Fatores associados ao desmame precoce no contexto brasileiro: uma revisão da literatura / Factors associated with early weaning in the Brazilian context: a literature review

Ediane Alves de Lima Freire, Maria Eduarda Bandim da Silva, Catarine Santos da Silva, Juciany Medeiros Araújo

Abstract


Alimentação e nutrição adequadas são requisitos essenciais para o crescimento desenvolvimento das crianças, principalmente nos primeiros anos de vida e o aleitamento materno (AM) exerce esse papel na saúde da criança. Sendo assim, a Organização Mundial de Saúde recomenda o aleitamento materno exclusivo até os seis meses de idade e amamentação combinada à oferta de alimentos complementares, o aleitamento materno misto, dos seis aos 24 meses de idade ou mais. Apesar do AM ser uma prática universal, no Brasil é abandonado precocemente, estando sua duração ainda distante da recomendação preconizada. O presente trabalho tem como objetivo avaliar os fatores associados ao desmame precoce no contexto brasileiro bem como, visualizar o andamento das pesquisas a cerca desta temática. Trata-se de uma revisão de literatura de artigos


científicos, a partir dos descritores: Desmame, Saúde Infantil, Associação, Saúde Pública, nas bases de dados eletrônicas: Scientific Eletronic Library (SciELO); Medical Literature Library of Medicine (Medline), e a Literatura Latino-Americana e do Caribe (Lilacs), via Biblioteca Virtual em Saúde (BVS), para identificar artigos científicos publicados no período de 2012 a 2017, publicados nas línguas portuguesa e/ou inglesa, excetuando os artigos de revisão, pesquisas realizadas em outros países, artigos não disponíveis e artigos com duplicidade nas bases de dados. Foram encontrados dois artigos que se enquadrassem nos critérios de inclusão. Ao qual dentre os fatores associados para o desmame precoce, citou-se a necessidade das mães em retornarem as atividades laborais; crianças que não quiseram mamar; problemas maternos com relatos de fissuras, ingurgitamento, dor à sucção, angústia, ansiedade; recomendação médica e mitos populares, introdução de mamadeiras, bicos ou chupeta. Diante do exposto, faz-se necessário lembrar da importância do profissional de saúde frente ao pré-natal, por poder identificar em suas consultas os seus conhecimentos, a sua experiência prática, as suas crenças e mitos que concerne a amamentação bem como a sua vivência social e familiar para identificar sua rede de apoio. Realizar educação em saúde seja em consultas, seja em grupos cuja finalidade seja fortalecer o aleitamento materno corroborando com o aumento da qualidade de vida da população infantil é essencial.


Keywords


Amamentação, Desmame precoce, Saúde infantil.

References


BALABAN, G.; SILVA, G. A. P. Efeito protetor do aleitamento materno contra a obesidade infantil. J Pediatr (Rio J) ;80(1):7-16, 2004.

BRASIL. Ministério da Saúde. Manual de Capacitação de equipes de Unidades Básicas de Saúde na Iniciativa Unidade Básica Amiga da Amamentação (IUBAAM). Brasília (Brasil): Ministério da Saúde; 2003. Disponível em: http://www.aleitamento.med.br/a_artigos.asp?id=1&id_artigo=2336&id_subcategoria=2. Acessível em 27 de fevereiro de 2018.

BUENO, K. C. V. N. A importância do aleitamento materno exclusivo até os seis meses de idade para a promoção de saúde da mãe e do bebê. Universidade Federal de Minas Gerais/NESCON, 2013.

CORTEZ, D. N.; PIO D. F.; SILVA, M. J.; LÍVIO, P. F. Crianças em creches:

acompanhamento do crescimento e desenvolvimento. R. Enferm. Cen. O. Min. 2012 jan/abr; 2 (1): 43-50.

DEMETRIO, F.; PINTO, E. J.; ASSIS, A. M, O. Fatores associados à interrupção precoce do aleitamento materno: um estudo de coorte de nascimento em dois municípios do Recôncavo da Bahia, Brasil. Cadernos Saúde Pública, 2012.

DEWEY, K. G. Is breastfeeding protective against child obesity? J Hum Lact. 19:9-18, 2003.

FELÍCIO, C. M. Desenvolvimento normal das funções estomatognáticas. In FERREIRA, L. P.; BENFI-LOPES, D. M.; LIMONGI, S. C. O., organizadores. Tratado

de fonoaudiologia. São Paulo: Roca, p. 195-211. 2004.

GIUGLIANI, E. R.; ROCHA, V. L.; NEVES, J. M.; POLANCZYK, C. A.; SEFFRIN, C.

F.; SUSIN, L. O. Conhecimentos maternos em amamentação e fatores associados. J Pediatr (RJ); 71(2):77-81, 1995.

JAAFAR, S. H.; JAHANFAR, S.; ANGOKLAR, M.; HO, J. J. Effect of restricted pacifier use in breastfeeding term infants for increasing duration of breastfeeding. Cochrane Database Syst Rev 2012; 7: CD 007202.

KARTZ, C. R. T.; COLARES, V. Panorama sociocultural do uso da chupeta em nossa sociedade. J Bras Odontopediatr Bebê, Curitiba, v.5, n.26, p.342-350, jul./ago. 2002.

KRAMER, M. S. Do breast-feeding and delayed introduction of solid foods protect against subsequent obesity? J Pediatr. 98:883-7, 1981.

LAMOUNIER, J. A. Promoção e incentivo ao aleitamento materno: Iniciativa Hospital Amigo da Criança. J. Pediatr. (Rio J); 72(6): 363-368, 1996.

MUNIZ, M. D. Benefícios do aleitamento materno para a puérpera e o neonato: a atuação da Equipe de Saúde da Família. Formiga /Minas Gerais. 2010. Disponível em:

https://www.nescon.medicina.ufmg.br/biblioteca/imagem/2843.pdf. Acessível em: 24 de fevereiro de 2018.

NICK, M. S. A importância do aleitamento materno exclusivo nos primeiros seis meses de vida para a promoção da saúde da criança. Universidade Federal de Minas Gerais. Faculdade de Medicina. Núcleo de Educação em Saúde Coletiva; Teófilo Otoni, 2011.

SILVA, C. M.; BASSO, D. F.; LOKS, A. Alimentação na primeira infância: uma abordagem para a promoção da saúde bucal. Revista Sul Brasileira de Odontologia. 2010.

SOARES, L. D.; PETROSKI, E. L. Prevalência, Fatores etiológicos e tratamento da obesidade infantil. Revista Brasileira de Cineantropia e Desempenho Humano, v. 5,nº 1, pág: 63 a 74, 2003.

GRANVILLE-GARCIA, A. F. Hábitos de alimentação e sucção de bebês assistidos em Hospital Amigo, Campina Grande/PB, Brasil. Pesq Bras Odontoped Clin Integr, João Pessoa, 12(2):245-50, abr./jun., 2012.

SOUZA, E. A. C. S. Reflexões acerca da amamentação: uma revisão bibliográfica. Universidade Federal de Minas Gerais. Faculdade de Medicina. Núcleo de Educação em Saúde Coletiva. Belo Horizonte, 2010.

SOUZA, M. H. N.; SODRÊ, V. R. D.; SILVA, F. N. F. Prevalência e fatores associados à prática da amamentação de crianças que frequentam uma creche comunitária. Cienc. enferm. vol.21, n.1, pp.55-67. ISSN 0717-9553, 2015.

SOUZA, N. B.; VASCONCELOS, T. C. A influência de hábitos orais como fator etiológico de mordida aberta anterior. Rev CEFAC, 5(3): 235-40. 2003.

UNICEF. Aleitamento materno na primeira hora depois do parto pode reduzir a mortalidade infantil. Disponível em: https://www.unicef.org/brazil/pt/media_9993.html. Acessível em 24 de agosto de 2017.




DOI: https://doi.org/10.34119/bjhrv4n1-115

Refbacks

  • There are currently no refbacks.