Lacerações e desfechos perineais imediatos de partos assistidos na banqueta de parto e posição semi-sentada / Lacerations and immediate perineal outcomes of assisted births on the stool and semi-sitting position

Marina da Cruz Moreira, Mateus Oliveira Marcelino, Érika Marina Rabelo

Abstract


Objetivo: comparar partos assistidos na banqueta de parto e em posição semi-sentada de uma maternidade de Belo Horizonte. Método: Estudo transversal analítico com abordagem quantitativa. A coleta de dados foi realizada por meio de dados secundários dos livros de registro de partos e de prontuários. Resultados: Foram analisados 293 partos de julho a dezembro de 2017. As lacerações perineais ocorreram em 81,97% dos partos na banqueta e em 70,76% dos partos em posição semi-sentada. Não houve diferença significativa comparando-se os desfechos perineais: dor, edema, hematoma e Apgar<7 no 1º minuto. Conclusão: Houve maior taxa de lacerações perineais em partos na banqueta, porém, essa diferença pode não estar relacionada à posição de parto. A posição de parto não ocasionou diferenças significativas em outros desfechos perineais. Diante do achado, conclui-se que as duas posições verticalizadas são seguras e podem ser estimuladas para uso da parturiente durante o parto.


Keywords


Enfermagem Obstétrica, Parto Verticalizado, Desfecho Perineal, Banqueta de Parto.

References


Oliveira, SMJV, Miquilini, EC. Frequência e critérios para indicar a episiotomia. Rev. esc. enferm. USP. 2005 Set; 39(3): 288-295 Disponível em: . Acesso em: 14 de dez. de 2017.

Gayeski, ME, Bruggemann, OM. Percepções de puérperas sobre a vivência de parir na posição vertical e horizontal. Rev. Latino-Am. Enfermagem. 2009 Abr;17(2):153-159. Disponível em: . Acesso em: 18 dez. de 2017.

Brasil. Ministério da Saúde. CONITEC. Diretriz Nacional de Assistência ao Parto Normal. Brasília: MS, 2016

Mamede, FV; Mamede, MV; Dotto, LMG. Reflexões sobre deambulação e posição materna no trabalho de parto e parto. Escola Anna Nery Revista de Enfermagem;11(2): 331-336, jun. 2007. Disponível em: . Acesso em 17 dez. 2017

Baracho SM, Figueiredo EM, Silva LB, Cangussu ICAG, Pinto DN, Souza ELBL, et al. - Influência da posição de parto vaginal nas variáveis obstétricas e neonatais de mulheres primíparas. Rev. Bras. Saúde Matern. Infant., Recife, 9 (4): 409-414 out. / dez., 2009

Sabatino, H. Atenção ao Nascimento Humanizado Baseado em Evidências científicas Manaus: Grafisa, 2014b

Sabatino, H. Atenção ao Nascimento Humanizado Baseado em Evidências científicas. Manaus: Grafisa, 2014a

Organização Mundial de Saúde - OMS. Maternidade segura. WHO recommendations: intrapartum care for a positive childbirth experience. Geneva: World Health Organization; 2018.

Francisco AA, Kinjo MH, Bosco CS, Silva RL, Mendes EPB, Oliveira SMJV. Associação entre trauma perineal e dor em primíparas. Rev. esc. enferm. USP. 2014 Aug; 48(spe): 39-44 Disponível em: . Acesso em: 17 de dezembro de 2017.

Monteiro JCS, Pitangui ACR, Sousa L, Beleza ACS, Nakano AMS, Gomes FA. Associação entre a analgesia epidural e o trauma perineal no parto vaginal. Esc Anna Nery Rev Enferm 2009 jan-mar; 13 (1): 140-144. Disponível em: . Acesso em: 11 de dezembro de 2017.

Riesco MLG, Costa ASC, Almeida SFS, Basile ALO, Oliveira SMJV. Episiotomia, laceração e integridade perineal em partos normais: análise de fatores associados. Rev Enferm UERJ. 2011;19(1):77-83.

Prefeitura de Belo Horizonte (PBH). Assistência ao Parto e Nascimento – Diretrizes para o cuidado Multidisciplinar. Belo Horizonte: PBH, 2015.

Silva NLS, Oliveira SMJV, Silva FMB, Santos JO. Dispareunia, dor perineal e cicatrização após episiotomia. Rev. Enferm. UERJ, Rio de Janeiro, v. 21 n. 2 p. 216-20. Abr/jun 2013.

Fundação Hospitalar do Estado de Minas Gerais (FHEMIG), Maternidade Odete Valadares. Disponível em:< http://www.fhemig.mg.gov.br/index.php/atendimento-hospitalar/complexo-de-especialidades/maternidade-odete-valadares>. Acesso em: 12 de dez. de 2017.

Albers LL, Sedler KD, Bedrick EJ, Teaf D, Peralta P. Factors related to genital trauma in normal spontaneous vaginal births. Birth. 2006; 33(2):94-100.

Thies-Lagergren L, Kvist LJ, Christensson K, Hildingsson I. No reduction in instrumental vaginal births and no increased risk for adverse perineal outcome in nulliparous women giving birth on a birth seat: results of a Swedish randomized controlled trial. BMC Pregnancy Childbirth. 2011;11:22.

Elvander C, Ahlberg M, Thies-Lagergren L, Cnattingius S, Stephansson O. Birth position and obstetric anal sphincter injury: a population-based study of 113 000 spontaneous births. BMC Pregnancy Childbirth. 2015; 15:252

Smith LA, Price N, Simonite V, Burns EE. Incidence of and risk factors for perineal trauma: a prospective observational study. BMC Pregnancy Childbirth. 2013;13:59.

Gupta JK, Sood A, Hofmeyr GJ, Vogel JP. Position in the second stage of labour for women without epidural anaesthesia. Cochrane Database Syst Rev. 2017.

Aasheim V, Nilsen ABV, Reinar LM, Lukasse M. Perineal techniques during the second stage of labour for reducing perineal trauma. Cochrane Database of Systematic Reviews 2017.

Pimentel BAP. Abordagem fisioterapêutica na gestação para prevenção de lesão perineal durante o parto [monografia]. Bragança Paulista: Universidade São Francisco; 2017.

Oliveira TG. Escore de Apgar e mortalidade neonatal em um hospital localizado na zona sul do município de São Paulo. Einstein. 2012;10(1):22-8

Mouta RJO, Pilotto DTS, Vargens OMC, Progianti JM. Relação entre posição adotada pela mulher no parto, integridade perineal e vitalidade do recém-nascido. Rev Enferm. UERJ. 2008;16(4):472-6.




DOI: https://doi.org/10.34119/bjhrv4n1-143

Refbacks

  • There are currently no refbacks.