Avaliação do transtorno de ansiedade em pacientes pós-angioplastia coronariana em um hospital de referência cardiológica / Evaluation of anxiety disorder in post-coronary angioplasty patients in a cardiological reference hospital

Fernando Henrique Motta Garcia, Rosana dos Santos Silva, Mário Augusto Ferreira Cruz, Victor Fernando Costa Macedo Noronha, Adriana Lopes Latado Braga

Abstract


Objetivo: Analisar a prevalência de transtorno de ansiedade em pacientes submetidos à angioplastia coronariana em hospital de referência cardiológica. Métodos: Estudo piloto, prospectivo, transversal, descritivo, realizado em um hospital de referência cardiológica no município de Salvador, Bahia. Os dados foram coletados mediante a Escala Hospitalar de Ansiedade e Depressão (subescala ansiedade – HADS-A) e uma ficha de pesquisa elaborada para o presente projeto. A análise estatística foi realizada com o software R para Windows 3.5.1. A normalidade das variáveis quantitativas foi avaliada pelo teste estatístico de Shapiro-Wilk e pelas características da distribuição (Kurtosis e Skewness). Variáveis que apresentaram normalidade foram comparadas ao desfecho ansiedade mediante o test t-student, enquanto que as variáveis que não apresentaram normalidade foram avaliadas pelos testes do qui quadrado ou exato de Fisher. Nível de significância adotado foi de 5%. Resultados: Foram entrevistados 28 pacientes, sendo 14 do gênero masculino e 14 do gênero feminino. A média de idade dos pacientes submetidos a angioplastia coronariana foi de 61,1 ± 9,1 anos. A principal situação que levou a angioplastia coronariana foi o IAM tardio (>12h) (64,3%). A prevalência de ansiedade encontrada no estudo foi de 32,1% e desses, 10,7% tinham ansiedade leve e 21,4% ansiedade moderada. Nenhum participante apresentou ansiedade grave. A pontuação no HADS-A foi, em média, 6,7 (dp 3,8) na amostra analisada, sendo de 11,4 (dp 1,5) nos pacientes com identificação de ansiedade e 4,6 (dp 2,3) naqueles sem ansiedade. Conclusão: A prevalência do transtorno de ansiedade no pós-angioplastia foi de 32,1%. Indivíduos ansiosos tiveram maior tempo de internação hospitalar, maior prevalência de sexo feminino e apresentavam com maior frequência histórico de doença cardiovascular e transtornos psíquicos prévios, em relação aos pacientes sem ansiedade.


Keywords


Transtorno de Ansiedade, Angioplastia, Doença da Artéria Coronariana.

References


BALDWIN, David; STEIN, Murray; FRIEDMAN, Michael. Generalized anxiety disorder in adults: Epidemiology, pathogenesis, clinical manifestations, course, assessment, and diagnosis. Disponível em: https://www.uptodate.com. Acesso em: 13 nov. 2020.

CARVALHO, Isabela et al. Ansiedade, depressão, resiliência e autoestima em indivíduos com doenças cardiovasculares. Rev. Latino-Am. Enfermagem, v. 24, e. 2836, p. 1-10, 2016.

CESAR, Luiz et al. Diretriz de Doença Coronária Estável. Arq Bras Cardiol, v. 103, n. 2, p. 1-59, 2014.

FARO, André. Análise Fatorial Confirmatória e Normatização da Hospital Anxiety and Depression Scale (HADS). Psicologia: Teoria e Pesquisa, v. 31, n. 3, p. 349-353, 2015.

GODOY, Moacir et al. Mortalidade por doenças cardiovasculares e níveis socioeconômicos na população de São José do Rio Preto, estado de São Paulo, Brasil. Arq Bras Cardiol, v. 88, n. 2, 2007.

GULLICH, Inês et al. Prevalência de ansiedade em pacientes internados num hospital universitário do sul do Brasil e fatores associados. Rev Bras Epidemiol, v. 16, n. 3, p. 644-57, 2013.

LIMA, César et al. Qualidade de vida, ansiedade e depressão em pacientes com doença pulmonar obstrutiva crônica. Rev Bras Enferm, v. 73 (Suppl 1), p. 1-7, 2020.

LOCKMANN, Adriana da Silva et al. Associação do estado nutricional com sintomas depressivos e ansiosos em idosos institucionalizados. Braz J Hea Rev, v. 3, n. 6, p. 18774-18788, 2020.

MANN, Douglas et al. Braunwald tratado de doenças cardiovasculares. 10. Ed. Rio de Janeiro: Editora Elsevier, 2018

MARCOLINO, José et al. Escala Hospitalar de Ansiedade e Depressão: Estudo da Validade de Critério e da Confiabilidade com Pacientes no Pré-Operatório. Revista Brasileira de Anestesiologia, v. 57, n. 1, p. 52-62, 2007.

MARTINS, Mílton. Manual do residente de clínica médica. 2. Ed. Barueri: Editora Manole, 2017.

NETO, Augusto; HAJJAR, Ludhmila; FILHO, Roberto. Cardiologia diagnóstica prática. 1. ed. Barueri: Editora Manole, 2018.

PARAVENTI, Felipe; CHAVES, Ana. Manual de psiquiatria clínica. 1. Ed. Rio de Janeiro: Editora Roca, 2019.

PIEGAS, Leopoldo et al. V Diretriz da Sociedade Brasileira de Cardiologia sobre Tratamento do Infarto Agudo do Miocárdio com Supradesnível do Segmento ST. Arq Bras Cardiol, V. 105, n. 2, p. 1-105, 2015.

ROEST, Annelieke et al. Anxiety and Risk of Incident Coronary Heart Disease. Journal of the American College of Cardiology, v. 56, n. 1, p. 38-46, 2010.

SADOCK, Benjamin; SADOCK, Virginia; RUIZ, Pedro. Compêndio de psiquiatria. 11. Ed. Porto Alegre: Editora Artmed, 2017.

SERPYTIS, Pranas et al. Diferenças por Sexo na Ansiedade e Depressão após Infarto Agudo do Miocárdio. Arq Bras Cardiol, v. 111, n. 5, p. 676-683, 2018.

SILVA, Katheryne Suellen Cavalcante et al. Emergência cardiológica: principais fatores de risco para infarto agudo do miocárdio. Braz J Hea Rev, v. 3, n. 4, p. 11252-11263, 2020.

SOARES, Rosângela et al. Intervenção Psicológica em Pacientes Submetidos a Angioplastia Coronária: Ensaio Randomizado. Rev Bras Cardiol Invasiva, v. 18, n. 3, p. 311-315, 2010.

TOFLER, Geoffrey; SILVER, Jonathan; SALOMON, David. Psychosocial factors in acute coronary syndrome. Disponível em: https://www.uptodate.com. Acesso em: 13 nov. 2020.




DOI: https://doi.org/10.34119/bjhrv4n1-169

Refbacks

  • There are currently no refbacks.