Formigas como vetores de bactérias e fungos no interior de um hospital do Sul da Bahia/ Ants as bacteria and fungi vectors inside a hospital in South Bahia

Sandra da Silva Silveira, Elivelton Melo Almeida, Daiane Frelik Theodoro, Cibelle Schuindt dos Santos Zetoles, João Luciano Andrioli, Guilherme Rosemberg Guimarães Queiroz, Jacques Hubert Charles Delabie, Renato Fontana

Abstract


Infecções hospitalares, causadas por bactérias e fungos, constituem uma causa crescente de morbidade e mortalidade no Brasil e no mundo. Embora alguns insetos sejam vetores bem conhecidos de microrganismos, as formigas têm-se revelado cada vez mais como ameaças à saúde pública, atuando como vetores mecânicos de microrganismos patogênicos. Foram realizadas coletas em diferentes setores de um hospital público da cidade de Itabuna-BA nos meses de junho de 2009 a agosto de 2010. As formigas coletadas foram colocadas individualmente em tubos estéreis, numerados e enviadas ao Laboratório de Mirmecologia da CEPLAC para identificação e, logo depois, para o Laboratório de Microbiologia da UESC onde o material biológico foi processado. Esse processamento consistiu na inoculação das formigas inteiras em Ágar Sabouraud e em tubos com caldo BHI. Em seguida foram inoculadas nos meios de ágar sangue, ágar MacConkey, ágar Manitol e em tubos contendo Ágar Micosel. As bactérias foram classificadas microscopicamente pela coloração de Gram. Os fungos foram identificados segundos aspectos morfológicos da colônia bem como características morfológicas das estruturas microscópicas de reprodução, utilizando a técnica de microcultivo. As espécies bacterianas identificadas foram: Staphylococcus sp. e Bacillus sp. As principais espécies de fungos identificados foram Aspergillus sp., Cladosporium sp., Fusarium sp., Mucor sp., Paecilomyces sp., Rhizopus sp., e Rhodotorula sp., os quais estão amplamente envolvidos em infecções oportunistas. As espécies de formigas prevalentes foram Paratrechina longicornis, Pheidole megacephala, Solenopsis saevissima e Tapinoma melanocephalum. Assim, conhecer as espécies de formigas, bem como identificar as espécies de microrganismos que são encontradas e transportadas por esses insetos, podem subsidiar ações educativas, complementando programas de prevenção e controle das infecções hospitalares.


Keywords


Formicidae, Fungos, Bactérias, Infecção Hospitalar.

References


FOWLER HG, BUENO OC, SADATSUNE T, MONTELLI AC. Ants as potential vectors of pathogens in Brazil hospitals in the State of São Paulo, Brazil. Insecta Sci Appl 1993;14:367 e 370.

MOREIRA DDO, MORAIS V, VIEIRA-DA-MOTA O, et al. Ants as carriers of antibiotic-resistant bacteria in hospitals. Neotrop Entomol 2005;34:999 e 1006.

FONTANA R,WETLER RMC, AQUINO RSS, et al. Disseminacãoo de bactérias patogeˆnicas por formigas (Hymenoptera: Formicidae) em dois hospitais do Nordeste do Brasil. Neotrop Entomol 2010;39:655 e 663.

BEATSON SH. Pharaoh’s ants as pathogens vectors in hospitals. Lancet 1972;1:425 e 427.

RODOVALHO CM, SANTOS AL, MARCOLINO MT, BONETTI AM, BRANDEBURGO MAM. Urban ants and transportation of nosocomial bacteria. Neotrop Entomol 2007;36:454 e 458.

EICHELER W. Health aspects and control of Monomorium pharaonis. In: Vander Meer RK, Jaffe K, Cedenõ A, editors. Applied myrmecology: a world perspective. Boulder, CO: Westview Press; 1990. p. 671 e 675.

COSTA SB, PELLI A, CARVALHO GP, et al. Ants as mechanical vectors of microorganisms in the School Hospital of the Universidade Federal do TriânguloMineiro. Rev Soc Bras Med Trop 2006;39:527e529.

DANIEL M, SRA´MOVA´ H, ZA´LABSBA´ E. Lucilia sericata (Diptera: Calliphoridae) causing hospital-acquired myiasis of a traumatic wound. J Hosp Infect 1994;28:149 e 152.

FOTEDAR R, BANERJEE U, VERMA AK. Cockroaches (Blattella germanica) as carrier of microorganisms of medical importance in hospital. Epidemiol Infect 1991;107:181 e 187.

PERDELLI F, CRISTINA ML, SARTINI M, et al. Fungal contamination in hospital environments. Infect Control Hosp Epidemiol 2006; 27:44 e 47.

BLACKWELL M. The fungi: 1, 2, 3 million species? Am J Bot 2011;98:426 e 438.

CARMO ES, BELEM LF, CATÃO RM, et al. Microbiota fúngica presente em Diversos setores de um hospitalpúblicoemCampinaGrande-PB. RBAC 2007;39:213 e 216.

FAURE O, FRICKER-HIDALGO H, LEBEAU MR, et al. Eight-year surveillance of environmental fungal contamination in hospital operating rooms and haematological units. J Hosp Infect 2002;50:155 e 160.

MENEZES EA, ALCANFOR AC, CUNHA FA. Fungos anemófilos na sala de periódicos da biblioteca de ciências da saúde da Universidade Federal do Ceará. RBAC 2006;38:155 e 158.

PANTOJA LDM, MOREIRA FILHO RE, BRITO EHS, et al. Ants (Hymenoptera, Formicidae) as carriers of fungi in hospital environments: an emphasis on the genera Tapinoma and Pheidole. J Med Entomol 2009;46:895 e 899.

DE HOOG GS, GUARRO J, GENE´ J, FIGUERAS MJ. Atlas of clinical fungi. Centraalbureau voor Schimmelcultures. Utrecht/Reus: Universitat Rovira I Virgilli; 2000.

KLICH MA. Identification of common Aspergillus species. Baarn: Centraalbureau voor Schimmelcultures; 2002.

LACAZ CS. Infecções por Agentes Oportunistas. São Paulo: Edgar Beucher, 1977.

MENDES GFAP, ABREU AS, SOUZA ACO, SANTOS ELP, SANTOS WS, ASSIS RP, AZEVEDO AP. Acinetobacter baumannii isolados em amostras de pacientes pediátricos internados em um hospital especializado em doenças infectocontagiosas. Braz. J. Hea. Rev., v.3, n. 6, 2020, p. 16849 a 16860.

TRABULSI LR. Microbiologia. 3. ed. São Paulo: Atheneu, 1999.

BICHO CL, BRANCÃO MLC, PIRES SM. Mirmecofauna (hymenoptera, formicidae) em hospitais e postos de saúde no município de Bagé, RS. Arq. Inst. Biol., São Paulo, v.74, n.4, p.373-377, out./dez, 2007.

CARMO, e. s.; BELÉM, l. f.; CATÃO, R. M. R.; LIMA, E. O.; SILVEIRA, I. L.; SOARES LHM. Microbiota fúngica presente em diversos setores de um hospital público em Campina Grande – PB. RBAC, vol. 39(3): 213-216, 2007.

LISE F, GARCIA FRM, LUTINSKI JA. Associação entre formigas (Hymenoptera: Formicidae) e bactérias em hospitais de Santa Catarina. Rev. Soc. Bras. Med. Trop. vol.39 no.6 Uberaba Nov./Dec. 2006.

LOYOLA ABAT. Avaliação da suscetibilidade de Aspergillus spp e Fusarium spp a antifungicos por microdiluição em caldo e sistema de monitorização de crescimento de hifas (Biocell-tracer®). Universidade Estadual de Campinas. Faculdade de Ciências Médicas. Tese (doutorado). 2005.




DOI: https://doi.org/10.34119/bjhrv4n1-199

Refbacks

  • There are currently no refbacks.