Efeitos da corticoterapia em longo prazo nas estruturas ósseas e articulações: revisão integrativa / Effects of long term corticotherapy on bone structures and joints: integrative review

José Talles Simão Da Silva Sousa, Waerson José de Sousa

Abstract


Os corticoides são utilizados como estratégia terapêutica para o tratamento de diversas doenças, no entanto, uma terapia prolongada com uso desse tipo de medicamento resulta em efeitos colaterais e adversos secundários. Assim, é objetivo deste estudo compilar e sistematizar informações relativas aos efeitos da corticoterapia em longo prazo nas estruturas ósseas e articulações. Em termos metodológicos este trabalho está centrado em pesquisa uma revisão integrativa, desenvolvida por meio de levantamento de dados nas plataformas Medical Literature Analysis And Retrieval System Online (MEDLINE), US National Library of Medicine (PUBMED), Literatura Latino-americana e do Caribe em Ciências da Saúde (LILACS) e Scientific Electronic Library Online (SCIELO) utilizando os Descritores em Ciências da Saúde (DeCS): Efeitos adversos; Corticosteróides; Articulações; Ossos e seus correspondentes inglês. Selecionou-se   artigos originais oriundos de língua inglesa e portuguesa e completos publicados no período de 2015 a 2020. Reuniu-se 17 estudos, dos quais, a maioria, foram publicados no ano de 2019; publicados em periódicos de indexação diferentes, e estudos transversais e revisão bibliográfica do tipo sistemática. Por fim, percebe-se que o uso prolongado de corticoides resulta em efeitos indesejados aos ossos e articulações. Constatou-se que estes efeitos podem ser perda de massa magra, fraqueza e atrofia muscular, osteonecrose, Artrite Idiopática Juvenil, formação de fístulas entre o intestino e o componente protético da articulação do quadril, com também provoca a diminuição da atividade osteoblástica favorecendo o risco de osteoporose e de fratura. Ressalta-se que a corticoterapia é segura e eficaz, desde que seja a curso prazo.


Keywords


Efeitos adversos, Corticosteróides, Articulações, Ossos.

References


CAMPOS, H.S. Corticoterapia. Arquivos de Asma, Alergia e Imunologia, v.2, n.3, p. 324-34, 2018.

COSTA, M.G; RODRIGUES, J.P.V; et al. Pacientes em uso crônico de prednisona: perfil Clínico e laboratorial. Revista Eletrônica de Farmácia, v.15, p.1-6, 2015.

COHEN – ROSENBLUM, A; CUI, Q. Osteonecrosis of the Femoral Head. Journal Orthopedic Clinics of North America, v.50, n.2, p.139-149, 2019.

FRANCO, G.O; SESTINI, G; DUMBRA, G.A.C; et al. Ações de prevenção primária e secundária relacionadas aos fatores de risco para Osteoporose. Revista Brasileira em Promoção da Saúde, v.33, p.1-8, 2020.

GERINO, J.A; OLIVEIRA NETO, E.F; FERREIRA, L.M; et al. Uso de corticoides por cirurgiões bucomaxilofaciais do Brasil. Journal of Health & Biological Sciences, v.8, n.1, p. 1-5, 2020.

HOFMANN, C; GIRSCHICK, H; LAPA, C; et al. Zeitschrift für Rheumatologie, v.78, n.7, p. 636-644, 2019.

KFOURI, C.F.A; ROMANIA, M.C.F.N; ROMANIA, M.F.F.N; et al. Fístula sigmoido-acetabular: uma rara complicação da artroplastia total de quadril. Relatos CBC – Revista do Colégio Brasileiro de Cirurgiões, v.5, n.3, p. 22-35, 2019.

LEYSER, A.M; DELL ´ANTÔNIO, S.T; SÁ, G.F; et al. Massa óssea e composição corporal em adultos jovens com Artrite Idiopática Juvenil. Arquivos Catarinenses de Medicina, v.47, n.1, p. 21-33, 2018.

LEAL, Sarah da Rocha et al. Caracterização de mulheres sobre os fatores de risco para osteoporose. SALUSVITA, Bauru, v. 39, n. 1, p.53-65, 2020.

LIU, L-H; ZHANG, O-Y; SUN, W; et al. Corticosteroid-induced Osteonecrosis of the Femoral Head: Detection, Diagnosis, and Treatment in Earlier Stages. Chinese Medical Journal, v130, n.21, p.2601-2607, 2017.

LOOSE, J.T.T; DINIZ, S.N; BATISTA, E.C; et al. qualidade de vida em mulheres com episódios reacionais hansênicos em uso de prednisona no município de Rolim de Moura-RO. Revista de Ciências das Saúde, v.2, n.2, p. 01-10, 2017.

OLIVEIRA, S; MENDES, B; BRANCO, J.P; et al. Infiltrações com Corticoides no Tratamento do Ombro Doloroso. Revista da Sociedade Portuguesa de Medicina Física e de Reabilitação, v.27, n.1, p. 14-21, 2015.

RODRIGUES, I.G; BARROS, M.B.A. Osteoporose autorreferida em população idosa: pesquisa de base populacional no município de Campinas, São Paulo. Revista Brasileira de Epidemiologia, v.19, n.2, 2016.

RESNICK, C.M; PEDERSEN, T.K; ABRAMOWICZ, S; et al. Time to Reconsider Management of the Temporomandibular Joint in Juvenile Idiopathic Arthritis. Journal of Oral and Maxillofacial Surgery, v.76, n.6, p. 1145-1146, 2018.

SILVA, R.A; SILVA, A.C.M; CARDOSO, C.E. Necrose avascular bilateral da cabeça femoral em paciente com Lúpus eritematoso sistêmico associado à corticoterapia prolongada: Relato de Caso. Revista de Saúde, v.10, n.1, p.37-43, 2019.

SPEZZIA, S. A Osteoporose na Infância e na Adolescência. Ensaios e Ciências: Ciências Biológicas, Agrárias e da Saúde, v.21, n.3, p. 142-147, 2017.

TRINDADE, I. Infiltração Peri-Articular de Corticosteróides na Abordagem da Patologia Músculo- Esquelética em Medicina Geral e Familiar: Uma Revisão Sistemática. Revista Científica da Ordem dos Médicos, V.28, P. 652-662, 2015.

PIOSEVAN, D.M; AGOSTINHO, M.R; BASSO, J; et al. Artrite Reumatóide. In: TeleCondutas, Faculdade de Medicina – Programa de Pós-Graduação em Epidemiologia Telessaúde RS/UFRGS, 2017.




DOI: https://doi.org/10.34119/bjhrv4n1-261

Refbacks

  • There are currently no refbacks.