, placebo-controlled 5-week trial to assess safety, tolerability, and pharmacokinetics of liraglutide in adolescents aged 12-17 years. The Journal of pediatrics, v. 181, p. 146-153. e3, 2017.

DEL-RÍO-NAVARRO, Blanca E. et al. Effect of supplementation with omega-3 fatty acids on hypertriglyceridemia in pediatric patients with obesity. Journal of Pediatric Endocrinology and Metabolism, v. 32, n. 8, p. 811-819, 2019.

KELISHADI, Roya et al. Association of childhood obesity and the immune system: a systematic review of reviews. Childhood Obesity, v. 13, n. 4, p. 332-346, 2017.

KUMAR, Seema; KELLY, Aaron S. Review of childhood obesity: from epidemiology, etiology, and comorbidities to clinical assessment and treatment. In: Mayo Clinic Proceedings. Elsevier, 2017. p. 251-265.

NICOLUCCI, Alissa C. et al. Prebiotics reduce body fat and alter intestinal microbiota in children who are overweight or with obesity. Gastroenterology, v. 153, n. 3, p. 711-722, 2017.

PASTOR-VILLAESCUSA, Belén et al. Metformin for obesity in prepubertal and pubertal children: a randomized controlled trial. Pediatrics, v. 140, n. 1, 2017.

RYDER, Justin R.; FOX, Claudia K.; KELLY, Aaron S. Treatment options for severe obesity in the pediatric population: current limitations and future opportunities. Obesity, v. 26, n. 6, p. 951-960, 2018.

SEO, Young-Gyun et al. The effect of a multidisciplinary lifestyle intervention on obesity status, body composition, physical fitness, and cardiometabolic risk markers in children and adolescents with obesity. Nutrients, v. 11, n. 1, p. 137, 2019.

SOCIEDADE BRASILEIRA DE PEDIATRIA. Obesidade na infância e adolescência – Manual de Orientação. Departamento Científico de Nutrologia. São Paulo, 3ª. Ed, 2019.

SRIVASTAVA, Gitanjali et al. Clinical considerations regarding the use of obesity pharmacotherapy in adolescents with obesity. Obesity, v. 27, n. 2, p. 190-204, 2019.

ZHOU, Bin et al. Worldwide trends in blood pressure from 1975 to 2015: a pooled analysis of 1479 population-based measurement studies with 19· 1 million participants. The Lancet, v. 389, n. 10064, p. 37-55, 2017.

STYNE, D. M. et al. Pediatric obesity—assessment, treatment, and prevention: an Endocrine Society clinical practice guideline. The Journal of Clinical Endocrinology & Metabolism, v. 102, n. 3, p. 709-757, 2017.




DOI: https://doi.org/10.34119/bjhrv4n2-046

Refbacks

  • There are currently no refbacks.