Antidepressivos como tratamento farmacológico da Bulimia Nervosa / Antidepressants as the pharmacological treatment of Bulimia Nervosa

Mateus Camargos Silva Alves Simão, Júlia Fraga Castro e Oliveira, Gabriela Drummond Magalhães, Giovana Lima de Almeida, Helena Diniz Oliveira, Jacqueline Aparecida Parreira de Castro, Jéssica Lunardo Nóbrega, Júlia Silva Fasciani, Leonardo Paiola Silva dos Santos, Adriel Gustavo Lopes

Abstract


INTRODUÇÃO: Bulimia nervosa (BN) é um transtorno alimentar caracterizado pelas recorrências de compulsões alimentares, seguido de métodos compensatórios inadequados para perder peso. O objetivo do presente trabalho foi realizar uma revisão narrativa literária sobre o uso de antidepressivos no tratamento da BN. METODOLOGIA: Trata-se de uma revisão literária narrativa, sendo que a pesquisa bibliográfica da literatura foi realizada nas bases de dados, UpToDate, PubMed e Scielo. RESULTADOS: A fluoxetina 60 mg/dia é o antidepressivo considerado como abordagem padrão para o tratamento da BN, apresentando efeito positivo no tratamento dessa condição na maioria dos estudos analisados. Outros medicamentos antidepressivos, como citalopram, sertralina e a fluvoxamina, também se mostraram eficazes e são considerados tratamento de segunda linha. Efeitos adversos relatados nos estudos incluem insônia, tremor, tonturas, náusea, ansiedade e diminuição da libido. DISCUSSÃO: Fluoxetina é a primeira linha de tratamento para BN, mas existem restrições. Nesses casos, troca-se a medicação pelas de segunda linha. Caso o paciente não obtenha resultados satisfatórios com a primeira e segunda linhas, existe a terceira linha, sendo composta por: antidepressivos tricíclicos, inibidores da monoaminoxidase (IMAO) e moduladores da serotonina. CONCLUSÃO: Conclui-se que a eficácia do uso de antidepressivos para o tratamento de BN é promissora, em especial, a fluoxetina.


Keywords


Bulimia Nervosa, Antidepressivos, Fluoxetina.

References


APPOLINARIO, J. C.; BACALTCHUK, J. Pharmacological treatment of eating disorders | Tratamento farmacológico dos transtornos alimentares. Revista Brasileira de Psiquiatria, v. 24, n. SUPPL. 3, p. 54–59, 2002.

ARAÚJO, Caroline. Educação permanente em saúde na enfermagem: revisão narrativa. Disponível em: . Acesso em: 13 jan. 2021.

BELLO, Nicholas T.; YEOMANS, Bryn L. Safety of pharmacotherapy options for bulimia nervosa and binge eating disorder. Expert Opinion on Drug Safety, p. 1-14, 2018.

BRUM, C. N. et al. Revisão narrativa de literatura: aspectos conceituais e metodológicos na construção do conhecimento da enfermagem. In: LACERDA, MR.; COSTENARO, R.G.S. (Orgs). Metodologias da pesquisa para a enfermagem e saúde: da teoria à prática. Porto Alegre: Moriá, 2015. Disponível em: < https://issuu.com/moriaeditoraltda/docs/miolo_issu_ok >. Acesso em: 13 jan. 2021.

CARVALHO, Maria et al. Itinerários terapêuticos de sujeitos com sintomas anoréxicos e bulímicos. Disponível em:

CROW, S. J. Bulimia nervosa in adults: Pharmacotherapy. Up To Date, n. table 1, p. 1–14, 2016.

CROW, S. J. Pharmacologic Treatment of Eating Disorders. Psychiatric Clinics of North America, v. 42, n. 2, p. 253–262, 2019.

DAVIS, H.; ATTIA, E. Pharmacotherapy of eating disorders. Current Opinion in Psychiatry, v. 30, n. 6, p. 452–457, 2017.

FOOD AND DRUG ADMINISTRATION (Estados Unidos). FDA Drug Safety Communication: Revised recommendations for Celexa (citalopram hydrobromide) related to a potential risk of abnormal heart rhythms with high doses. In: Drug safety and availability. [S. l.], 28 mar. 2012. Disponível em: https://www.fda.gov/drugs/drug-safety-and-availability/fda-drug-safety-communication-revised-recommendations-celexa-citalopram-hydrobromide-related. Acesso em: 30 jan. 2021.

GOLDSTEIN, D. J. et al. Long-term fluoxetine treatment of bulimia nervosa. British Journal of Psychiatry, v. 166, n. MAY, p. 660–666, 1995.

GRANT, J. E. et al. A double-blind, placebo-controlled study of vortioxetine in the treatment of binge-eating disorder. International Journal of Eating Disorders, v. 52, n. 7, p. 786–794, 2019.

GROUP, S. Fluoxetine in the Treatment of Bulimia Nervosa. Archives of General Psychiatry, v. 49, n. 2, p. 139, 1992.

HAY, P. J.; CLAUDINO, A. M. Clinical psychopharmacology of eating disorders: A research update. International Journal of Neuropsychopharmacology, v. 15, n. 2, p. 209–222, 2012.

KOTLER, Lisa A.. An Open Trial of Fluoxetine for Adolescents with Bulimia Nervosa. Journal Of Child And Adolescent Psychopharmacology. Filadélfia, p. 329-355. 2003.

LEXICOMP, C. Fluoxetine : Drug information Brand Names : Canada. p. 1–78, 2021.

LUCIA MS, H. K. AND T. J. D. C. 乳鼠心肌提取 HHS Public Access. Physiology & behavior, v. 176, n. 10, p. 139–148, 2017.

MITCHELL, J. E.; ROERIG, J.; STEFFEN, K. Biological therapies for eating disorders. International Journal of Eating Disorders, v. 46, n. 5, p. 470–477, 2013.

MORELAND, C. S.; BONIN, L. Effect of antidepressants on suicide risk in children and adolescents. UpToDate, p. 1–13, 2015.

MORENO, Ricardo Alberto; MORENO, Doris Hupfeld; SOARES, Márcia Britto de Macedo. Psicofarmacologia de antidepressivos. Revista Brasileira de Psiquiatria, [S.L.], v. 21, n. 1, p. 24-40, maio 1999. FapUNIFESP (SciELO). http://dx.doi.org/10.1590/s1516-44461999000500006. Disponível em: https://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1516-44461999000500006. Acesso em: 26 jan. 2021.

SCALCO, Mônica Z. Tratamento de idosos com depressão utilizando tricíclicos, IMAO, ISRS e outros antidepressivos. Revista Brasileira de Psiquiatria, [S.L.], v. 24, n. 1, p. 55-63, abr. 2002. FapUNIFESP (SciELO). http://dx.doi.org/10.1590/s1516-44462002000500011.

SILVA, Iara Vianna da. Efeitos adversos do uso de antidepressivos em idosos. 2011. 53 f. TCC (Graduação) - Curso de Especialização em Atenção Básica em Saúde da Família, Universidade Federal de Minas Gerais, Teófilo Otoni, 2011. Disponível em: https://repositorio.ufmg.br/bitstream/1843/BUBD9DEG5N/1/monografia_iara_vianna_da_silva.pdf. Acesso em: 26 jan. 2021..




DOI: https://doi.org/10.34119/bjhrv4n2-037

Refbacks

  • There are currently no refbacks.