Prevalência de obesidade nas regiões Brasileiras / Prevalence of obesity in Brazilian regions

Alice da Silva Malveira, Rayane Dias dos Santos, Josué Leandro da Silva Mesquita, Emanuela Lima Rodrigues, Camyla Rocha de Carvalho Guedine

Abstract


A obesidade é uma doença crônica multifatorial caracterizada pelo armazenamento excessivo de gordura corporal, gerando riscos à saúde. No Brasil e no mundo, a prevalência de obesidade aumentou vertiginosamente. Esse estudo teve como objetivo descrever as maiores prevalências de obesidade nas regiões brasileiras, baseado nos dados de prevalência do Vigitel, levando em consideração os anos de 2006 a 2019. As maiores prevalências de obesidade nas cinco regiões brasileiras foram representadas por duas capitais com os maiores registros em cada região. A região Norte contemplou as duas capitais com as maiores prevalências de obesidade no país: Manaus e Rio Branco, com 27,2% da população em 2015 e 23,8% em 2016, respectivamente. No Centro-Oeste, Campo Grande com 23,4%em 2017 e Cuiabá 23,0% em 2018. No Nordeste, temos Natal com 22,5% de obesos em 2019 e Recife com 21,9% em 2018. No Sudeste, Rio de Janeiro com 22,4% da população em 2018 e São Paulo com 21,2% em 2015. E o Sul, Porto Alegre 20,9% de obesos em 2015 e Curitiba 19,4% em 2019. Sendo assim, a região Norte lidera a prevalência de obesidade, enquanto a região Sul possui os menores percentuais. Estudos mais aprofundados são necessários para compreender os fatores desencadeantes desses resultados.


Keywords


Obesidade. Vigitel. Inquéritos Epidemiológicos.

References


Associação Brasileira para Estudo da Obesidade e da Síndrome Metabólica. ABESO. Mapa da obesidade. São Paulo: ABESO, 2019.

AQUINO, N. B. Síndrome metabólica em idosos de uma comunidade do Recife. 2017. Dissertação (Mestrado em Gerontologia) - Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2017.

BARBOSA, L. S. et al. Associação entre marcadores antropométricos de adiposidade corporal e hipertensão arterial na população adulta de Cuiabá, Mato Grosso. Revista Brasileira de Epidemiologia, v. 12, n. 02, p. 237-247, 2009.

BASSLER, T. C. et al. Diagnóstico e monitoramento da situação nutricional da população idosa em município da região metropolitana de Curitiba (PR). Revista de Nutrição, v. 21, n.03, p.311-321, 2008.

BLEIL, R. A. T. Disponibilidade de energia e nutrientes nos domicílios de famílias das regiões metropolitanas de Curitiba e Porto Alegre. 2004. Dissertação (Mestrado em ciência) - Universidade de São Paulo, São Paulo, 2004.

BRASIL. Vigitel Brasil 2016. Vigilância de fatores de risco e proteção para doenças crônicas por inquérito telefônico. Brasília, Ministério da Saúde, 2017. Disponível em: . Acesso em: 15 jul. 2020.

BRASIL. Vigitel Brasil 2017: Vigilância de fatores e risco e proteção para doenças crônicas por inquérito telefônico. Brasília: Ministério da Saúde, 2018. Disponível em: Acesso em 20 de jun. de 2020.

CRISTOFOLETTI, M. F.et al. Prevalência de sobrepeso, obesidade e obesidade abdominal em operadores de duas centrais de atendimento telefônico de São Paulo. Saúde, Ética & Justiça, v. 03, n. 01, p. 37-46, 2006.

CRISTÓVÃO, M. F.; SATO, A. P. S.; FUJIMORI, E. Excesso de peso e obesidade abdominal em mulheres atendidas em Unidade da Estratégia Saúde da Família. Revista da Escola de Enfermagem da USP, v. 45, n. SPE2, p. 1667-1672, 2011.

CRUZ, B. D. de S. Variação sazonal dos componentes da síndrome metabólica em indivíduos adultos e idosos. 2017. Trabalho de Conclusão de Curso (Bacharelado em Nutrição). Universidade Federal do Rio Grande do Norte. Natal, Rio Grande do Norte, 2017.

DO NASCIMENTO, A. L.et al. Análise do estado nutricional e consumo alimentar de colaboradores de uma empresa privada de Cuiabá-MT. Mostra de Trabalhos do Curso de Nutrição do UNIVAG, v. 02, Várzea Grande, 2018.

FERREIRA, V. A.; MAGALHÃES, R. Obesidade e pobreza: o aparente paradoxo. Um estudo com mulheres da Favela da Rocinha, Rio de Janeiro, Brasil. Cadernos de Saúde Pública, v. 21, p. 1792-1800, 2005.

FERREIRA, R. G. et al. Frequência dos fatores de risco de obesidade em usuários do Laboratório Distrital Leste, Manaus, Amazonas. Brazilian Journal of Development, v. 06, n. 06, p. 37374-37385, 2020.

FOSCHEIRA, K. B. et al. Consumo de alimentos ultraprocessados por colaboradores da secretaria de mobilidade urbana - SEMOB de Cuiabá-MT. Mostra de Trabalhos do Curso de Nutrição do UNIVAG, v. 05. Várzea Grande, 2019.

FRANÇA, A. P. et al. Fatores associados à obesidade global e à obesidade abdominal em mulheres na pós-menopausa. Revista Brasileira de Saúde Materno Infantil, v. 08, n. 01, p. 65-73, 2008.

FRANCO, G. P. P. et al. Síndrome metabólica em hipertensos de Cuiabá-MT: prevalência e fatores associados. Arquivos Brasileiros de Cardiologia, v. 92, n. 06, p. 472-478, 2009.

FREIRE, J. L. Avaliação do Estado Nutricional do Atleta Adulto Amazonense. 2006. XVI Jornada de Iniciação Científica PIBIC CNPq/FAPEAM/INPA, Manaus, 2006.

DE ARAÚJO, L. G. B. et al. Perfil nutricional de adultos e idosos atendidos na rede municipal de saúde de Manaus e sua associação a doenças crônico-degenerativas. Revista Brasileira de Ciências do Envelhecimento Humano, v. 08, n. 01, p.59-69, 2011.

LIMA, F. E. L. et al. Estado nutricional de população adulta beneficiária do Programa Bolsa Família no município de Curitiba, PR. Revista Brasileira de Epidemiologia, v. 14, n. 2, p. 198-206, 2011.

LINO, M. Z. R.; MUNIZ, P. T.; SIQUEIRA, K. S. Prevalência e fatores associados ao excesso de peso em adultos: inquérito populacional em Rio Branco, Acre, Brasil, 2007-2008. Cadernos de Saúde Pública, v. 27, n. 04, p. 797-810, 2011.

LOUREIRO, N. S. de L. et al. Relação de indicadores antropométricos com fatores de risco para doença cardiovascular em adultos e idosos de Rio Branco, Acre. Revista de Saúde Pública, v. 54, p. 24, 2020.

MAYER, D. et al. Dieta hiperlipídica e excesso de gordura corporal em colaboradores de um hospital universitário em Curitiba - PR. RBONE - Revista Brasileira De Obesidade, Nutrição E Emagrecimento, v. 12, n. 74, p. 722-729, 2018.

MELO, S. P. da S. de C. et al. Sobrepeso, obesidade e fatores associados aos adultos em uma área urbana carente do Nordeste Brasileiro. Revista Brasileira de Epidemiologia, v. 23, p. e200036, 2020.

MOREIRA, N. F. et al. Self-reported weight and height are valid measures to determine weight status: results from the Brazilian National Health Survey (PNS 2013). Cadernos de Saúde Pública, v. 34, n. 05, 2018.

MUNIZ, F. W. M. G. Associação entre obesidade e fatores sociodemográficos, médico-odontológicos e comportamentais em adultos: um estudo transversal. 2015. Dissertação (Mestrado em Ciência) - Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Rio Grande do Sul, 2015.

OLINTO, M. T. A. et al. Epidemiologia da obesidade abdominal em mulheres adultas residentes no sul do Brasil. Archivos Latino americanos de Nutrición, v. 57, n. 04, p. 349-356, 2007.

PAES, M. O. et al. Impacto do sedentarismo na incidência de doenças crônicas e incapacidades e na ocorrência de óbitos entre os idosos do Município de São Paulo. Saúde Coletiva, v. 05, n. 24, p. 183-188, 2008.

SILVA, D. C. et al. Análise da relação entre a distribuição espacial das morbidades por obesidade e hipertensão arterial para o estado de São Paulo, Brasil, de 2000 a 2010. Ciência & Saúde Coletiva, v. 19, p. 1709-1719, 2014.

SIMON, M. I. S. dos S. et al. Avaliação nutricional dos profissionais do serviço de nutrição e dietética de um hospital terciário de Porto Alegre. Cadernos Saúde Coletiva, v. 22, n. 01, p. 69-74, 2014.

SOUZA, M. D. G. et al. Prevalência de obesidade e síndrome metabólica em frequentadores de um parque. ABCD - Arquivos Brasileiro de Cirurgia Digestiva, São Paulo, v.28, n. 01, p. 31-35, 2015.

SOUZA, B. T.; RABACOW, F Fatores associados ao excesso de peso na população adulta de Campo Grande: Monitoramento por meio do inquérito telefônico Vigitel 2014. 8º Seminário de Iniciação Científica, 16 e 17 ago. 2017. Universidade Anhanguera - Uniderp. Área: Ciências da Saúde – Subárea: Saúde coletiva. Campo Grande, 2017.

TELES, I. P.; OLIVEIRA, C. L. A. Relação entre o perfil nutricional e doenças crônicas não transmissíveis de uma comunidade da zona oeste de Natal/RN. Revista UNI-RN, v. 12, n. 1/2, p. 116, 2013.

US DEPARTMENT OF HEALTH & HUMAN SERVICES; PUBLIC HEALTH SERVICE; OFFICE OF SURGEON GENERAL. The Surgeon General’s Call To Action To Prevent and Decrease Overweight and Obesity 2001.: (301232004-001) American Psychological Association, 2001.

ULBRICH, A. Z. et al. Associação do estado nutricional com a hipertensão arterial de adultos. Motriz: Revista de Educação Física, v. 17, n. 03, p. 424-430, 2011.

VAGETTI, G. C. et al. Associação da obesidade com a percepção de saúde negativa em idosas: um estudo em bairros de baixa renda de Curitiba, Sul do Brasil. Revista de Salud Pública, v. 14, n. 06, p. 923-936, 2012.




DOI: https://doi.org/10.34119/bjhrv4n2-016

Refbacks

  • There are currently no refbacks.