Experiência da criação de aplicativo para orientação sobre práticas de terapias alternativas e complementares no perioperatório/ Experience of creating application for guidance on practices of alternative and complementary therapies in the perioperative

Beatriz Christina Matos dos Santos, Celeste Namie Motisuki Dias, Anne Letice Soares Braga, Eliani Sayumi Motisuki Dias, Marlene Simões e Silva, Regina de Oliveira Benedito, Tatiana Menezes Noronha Panzetti

Abstract


O presente estudo tem como objetivo descrever a experiência de desenvolver um aplicativo sobre terapias alternativas e complementares na assistência durante o pré e o pós-operatório e avaliar o uso como ferramenta facilitadora do cuidar. É um relato de experiência de análise qualitativa, que teve como base o Arco de Maguerez, vivenciado durante o período de prática do componente curricular Enfermagem em Clínica Cirúrgica, em um hospital de grande porte referência em oncologia, localizado no município de Belém, Estado do Pará. Sendo uma atividade desenvolvida para a Atividade Integrada em Saúde do curso de enfermagem da Universidade do Estado do Pará e que teve como participantes a equipe de enfermagem da clínica cirúrgica, composta por 2 enfermeiros e 3 técnicos de enfermagem. Notou-se a partir da avaliação dos participantes que o aplicativo é um dispositivo auxiliador da assistência que traz novas possibilidades de intervenção. A experiência de desenvolvimento de um aplicativo gerou um enriquecimento pessoal e profissional, assim como a observação de como o empreendedorismo pode auxiliar o profissional enfermeiro a renovar suas ações, seja ao aprimorar o seu cuidar ou ofertando seus serviços. Destaca-se a importância de temas como terapias alternativas a serem trabalhados em conjunto com o empreendedorismo na assistência na área da clínica cirúrgica, pois são abordagens que viabilizam o cuidar holístico.


Keywords


Terapias Complementares, Complicações Pós-Operatórias, Pesquisa em Enfermagem Clínica.

References


BAGGIO, A. F.; BAGGIO, D. K. Empreendedorismo: Conceitos e definições. Revista de Empreendedorismo, Inovação e Tecnologia, v. 1, n. 1, p. 25-38, 2014.

BERBEL, N. A. N. As metodologias ativas e a promoção da autonomia de estudantes. Semina: Ciências Sociais e Humanas, Londrina, v. 32, n. 1, p. 25-40, 2011.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de atenção básica. Manual de implantação de serviços de práticas integrativas e complementares no SUS. Brasília: Ministério da Saúde, 2018.

SILVA, A. C. P.; VALENTE, G. L. C.; VALENTE, G. S. C. O empreendedorismo como uma ferramenta para a atuação do enfermeiro. Revista de enfermagem UFPE online, Recife, v. 11, n. 4, p. 1595-1602, abr., 2017.

SILVA, M. B. G. M; TONELLI, A. L. N.; LACERDA, M. R. Instrumentos do cuidado humanizado de enfermagem: uma reflexão teórica. Cogitare Enfermagem, Curitiba, v. 8, n. 1, p. 59-64, jan./jun., 2003.

STRACIERI, L. D. S. Cuidados e complicações pós-operatórias. Medicina, Ribeirão Preto, v. 41, n. 4, p. 465-468.

ROCHA, D. R.; IVO, O. P. Assistência de enfermagem no pré-operatório e sua influência no pós-operatório: uma percepção do cliente. Revista Enfermagem Contemporânea, v. 4, n. 2, p. 170-178, jul./dez., 2015.




DOI: https://doi.org/10.34119/bjhrv4n1-091

Refbacks

  • There are currently no refbacks.