A importância do fisioterapeuta no processo de inclusão escolar de crianças com encefalopatia crônica não progressiva / The importance of physiotherapy in the process of school inclusion of children with non-progressive chronic encephalopathy

Gabriel Vinícius Reis de Queiroz, Brenda Souza Moreira, Carlos Alex de Menezes Carneiro, Frozina Santo Amaral Souto, Ana Oneide Brito Vasconcelos, Antônio Gabriel Pantoja Silva Santos, Raquel de Souza Mota, Felipe Gomes Pereira

Abstract


Introdução: As crianças com encefalopatia crônica não progressiva em sua maioria possuem o cognitivo preservado, conseguindo acompanhar o ensino regular, apesar de suas limitações motoras. Objetivo: Realizar uma revisão narrativa da literatura sobre o papel do fisioterapeuta no processo de inclusão escolar dos alunos com encefalopatia crônica não progressiva. Metodologia: A revisão foi realizada na busca de estudos que abordam informações pertinentes da atuação fisioterapêutica na educação inclusiva de crianças portadoras de encefalopatia crônica não progressiva. A coleta de dados ocorreu nos meses de janeiro e fevereiro de 2020, através de busca online nas seguintes bases de dados: LILACS, PUBMED e SciELO, utilizando os descritores Encefalopatia Crônica Não Progressiva, Educação Inclusiva e Fisioterapia. Resultados e Discussão: Identificou-se 662 estudos. Desses, foram selecionados 03 artigos completos que se enquadraram a pesquisa. Constatou-se que a fisioterapia auxilia na inclusão dos educandos portadores de encefalopatia crônica não progressiva com a eliminação de barreiras arquitetônicas, adaptações do mobiliário e dos materiais pedagógicos, orientação aos pais, alunos e professores quanto ao posicionamento corporal e sua influência na aprendizagem. Vale ressaltar que a atuação do fisioterapeuta no âmbito escolar visa favorecer as respostas educacionais, gerando um ambiente propício para a aprendizagem. Detectou-se a necessidade de o currículo dos cursos de graduação em saúde incorporarem a educação das pessoas com deficiência, promovendo a percepção destes profissionais sobre sua importância junto a equipe escolar na efetivação da inclusão do aluno portador de necessidades especiais. Conclusão: Conclui-se que o fisioterapeuta quando inserido na equipe educacional multidisciplinar atua positivamente no desenvolvimento das potencialidades dos alunos com encefalopatia crônica não progressiva, melhorando o processo ensino aprendizagem destes alunos, assim como o processo de inclusão social.  


Keywords


Encefalopatia crônica não progressiva, Educação inclusiva, Fisioterapia.

References


BRASIL. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Lei número 9394, 20 de dezembro de 1996. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l9394.htm. Acesso em: 21 Dez 2020.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Especial. Política Nacional de Educação Especial na Perspectiva da Educação Inclusiva. Brasília, DF: SEESP, 2008a. Disponível em: . Acesso em: 28 Dez 2020.

BUENO, S. T.; RESA, J. A. Z. Educación Física para niños y niñas con necesidades educativas especiales. Málaga: Aljibe, 1995.

DURCE, K. et al. A atuação da Fisioterapia na inclusão de crianças deficientes físicas em escolas regulares: uma revisão de literatura. O mundo da saúde. São Paulo, v.30, n.1: p.156-159. Jan/mar de 2006.

FERREIRA, Solange Leme. Ingresso, permanência e competência: uma realidade possível para universitários com necessidades educacionais especiais. Revista Brasileira de Educação Especial, Marília, v. 13, n. 1, p. 43-60, abr. 2007. Disponível em: . Acesso em: 05 Jan 2021.

MELO, F. R. L. V. DE; LUCENA, N. M. G. DE; SARAIVA, L. L. O. Atuação de fisioterapeutas na inclusão de alunos com deficiência física no ensino regular. Revista Educação em Questão, v. 55, n. 45, p. 176-199, 13 set. 2017.

MELO, F. R. L. V. e MARTINS, L. A. R. Acolhendo e atuando com alunos que apresentam paralisia cerebral na classe regular: a organização da escola. Revista Brasileira de Educação Especial, Marília, v.13, n.1, p.111-130, 2007.

MELO, F. R; MARTINS, L. A. R. O que pensa a comunidade escolar sobre o aluno com Paralisia Cerebral. Revista Brasileira de Educação Especial, Marília, 2004.

MELO, Francisco Ricardo Lins Vieira de Melo. Do olhar inquieto ao olhar comprometido: uma experiência de intervenção voltada para atuação com alunos que apresentam paralisia cerebral. 2006. 266f. Tese (Doutorado em Educação) − Programa de Pós-Graduação em Educação, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2006.

NIEHUES, Janaina Rocha; NIEHUES, Mariane Rocha. Educação Inclusiva de Crianças com Deficiência Física: Importância da Fisioterapia no Ambiente Escolar. Revista Neurociências, São Paulo, v. 22, n. 1, p. 113-120. Jan./mar. 2014. Disponível em: . Acesso em: 28 Dez 2020.

OLIVEIRA, L. S.; GOLIN, M. O. Técnica para redução do tônus e alongamento muscular passivo: efeitos na amplitude de movimento de crianças com paralisia cerebral espástica. Artigo (Graduação em Fisioterapia) - Faculdade de Medicina do ABC, Santo André, 2016. Disponível em: https://www.portalnepas.org.br/abcshs/article/view/946/758 . Acesso em: 15 Dez 2020.

ROTHER, E. T. Revisão sistemática x revisão narrativa. Acta Paulista de Enfermagem, São Paulo, v. 20, n. 2, p. v-vi , jun. 2007.

SARAIVA, Luzia Lívia Oliveira; MELO, Francisco Ricardo Lins Vieira de. Avaliação e participação do fisioterapeuta na prescrição do mobiliário escolar utilizado por alunos com paralisia cerebral em escolas estaduais públicas da rede regular de ensino. Revista Brasileira de Educação Especial, Marília, v. 17, n. 2, p. 245-262, ago. 2011. Disponível em: . Acesso em: 14 Dez 2020.

SEBASTIÃO, A. M. Intervenção da fisioterapia na paralisia cerebral infantil em Luanda. 2016. Disponível em: https://repositorio.ipl.pt/bitstream/10400.21/8039/1-/Interven%C3%A7%C3%A3o%20da%20fisioterapia%20na%20paralisia%20cerebral . Acessado em: 20 Dez 2020.

SILVA, S. M.; SANTOS, R. R. C. N.; RIBAS, C. G. Inclusão de alunos com paralisia cerebral no ensino fundamental: contribuições da fisioterapia. Rev. Bras. Ed., Marília, v.17, n. 2, p. 263-286, Mai-Ago, 2011.

TAGLIARI, Carina; TRÊS, Francesca; OLIVEIRA, Sheila Gemelli. Análise da acessibilidade dos portadores de deficiência física nas escolas da rede pública de passo fundo e o papel do fisioterapeuta no ambiente escolar. Revista neurociências, São Paulo, v. 14, n. 1, p.10-14, jan./mar. 2006. Disponível em: . Acesso em: 12 Dez 2020.




DOI: https://doi.org/10.34119/bjhrv4n1-196

Refbacks

  • There are currently no refbacks.