Histórico dos aspectos epidemiológicos e análise de intervenções de saúde pública efetivas no controle da malária no Brasil / History of epidemiological aspects and analysis of effective public health interventions in malaria control in Brazil

Brandon Vidal de Souza

Abstract


Introdução: A malária é uma das doenças infecto-parasitárias mais devastadoras do mundo, devido a sua alta letalidade e sua larga difusão. Acomete um quarto da população mundial e é responsável pela morte de um milhão e meio a três milhões de pessoas. Objetivo: Este trabalho tem como objetivo estudo epidemiológico histórico da malária no Brasil e as políticas pública de saúde implementadas no enfrentamento da malária, além de determinar modos efetivos de controle. Método: Estudo retrospectivo de base epidemiológico com abordagem histórica sobre Malária. Pesquisa feita por meio da Google Scholar, SciELO, PubMed, Sciece Direct e Lilacs com as palavras chave “Brasil”, “Brazil”, “Malária”, “Malaria”, “História”, “History”, “Intervenções” e “interventions”. Resultados: A introdução do Plasmodium na América aconteceu por meio do comercio de tráfico negreiro. Os desafios de combate à malária transpassam questões burocráticas, resultando em difícil aplicação de objetivos e estratégias na minoração quantitativa. Conclusão: Logo, o mecanismo chave no controle do paludismo parte do diagnóstico oportuno com tratamento conveniente dos casos; desse modo, os impactos advindos teriam reverberação diretos no reservatório parasitário e diminuição na morbidade social.


Keywords


Brasil, malária, história, intervenções.

References


(1) NEVES, David Pereira. Parasitologia humana. 13. ed. São Paulo: Atheneu, 2016.

(2) TAUIL, Pedro Luiz. Malária no Brasil: epidemiologia e controle. In: Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Departamento de Análise de Situação de Saúde. Saúde Brasil 2009. Brasília: Ministério da Saúde, 2010, p. 223-240. Disponível em: . Acesso em: 14 maio 2013.

(3) MALARIA in Brazil: an overview. [S.l.]: Malaria Journal, 2010. Disponível em: . Acesso em: 18 out. 2018.

(4) MALÁRIA. 2017. Disponível em: . Acesso em: 17 out. 2018.

(5) GLOBAL MALARIA CONTROL AND ELIMINATION: report of a technical review. [S.l.: s.n.], 2008. Disponível em: . Acesso em: 17 out. 2018.

(6) MULTINI, Laura. Impacto Econômico da Malária. 2016. Disponível em: . Acesso em: 18 out. 2018.

(7) CHALLENGES for malaria elimination in Brazil. [S.l.]: Malaria Journal, 2016. Disponível em: . Acesso em: 17 out. 2018.

(8) GENÉTICA sugere rotas do parasita da malária até as Américas. [S.l.]: Ciências da Saúde, 2018. Disponível em: . Acesso em: 18 out. 2018.

(9) MALÁRIA chegou à América do Sul com os navios negreiros, diz estudo. [S.l.]: BBC News, 2012. Disponível em: . Acesso em: 19 out. 2018.

(10) DESAFIOS para eliminação da malária no Brasil. [S.l.]: Agência FAPESP, 2017. Disponível em: . Acesso em: 19 out. 2018.

(11) FERREIRA, Edna. Malária: Aspectos históricos e utilização da Artemisinina em seu tratamento. 2015. 34 f. Monografia - TCC (Curso de química) - Faculdade de Química, Universidade Federal de São João del-Rei,, [S.l.], 2015. Disponível em: . Acesso em: 19 out. 2018.

(12) ERADICATION of Anopheles gambiae from Brazil: lessons for malaria control in Africa?. [S.l.]: The Lancet, 2002. Disponível em: . Acesso em: 20 out. 2018.

(13) TAUIL, Pedro et al. A malária no Brasil. Cad. Saúde Pública , Rio de Janeiro, v. 1, n. 1, p. 71-111, março de 1985. Disponível em . acesso em 11 de novembro de 2018. http://dx.doi.org/10.1590/S0102-311X1985000100009.

(14) CONTROLE da malária no Brasil: 1965 a 2001. [S.l.]: Scielo, 2002. Disponível em: . Acesso em: 20 out. 2018.

(15) Griffing, SM, Tauil, PL, Udhayakumar, V. e Silva-Flannery, L. (2015). Uma perspectiva histórica sobre o controle da malária no Brasil. Memórias do Instituto Oswaldo Cruz , 110 (6), 701-18.

(16) RIBAMAR, Jose. MALARIA. 2000. 24 p. Licenciatura em Ciências Biológicas (Licenciado em Ciências Biológicas)- Faculdade de Ciências da Saúde, Centro Universitário de Brasília, Brasília, 2000. 1. Disponível em: . Acesso em: 20 out. 2018.

(17) Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Departamento de Vigilância Epidemiológica. Ações de controle da malária: manual para profissionais de saúde na atenção básica / Ministério da Saúde, Secretaria de Vigilância em Saúde, Departamento de Vigilância Epidemiológica. – Brasília: Editora do Ministério da Saúde, 2006. 52 p.: il. – (Série A. Normas e Manuais Técnicos)

(18) BRASIL caminha rumo à eliminação da malária, diz especialista da Opas. [S.l.]: Agência FAPESP, 2015. Disponível em: . Acesso em: 21 out. 2018.

(19) ESTRATÉGIA Técnica Mundial para o Paludismo 2016–2030. Organização Mundial da Saúde, 20 Avenue Appia, 1211 Genebra 27, Suíça: OMS, 2015. Disponível em: . Acesso em: 22 out. 2018.

(20) IS malaria a disease of poverty? A review of the literature. [S.l.]: Wiley Online Libray, 2005. Disponível em: . Acesso em: 22 out. 2018.

(21) THE ECONOMIC BURDEN OF MALARIA. [S.l.]: J. Trop. Med. Hyg, 2001. Disponível em: . Acesso em: 22 out. 2018.

(22) Gollin, Douglas and Zimmermann, Christian, "Malaria: Disease Impacts and Long-Run Income Differences" (2007). Economics Working Papers. 200730. http://digitalcommons.uconn.edu/econ_wpapers/200730

(23) A Iniciativa Presidencial contra a Malária. 1300 Pennsylvania Avenue, NW Washington, DC 20523: U.S. Agency For International Development, 2017. Disponível em: . Acesso em: 22 out. 2018.

(24) SOCIOECONOMIC and demographic characterization of an endemic malaria region in Brazil by multiple correspondence analysis. [S.l.]: Malaria Journal, 2017. Disponível em: . Acesso em: 22 out. 2018.

(25) COST-EFFECTIVENESS analysis of rapid diagnostic tests for G6PD deficiency in patients with Plasmodium vivax malaria in the Brazilian Amazon. [S.l.]: Malaria Journal, 2016. Disponível em: . Acesso em: 22 out. 2018.

(26) Wassmer, SC, Taylor, TE, Rathod, PK, Mishra, SK, Mohanty, S., Arevalo-Herrera, M., Duraisingh, MT,… Smith, JD (2015). Investigando a patogênese da malária severa: uma abordagem multidisciplinar e inter-geográfica. O jornal americano de medicina tropical e higiene ,




DOI: https://doi.org/10.34119/bjhrv4n1-128

Refbacks

  • There are currently no refbacks.