Morte encefálica: conhecimentos e obstáculos de enfermeiros acerca do cuidar / Brain death: nurses' knowledge and obstacles regarding care

Natália Borba Cavalcanti, Ana Carla Macedo da Silva, José William Araújo do Nascimento

Abstract


Introdução: As precauções na manutenção do potencial doador diante de um quadro de morte encefálica precisam ser de conhecimento de todos os profissionais de saúde, principalmente da equipe de enfermagem, já que os enfermeiros assumem a responsabilidade de cuidados diretamente com esses pacientes. Objetivo: Descrever o conhecimento e os principais obstáculos de enfermeiros acerca dos cuidados aos pacientes declarados em morte encefálica. Métodos: Foi realizado um estudo de revisão integrativa da literatura nas bases de dados eletrônicas BDENF, LILACS, IBECS e MEDLINE, por meio dos seguintes descritores: “enfermagem”, “morte encefálica”, “transplantes” e “doadores de tecidos”. Foram incluídos artigos completos, disponíveis em português, inglês ou espanhol, publicados entre janeiro de 2015 a dezembro de 2020 e quem descrevessem com clareza o conhecimento e obstáculos dos enfermeiros a pacientes declarados em morte encefálica. Resultados: Dez artigos foram incluídos na análise final desta revisão, sendo três publicados no ano de 2016. Em relação à abordagem dos artigos encontrados, verificou-se uma maior frequência de estudos qualitativos (n: 06) e transversais quantitativos (n: 04). O nível de conhecimento dos enfermeiros encontrados nos estudos analisados apresentou valores baixos a moderados, principalmente com relação aos cuidados prestados ao paciente durante a ME, com vistas a preservar os possíveis órgãos e tecidos doadores. Os principais obstáculos durante o processo de cuidador a pacientes em morte encefálica foi o desgaste emocional e a relação com os familiares do paciente. Conclusão: Verificou-se que muitos enfermeiros possuem déficit no conhecimento sobre o processo de cuidar envolvendo pacientes em morte encefálica, além de apresentaram obstáculos relacionados ao estresse e da comunicação familiar.


Keywords


Cuidados de Enfermagem, Doadores de Tecidos, Morte Encefálica.

References


ABBASI, Z.; PEYMAN, A. Evaluation of brain death and organ transplantation in Iran Medical Law. Iran J Med Law; v. 6, p. 43 54, 2012.

ALVES, N.C.C.; OLIVEIRA, L.B.; SANTOS, A.D.B.; et al. Manejo dos pacientes em morte encefálica. Rev. enferm. UFPE on line, v. 112, n. 4, p. 953-961, 2018.

BRASIL. Presidência da República. Decreto Nº 9.175, de 18 de outubro de 2017. Secretaria Geral: 2017.

CAVALCANTE, L.P.; RAMOS, I.C.; ARAÚJO, M.A.M.; et al. Cuidados de enfermagem ao paciente em morte encefálica e potencial doador de órgãos. Acta paul. enferm. v.27, n.6, 2014.

CESAR, M.P.; CAMPONOGARA, S.; CUNHA, Q.B.; et al. Percepções e experiências de trabalhadores de enfermagem sobre o cuidado ao paciente em morte encefálica. Rev. baiana enferm. v. 33, p. e33359, 2019.

COSTA, C.R.C.L.P.; COSTA, L.P.; AGUIAR, N. A enfermagem e o paciente em morte encefálica na UTI. Revista Bioética, v. 24, n. 2, p. 368-373, 2016.

DORIA, D.L.; LEITE, P.M.G.; BRITO, F.P.G.; et al. Conhecimento do enfermeiro no processo de doação de órgãos. Enferm. foco (Brasília); v. 6, p. 31-35, 2015.

FERREIRA, M.M.M.; NUNES, N.D.T.; REIS, R.M. Knowledge of nursing students about the brain. Rev Enf Contem v. 2, n. 1, p. 52- 69, 2013.

HOSEINI, S.T.M.; MANZARI, Z.; KHALEGHI, E. ICU Nurses' Knowledge, Attitude, and Practice Towards their Role in the Organ Donation Process from Brain-Dead Patients and Factors Influencing it in Iran. Int J Organ Transplant Med. v. 6, n. 3, p. 105-113, 2015.

KESHTKARAN, Z.; SHARIF, F.; NAVAB, E.; et al. Lived experiences of Iranian nurses caring for brain death organ donor patients: Caring as “Halo of Ambiguity and Doubt”. Glob J Health Sci; v. 8, p. 281 292, 2016.

KOCAAY, A.F.; CELIK, S.; EKER, T.; et al. Brain death and organ donation: Knowledge, awareness, and attitudes of medical, law, divinity, nursing, and communication students. Transplant Proc; v. 47, p. 1244 1248, 2015.

de La LONGUINIERE, A.C.F.; LOBO, M.P.; LEITE, P.L.; et al. Conhecimento de enfermeiros intensivistas acerca do processo de diagnóstico da morte encefálica. Rev Rene, v. 17, n. 5, p. 691-698, 2016.

MAGALHÃES, A.L.P.; ERDMANN, A.L.; SOUSA, F.G.M.S.; et al. Significados do cuidado de enfermagem ao paciente em morte encefálica potencial doador. Revista Gaúcha de Enfermagem, v. 39, 2018.

MAGALHÃES, A.L.P.; OLIVEIRA, R. J. T.; RAMOS, S.F.; et al. Gerência do cuidado de enfermagem ao paciente em morte encefálica. Rev. enferm. UFPE on line. v. 13, n. 4, p. 1124-1132; 2019.

MOGHADDAM, H.Y.; POURESMAEILI, A.; MANZARI, Z.S. Analysis of the reasons for nurses’ confusion in relation to the concept of brain death from clinical and legal points of view. Electron Physician. v. 10, n. 5, p. 6868–6876, 2018.

MORAES, E.L.; NEVES, F.F.; SANTOS, M.J.; et al. Experiências e expectativas de enfermeiros no cuidado ao doador de órgãos e à sua família. Rev. Esc. Enferm. USP; v. 49, p. 129-135, 2015.

PEREIRA, M.G. Artigos científicos: como redigir, publicar e avaliar. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan; 2011.

PESSOA, J.L.E.; SCHIRMER, J.; ROZA, B.A. Avaliação das causas de recusa familiar a doação de órgãos e tecidos. Acta paul. enferm. v.26, n. 4, 2013.

SALEHI, S.; KANANI, T.; ABEDI, H. Iranian nurses' experiences of brain dead donors care in intensive care units: A phenomenological study. Iran J Nurs Midwifery Res. v. 18, n. 6, p. 475-482, 2013.

SIMINOFF, L.A.; MARSHALL, H.M.; DUMENCI, L.; et al. Communicating effectively about donation: an educational intervention to increase consent to donation. Prog Transplant. v. 19, n. 1, p.35-43, 2009.

SILVA, T.R.B.; NOGUEIRA, M.A.; SÁ, A.M.M. Conhecimento da equipe de enfermagem acerca dos cuidados com o potencial doador em morte encefálica. Rev. enferm. UFPI; v. 5, n. 4, p. 24-30, 2016.

SOUZA, M.T.; SILVA, M.D.; CARVALHO, R. Integrative review: what is it? How to do it? Einstein (São Paulo). v. 8, n. 1, p. 102-106, 2010.

SOUZA, M.A.O.; SOUZA, N.R.; MELO, J.T.S.; et al. Odor evaluation scales for odor in neoplastic wounds: an integrative review. Rev Bras Enferm. v. 71, n. 5, p. 2552-2560, 2018.

STILLWELL, S.; MELNYK, B.M.; FINEOUT-OVERHOLT, E.; et al. Evidence– based practice: step by step. Am J Nurs; v. 110, n. 5, p. 41-47, 2010.

TAHREKHANI, M.; ABEDI, H.A. The experiences of family members of non organ donors on the crisis rising from patients' brain death. Nurs Midwifery Stud. v. 6, p. e40362, 2017.

TANNOUS, Y.G. Manual para notificação, diagnóstico de morte encefálica do potencial e manutenção doador de órgãos e tecidos. 2°ed. Curitiba-Secretária de Saúde, 2016.

VESCO, N.L.; NOGUEIRA, C.S.; LIMA, R.F.; et al. Conhecimento do enfermeiro na manutenção do potencial doador de órgãos e tecidos para transplante. Rev. enferm. UFPE on line, v. 10, n. 5, p. 1615-1624, 2016.




DOI: https://doi.org/10.34119/bjhrv4n1-208

Refbacks

  • There are currently no refbacks.