Cuidados Paliativos na assistência hospitalar: A percepção da equipe multiprofissional / Palliative Care in hospital care: The multiprofessional team's perception

Alana Molin, Isabel Inês Zamarchi Lanferdini, Sandra Vanini, Alessandra Ebel, Daniele Picinin

Abstract


Introdução: O câncer é uma doença socialmente relacionada à morte e que atualmente vem recebendo um olhar peculiar das políticas públicas e das organizações de saúde. Entretanto, quando a cura torna-se impossível, a morte consequentemente é inevitável, é neste contexto que se insere os Cuidados Paliativos (CP), como uma abordagem que aprimora a qualidade de vida dos pacientes, através da prevenção e alívio do sofrimento dos mesmos e de seus familiares. Objetivo: Identificar o significado atribuído pela equipe multiprofissional em relação aos cuidados paliativos. Metodologia: Pesquisa de caráter exploratório, descritivo, com abordagem qualitativa. Foi realizada através de entrevista semi estruturada com a equipe multiprofissional, utilizando a análise temática para a interpretação dos resultados. Resultados: Os profissionais na sua maioria compreendem o significado dos cuidados paliativos e associa essa terapêutica como forma de garantir maior conforto e qualidade de vida aos pacientes. Elencaram ainda como dificuldades a falta de comunicação, o despreparo e o dimensionamento inadequado dos profissionais. Conclusão: Dessa maneira, é indispensável que as instituições de modo geral, busquem programas de educação continuada, e invistam em comissões internas de cuidados paliativos, para melhor preparar os  profissionais para atuar nesse cenário de cuidado.


Keywords


Câncer, Cuidados Paliativos, Equipe interdisciplinar em saúde.

References


Academia Nacional de Cuidados Paliativos (ANCP). Manual de cuidados paliativos. 2ª edição; 2012. Acessado em dezembro de 2016; Disponível em: http://www.paliativo.org.br/ancp

Instituto Nacional do Câncer (INCA). Estimativa do câncer para o biênio de 2016/2017. Acessado em dezembro de 2016; Disponível em http://www.inca.gov.br/wcm/dncc/2015/estimativa-2016.asp

Pinheiro MLA, Martins FDP, Rafael CMO, Lima UTS. Paciente oncológico em cuidados paliativos: a perspectiva do familiar cuidador. Rev. Enf. UFPE. 2016; Acessado em outubro de 2017. 10(5): 1749-1755. Disponível em: HTTP://www.revista.ufpe.br/revistaenfermagem/index.php/revista/article/viewFile/7215/pdf10206.

Silva PLN, Ruas PR, Barbosa HÁ, Soares LM, Rocha GG. O significado do câncer: percepções de pacientes. Rev. Enf. UFSM; 2013; 3(esp): 647-657.

Soares VA, Silva LF, Santos PM, Depiani JRB. A importância do brincar para a criança com câncer hospitalizada em cuidado paliativo. Rev. Enf. UFPE. 2016. Acessado em outubro de 2017. 10(3): 1047-53. Disponível em: HTTP://www.revista.ufpe.br/revistaenfermagem/index.php/revista/article/view/7156/pdf9854.

Hermes HB, Lamarca ICA. Cuidados paliativos: uma abordagem a partir das categorias profissionais de saúde. Ciên. Saúd. Colet. 2013; 18(9): 2577-2588.

Minayo MCZ. O desafio do conhecimento. 12 ed. São Paulo, Brasil: Hucetec; 2010.

Silva RMCRA, Pereira ER, Silva MA, Marins AMF, Sauthier M. Nursing team perception of oncological palliative care: a phenomenological study. Online. Braz. Jour. Nurs. 2014; Acessado em: novembro de 2017. 13 (1): 72-81. Disponível em: http://www.objnursing.uff.br/index.php/nursing/article/view/4125.

World Health Organization. Definition of palliative care. 2014. Acessado em dezembro de 2016. Disponível em: http://www.who.int/cancer/palliative/definition/en/.

Santos DBA, Lattaro RCC, Almeida DA. Cuidados paliativos de enfermagem ao paciente oncológico terminal: revisão da literatura. Rev. Inic. Cient. 2011. 1(1): 72-84.

Matos TDS, Meneguin S, Ferreira MLS, Miot HA. Qualidade de vida e coping religioso-espiritual em pacientes sob cuidados paliativos oncológicos. Rev. Latino-Am. Enf. 2017. Acessado em novembro de 2017. (25): e 2910. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-11692017000100359&lng=pt

McCaffrey N, Bradley S, Ratcliffe J, Currow DC. What aspects of quality of life are important from palliative care patients’ perspectives? A systematic review of qualitative research. J Pain Symptom Manage. 2016. 52(2):318-328.e5. doi: 10.1016/j.jpainsymman.2016.02.012

Ikeda LHM, Marcheti MA, Sales APA, Giacon BCC, Marques FRB. Dificuldades de uma equipe de enfermagem para prestar cuidados paliativos. Inv. Qual. Saúd. 2017. (2).

Silva RS, Campos ERA, Pereira A. Cuidando do paciente no processo de morte na Unidade de Terapia Intensiva. Rev. Esc. Enf. USP. 2011; 45 (3): 738-744.

Ministério da Saúde (BR). Secretaria de Atenção à Saúde. Núcleo Técnico da Política Nacional de Humanização. Humaniza SUS: documento base para gestores e trabalhadores do SUS. 3a ed. Brasília: Ministério da Saúde; 2006.

Waldow VR, Borges RF. Cuidar e humanizar: relações e significados. Acta. Paul. Enf. 2011; 24(3): 414-418.

Cardoso DH, Muniz RM, Schwartz E, Arrieira ICO. Cuidados paliativos na assistência hospitalar: a vivência de uma equipe multiprofissional. Text. Contx. 2013; 22(4): 1134-1141.

Silveira MH, Ciampone MHT, Gutierrez BAO. Percepção da equipe multiprofissional sobre cuidados paliativos. Rev. Bras. Geriatr. Geront. 2014; 17 (1): 7-16

Pinto MH, Cruz MF, Cesarino CB, Pereira APS, Ribeiro RCHM, Beccaria LM. O cuidado de enfermagem ao paciente oncológico fora de possibilidade de cura: percepções de um grupo de profissionais. Cogit. Enf. 2011; 16 (4): 647-53.

Paiva FCL, Almeida JJJ, Damásio AC. Ética em cuidados paliativos: concepções sobre o fim da vida. Rev. Bioet. 2014; 22(3): 550-560.

Passos SSS, Sadigusky D. Cuidados de enfermagem ao paciente dependente e hospitalizado. Rev. Enf. UERJ. 2011; 19 (4): 598-603.

Silva MM, Santana NGM, Santos MC, Cirilo JD, Barrocas DLR, Moreira MC. Cuidados paliativos na assistência de alta complexidade em oncologia: percepção de enfermeiros. Esc. Anna. Nery. 2015; 19 (3): 460-466.

Freitas NO, Pereira MV. Percepções dos enfermeiros. Enf. Mund. Saúd. 2013. 37(4): 450-457.

Alves RF, Andrade SFO, Melo MO, Cavalcante Kb, Angelim RM. Cuidados paliativos: desafios para cuidadores e profissionais da saúde. Fract. Rev. Psico. 2015; 27 (2): 165-176.

Davies S, Jenkins E, Mabbett G. Emotional intelligence: district nurses`lived experiences. British Journal of Community Nursing. Br J Community Nurs. 2010; 15(3):141-6. Disponível em: https://doi.org/10.12968/bjcn.2010.15.3.46903.




DOI: https://doi.org/10.34119/bjhrv4n1-159

Refbacks

  • There are currently no refbacks.