Panorama epidemiológico dos acidentes com escorpião no município de estância - se entre 2015 e 2019 / Epidemiological overview of accidents with scorpion in the municipality of estância - se 2015 to 2019

Adão Renato de Jesus Freire, Elisangela Maria De Andrade Leila, Alexandra Santos Jesus, Deyse Mirelle Souza Santos

Abstract


A intoxicação exógena pela toxina do escorpião representa um problema de saúde pública mundial, sendo considerado um problema emergente, que muitas das vezes é negligenciado pelos gestores de saúde. O presente estudo teve por objetivo conhecer o perfil epidemiológico das vítimas de acidentes escorpiônicos no Município de Estância - SE entre 2015 e 2019 e a quantidade de ocorrências nesse mesmo período. Durante o período do estudo foram notificados 476 acidentes com animais peçonhentos, do tipo escorpião, o maior número de registros foi observado no ano de 2019 com 152 casos (31,93%), dentre as variáveis categorias analisadas, a faixa etária dos indivíduos mais acometidos por acidentes com escorpião foi entre 20 a 39 anos com 190 (39,92%), em relação a classificação final e gravidade do acidente, a maioria dos indivíduos foram classificados como leve, 421 casos (88,45%), no que tange a evolução clínica foi observado um elevado índice de cura, 457 casos (96,01%), quanto ao gênero foi identificado uma distribuição semelhante. Os acidentes com escorpião possuem maior incidência na zona rural, entretanto nos últimos tempos os índices de acidentes na zona urbana estão aumentando devido às ações humanas que alteram o ambiente natural. Através do estudo é possível para o poder público analisar os dados e por meio deles delinear e aperfeiçoar ações e estratégias com o intuito de possibilitar o diagnóstico, tratamento e prevenção de acidentes. Essa prevenção pode ser realizada por meio de campanhas de conscientização sobre os riscos dos acidentes escorpiônicos

Keywords


Acidentes, Escorpiões, Sistemas de Informação em Saúde, Epidemiologia.

References


BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Departamento de Vigilância Epidemiológica. Sistema de Informação de Agravos de Notificação – Sinan: normas e rotinas. – 2ª ed. – Brasília: Editora do Ministério da Saúde, 2007.

BRASIL. Resolução nº 510, de 7 de abril de 2016, do Conselho Nacional de Saúde. Dispõe sobre as normas aplicáveis a pesquisas em Ciências Humanas e Sociais. Diário Oficial da União, Abr. 7. Brasília (DF); 2016.

CARMO, E. A; et al. Fatores associados à gravidade do envenenamento por escorpiões.

Texto & Contexto Enfermagem, v. 28, e. 20170561, 2019.

CARVALHO, D. R. de; ASSIS, G. A F. Acidente com escorpiões no município de Barreiras, Bahia, Brasil: levantamento epidemiológico de 2012 a 2014. Revista Baiana de Saúde Pública, v. 40, n. 3, p. 729-740, jul./set., 2016.

DATASUS. Departamento de Informática do SUS. Sistema de Informação de Agravos de Notificação. Disponível em: . Acesso em 05 de outubro de 2020.

DIAS, C. BARBOSA, A. M. Aspectos epidemiológicos dos acidentes com escorpiões nos municípios de Taubaté e adjacentes. Revista Ciên. Saúde, v. 1, n. 3, p. 8-15, 2016.

DIAS, R. F. F.; et al. Perfil dos acidentes escorpiônicos, no período de 2007 a 2019 no município de Jaboatão dos Guararapes, Pernambuco, Brasil. ARS Veterinaria, v. 36, n. 1, p.

-39, 2020.

FEITOSA, A. M.; et al. Incidência de acidentes com escorpião no município de Ilha Solteira – SP. ARS Veterinaria, v. 36, n. 2, p. 88-97, 2020.

FERREIRA, L. C; ROCHA, Y. C. S. Incidência de acidentes por escorpiões em Januária, Minas Gerais, Brasil. Journal Health NPEPS, v. 4, n. 1, p. 228-241, jan./jun., 2019.

IBGE. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Panorama do município de Estância. Disponível em: https://cidades.ibge.gov.br/brasil/se/estancia/panorama. Acesso em 14 de outubro de 2020.

SHIBAKURA, A. A. K.; et al. Notificações por picada de escorpião em um município do Noroeste Paulista. Unifunec Ci. Saúde e Biol., v. 3, n. 6, p. 1-11, jan./dez., 2020.

SILVA, P. L. N; et al. Perfil epidemiológico dos acidentes por animais peçonhentos notificados no Estado de Minas Gerais durante o período de 2010-2015. Revista SUSTINERE, v. 5, n. 2, p. 199-217, jul./dez., 2017.

SOUSA, V. A.; et al. Escorpiões de importância médica no Estado da Paraíba, Brasil.

Evidência, v. 20, n. 1, p. 57-68, jan./jun., 2020.

TEIXEIRA, S. T.; et al. Distribuição geográfica dos acidentes escorpiônicos ocorridos nos

Municípios de Roraima entre 2011 a 2017. Brazilian Journal of health Review, v. 3, n. 4, p.

-10307, jul./aug., 2020




DOI: https://doi.org/10.34119/jhrv4n1-245

Refbacks

  • There are currently no refbacks.