Territorialização como instrumento diagnóstico em saúde em uma região vulnerável em um município maranhense / Territorialization as a health diagnostic instrument in a vulnerable region in a maranhense municipality

Lourivan Cardoso Muniz, João Alberto Costa Neto, Luana Thaise Assunção Freiras, Vanessa Assunção dos Santos Araújo, Francelly Carvalho dos Santos, Daniele Alves da Silva, Laércio Bruno Ferreira Martins, Michelle Vicente Torres

Abstract


O objetivo desse estudo é registrar e apresentar os dados obtidos no processo de territorialização de uma área vulnerável no município de Timon-MA, denominada “Linha do Trem”, identificando suas necessidades e demandas nos campos sociais e da saúde. Estudo de natureza observacional, descritivo, transversal e qualiquantitativo. A coleta de dados foi realizada entre abril e maio de 2017. Foram realizadas visitas pelos pesquisadores no território vizinho à “Linha do Trem” e em seguida a área supracitada foi percorrida e as informações foram obtidas por meio de entrevistas onde foram coletados dados acerca de caracterizações sociodemográficas, sociosanitárias e de saúde, além da realização de entrevistas com os moradores adscritos na área pesquisada e registros fotográficos. Com a realização da territorialização foi possível observar que a população que reside na Linha do Trem apresenta um baixo nível de condições educacionais, sociosanitárias e acesso limitado aos serviços de saúde.


Keywords


Territorialização, Sistema Único de Saúde, Estratégia Saúde da Família.

References


-Batistella C. Abordagens contemporâneas do conceito de saúde. In: Fonseca, Angélica F; Corbo AA (Orgs.). O território e o processo saúde-doença. Rio de Janeiro: Editora Fiocruz, 2007. Antunes PB. Direito Ambiental. Rev. ampl. atual. 2005; 7. ed. Rio de Janeiro: Lumen Juris.

-Gomes KO et.al. A práxis do agente comunitário de saúde no contexto do programa saúde da família: reflexões estratégicas. Saude soc. 2009;18(1).

-Soratto J; Pires DEP; Dornelles S; Lorenzetti J. Estratégia saúde da família: uma inovação tecnológica em saúde. Texto Contexto Enferm. 2015; 24 (2): 589-92.

-Ministério da Saúde, Secretaria de Atenção à Saúde, Departamento de Atenção Básica. Programa Saúde da Família: ampliando a cobertura para consolidar a mudança do modelo de Atenção Básica. Rev. Bras. Saude Mater. Infantil. 2003.

-Monken, M.; Barcellos, C. Vigilância em saúde e território utilizado: possibilidades teóricas e metodológicas. Cad. Saúde Pública.2005; 21 (3): 898-906.

-Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de políticas de saúde, projeto promoção da saúde. As cartas da promoção da saúde. Brasília, DF: Ministério da Saúde; 2008.

-Borja IMFS; Martins AMO. Evasão escolar: desigualdade e exclusão social. Revista Liberato. 2014;15 (23): 01-104.

-Gomes RS; Silva FH; Pinheiro R; Barros MEB. Integralidade como princípio ético e formativo: um ensaio sobre os valores éticos para estudos sobre o trabalho em equipe em saúde. In: Pinheiro, R.; Barros, M. E. B; matos, R. A. (Org.). Trabalho em equipe sob o eixo da integralidade: valores, saberes e práticas. Rio de Janeiro: ABRASCO, 2007: 19-36.

-Messias E. Income inequality, illiteracy rate, and life expectancy in Brazil. American Journal of Public Health.2003; 93(8):1294-96.

-Rolnik R. Direito à Moradia versus Especulação Imobiliária. Revista Caros Amigos.2011:12-17.

-Fortunato RA. A sustentabilidade na habitação de interesse social Estudos de caso em reassentamentos do Programa Minha Casa, Minha Vida no Núcleo Urbano Central da Região Metropolitana de Curitiba - municípios de Curitiba e Fazenda Rio Grande. 2014. 402 f. Tese (Programa de Doutorado em Meio Ambiente e Desenvolvimento). Universidade Federal do Paraná, Curitiba, 2014.

-Grippi S. Lixo Reciclagem e Sua História: Guia Para as Prefeituras Brasileiras. 2.ed. Rio de Janeiro: Interciência, 2006, 165 p.

-Leal FCT. Sistemas de saneamento ambiental. Faculdade de Engenharia da UFJF. Departamento de Hidráulica e Saneamento. Curso de Especialização em análise Ambiental. 4 ed. 2008.

-Costa EA; Rozenfeld S. Constituição da vigilância sanitária no Brasil. In: Rozenfeld S. (Org.). Fundamentos da vigilância sanitária. Rio de Janeiro: Editora Fiocruz, 2000, p.15-40.

-Guimarães AJA; Carvalho DF; Silva LDB. Saneamento e meio ambiente. 2007.

-Mundú ENT Apud in: Torres, Heloisa Carvalho; Roque, Carolina; Nunes, Cristiane. Visita domiciliar: estratégia educativa para o autocuidado de clientes diabéticos na atenção básica. 2008.

-Barcellos C; Monken M. O território na promoção e vigilância em saúde. In: Fonseca, Angélica Ferreira (Org.). O território e o processo saúde-doença. Rio de Janeiro: EPSJV/Fiocruz, 2007. 177-224

-Lamônica DAC et al. Acessibilidade em ambiente universitário: identificação de barreiras arquitetônicas no campus da USP de Bauru. Rev. Bras. Educ. Espec. 2008 ;14(2):177-88.

-Oliveira CM; Casanova AO. Vigilância à saúde no espaço de práticas da atenção básica. Cienc. Saude Colet. 2009 ;14(3):929-36.




DOI: https://doi.org/10.34119/bjhrv4n1-269

Refbacks

  • There are currently no refbacks.