Análise microbiológica de hortaliças e vegetais minimamente processados comercializados em grandes redes de supermercados de Belo Horizonte-MG/ Microbiological analysis of minimally processed vegetables sold in large supermarket chains in Belo Horizonte-MG

Izabela Almeida Martins, Amanda Carolina Vieira, Júnia Maximiano Santos Machado, Eric Liberato Gregório, Daniela Almeida do Amaral

Abstract


O consumo de vegetais e hortaliças minimamente processados tem crescido no Brasil nos últimos anos, especialmente pelo crescimento do mercado de alimentação saudável e pela praticidade que estes produtos oferecem. Considerando o exposto este trabalho objetivou realizar a análise microbiológica de vegetais e hortaliças minimamente processados comercializadas no município de Belo Horizonte-MG. A contaminação microbiológica foi avaliada em 8 amostras de vegetais e hortaliças minimamente processadas de 2 grandes redes de supermercado de Belo Horizonte-MG. Foram pesquisados coliformes à 45°C e Salmonella spp. Foi identificada ausência de Salmonella spp. em 100% das amostras analisadas e contagens de coliformes que não ultrapassaram 4,0 x 10 NMP/g. A comparação com os parâmetros da agência nacional de vigilância sanitária apontou que 100% dos produtos analisados estão em conformidade com a legislação vigente. Os resultados obtidos indicam que os produtos minimamente processados analisados estão adequados para o consumo e que o controle higiênico-sanitário adotado pelas redes de supermercados parece ser efetivo.


Keywords


Agência Nacional de Vigilância Sanitária, Microbiologia de Alimentos, Coliformes, Salmonella.

References


ALVARENGA, A. L. B.; TOLEDO, J. C. de; PAULILLO, L. F. de O. e. Qualidade e segurança de vegetais minimamente processados: proposta de estruturas de governança entre os agentes da cadeia e os sinais da qualidade. Gest. Prod., São Carlos, v. 21, n. 2, p. 341 354, June 2014. Disponível em . Acesso em 12 Oct. 2020. Epub Feb 21, 2014. https://doi.org/10.1590/S0104-530X2014005000003.

ALVES, M. G.; UENO, M. Restaurantes self-service: segurança e qualidade sanitária dos alimentos servidos. Rev. Nutr., Campinas, v.23, n.4, p.573-580, Aug. 2010. Disponível em . Acesso em 15 Oct. 2020. https://doi.org/10.1590/S1415-52732010000400008.

AGÊNCIA NACIONAL DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA. BRASIL. Ministério da Saúde. Resolução RDC nº 12, de 02 de janeiro de 2001. Aprova o Regulamento Técnico sobre Padrões Microbiológicos para Alimentos. Diário Oficial da República Federativa do Brasil. Brasília, DF, 10 jan. 2001. Seção 1, nº7-E. p.45-53.

BRASIL, Ministério da saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Manual técnico de diagnóstico laboratorial de Salmonella spp.: diagnóstico laboratorial do gênero Salmonella. Fundação Oswaldo Cruz. Brasília, 2011.: dez. v. 1, p. 17-21.

BRUNO, L. M. et al. Avaliação microbiológica de hortaliças e frutas minimamente processadas comercializadas em Fortaleza (CE). Boletim do Centro de Pesquisa de Processamento de Alimentos, [S.l.], aug. 2005. ISSN 19839774. Available at: . Date accessed: 12 oct. 2020.doi: http://dx.doi.org/10.5380/cep.v23i1.1272.

CARVALHO, L. S. C et al. Boas práticas e qualidade sanitária dos alimentos servidos em restaurantes do tipo self-service no Campus da Universidade Federal do Pará. Segurança Alimentar E Nutricional, v.23, n.2, p.924-932. 2016. https://doi.org/10.20396/san.v23i2.8645998

DEGIOVANNI, G. C. et al. Hortaliças in natura ou minimamente processadas em unidades de alimentação e nutrição: quais aspectos devem ser considerados na sua aquisição?. Rev. Nutr., Campinas, v. 23, n. 5, p. 813-822, Oct. 2010. Disponível em . Acesso em 15 Oct. 2020. https://doi.org/10.1590/S1415-52732010000500011.

FARIAS, M.L.S; BOBERMIN D.; RIBEIRO, D.H.B. Qualidade higiênico-sanitária de saladas de frutas vendidas em quiosques de praias em Florianópolis - SC durante a temporada de verão de 2015. Revista Instituto Adolfo Lutz. São Paulo, 75:1700. 2016. Disponível em < http://www.ial.sp.gov.br/resources/insituto-adolfo-lutz/publicacoes/rial/10/rial75_completa/artigos-separados/1700.pdf> Acesso em Out, 2020.

GERHARDT, T.E.; SILVEIRA, D.T. Métodos de pesquisa. Série Educação à Distância. v. 1, p. 31-33. Porto Alegre: Editora da UFRGS, 2009. Disponível em: < https://lume.ufrgs.br/bitstream/handle/10183/52806/000728684.pdf?sequence=1&isAllowed=y> Acesso em Nov. 2018.

LINS, A. D. F. et al. Qualidade microbiológica de saladas de frutas comercializadas em três municípios do Cariri Cearense. Agropecuária Técnica, v. 35, n. 1, p. 203-207, 31 dez. 2014. https://periodicos.ufpb.br/index.php/at/article/view/23369

LUND, D. G. et al. Qualidade microbiana e aspecto visual de mandioca minimamente processada. Acta Scientiarum. Biological Sciences, v. 29, n. 2, p. 213-216, 2007. https://www.redalyc.org/articulo.oa?id=187115764013

MARCHI, D. M. et al. Ocorrência de surtos de doenças transmitidas por alimentos no Município de Chapecó, Estado de Santa Catarina, Brasil, no período de 1995 a 2007. Epidemiol. Serv. Saúde, Brasília, v. 20, n. 3, p. 401-407, set. 2011. Disponível em . Acesso em 12 out. 2020. http://dx.doi.org/10.5123/S1679-49742011000300015.

NASCIMENTO, D. C.; SILVA, R. C. R.; PAVANELLI M. F. Pesquisa De Coliformes Em Água Consumida Em Bebedouros De Escolas Estaduais De Campo Mourão, Paraná. Rev. Saúde e Biol. 2013. 8(1):21-6. Disponível em: http://revistafacesa.senaaires.com.br/index.php/revisa/article/view/298 acesso em Mai. 2020.

NUNES, E. E. et al. Avaliação de diferentes sanificantes na qualidade microbiológica de mandioquinha-salsa minimamente processada. Ciênc. agrotec., Lavras, v. 34, n. 4, p. 990-994, Aug. 2010. Disponível em . access on 12 Oct. 2020. https://doi.org/10.1590/S1413-70542010000400027

PASSOS, E. de C. et al. Provável surto de toxinfecção alimentar em funcionários de uma empresa no litoral da região sudeste do Brasil. Rev. Inst. Adolfo Lutz (Impr.), São Paulo, v. 69, n. 1, 2010. Disponível em . Acesso em 15 oct. 2020.

PAULA, N. R. F. de et al. Quality of fresh-cut produce commercialized on supermarket shelves in the cities of Lavras-MG, Brasília-DF, and São Paulo-SP. Ciênc. agrotec., Lavras, v. 33, n. 1, p. 219-227, Feb. 2009. Disponível em . Acesso em 12 Oct. 2020. http://dx.doi.org/10.1590/S1413-70542009000100031.

PENA, F. de L et al. Avaliação microbiológica de hortaliças minimamente processadas disponíveis no mercado e servidas em redes de fast-food e em unidades de alimentação e nutrição nas cidades de Limeira e Campinas, São Paulo, Brasil. Segurança Alimentar E Nutricional, v.22, n.1, p.633-643. 2015. https://doi.org/10.20396/san.v22i1.8641599.

PINHEIRO, N. M. de S. et al. Avaliação da qualidade microbiológica de frutos minimamente processados comercializados em supermercados de Fortaleza. Rev. Bras. Frutic., Jaboticabal, v. 27, n. 1, p. 153-156, Apr. 2005. Disponível em . Acesso on 12 Out. 2020. http://dx.doi.org/10.1590/S0100-29452005000100040.

ROCHA, M. A. T. Análise Microbiológica de Saladas de Frutas Comercializadas em Lanchonetes da Região Central de Belo Horizonte-MG. Nutrição em Pauta, São Paulo. a. 9, n. 53, p.46-50. 2019.

SALES, W. B. et al. Ocorrência de coliformes totais e termotolerantes em pasteis fritos vendidos em bares no centro de Curitiba-PR. Demetra: Alimentação, Nutrição & Saúde, [S.l.], v. 10, n. 1, p. 77-85, mar. 2015. Disponível em: . Acesso em: 12 out. 2020. doi:https://doi.org/10.12957/demetra.2015.14142.

SANTOS, J. S.; OLIVEIRA, M. B. P. P. Revisão: alimentos frescos minimamente processados embalados em atmosfera modificada. Braz. J. Food Technol., Campinas, v.15, n.1, p.1-14, Mar. 2012. Disponível em . Acesso em 15 Out. 2020. https://doi.org/10.1590/S1981-67232012000100001.

SANTOS, K. R. S. B. et al. Estudo comparativo da couve minimamente processada e in natura, segundo aspectos de qualidade microbiológica. Demetra: Alimentação, Nutrição & Saúde, [S.l.], v. 10, n. 2, p. 279-287, maio 2015. Disponível em: . Acesso em: 12 out. 2020. doi: https://doi.org/10.12957/demetra.2015.13856.

SCHIRMER, M.; PICANCO, N. F. M.; FARIA, R. A. P. G. Importância da capacitação no controle da qualidade higiênico-sanitária em saladas de alface servidas em creches. Braz. J. Food Technol., Campinas, v. 22, e2018282, 2019. Disponível em . Acesso em 11 Set. 2020.

SHINOHARA, N. K. S. et al. Salmonella spp., importante agente patogênico veiculado em alimentos. Ciênc. saúde coletiva, Rio de Janeiro,

v. 13, n. 5, p. 1675-1683, 2008. Disponível em http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-81232008000500031&lng=en&nrm=iso Acesso em Out, 2020.

SILVA, S.R. P. da et al . Microbiological quality of minimally processed vegetables sold in Porto Alegre, Brazil. Braz. J. Microbiol., São Paulo, v. 38, n. 4, p. 594-598, Dec. 2007. Disponível em . Acesso em 12 Oct. 2020. https://doi.org/10.1590/S1517-83822007000400003.

SMANIOTO, T. F. et al. Qualidade microbiológica de frutas e hortaliças minimamente processadas. Rev. Inst. Adolfo Lutz (Impr.), São Paulo, v. 68, n. 1, abr. 2009. Disponível em . acessos em 12 out. 2020.

SOUZA, A. R. Análise microbiológica de sucos verdes comercializados na região central de Belo Horizonte – MG. Braz. J. of Develop., Curitiba, v. 6, n.4, p.19406-19420 apr. 2020. Disponível em https://mail.google.com/mail/u/0/#drafts/KtbxLthKQWSCZTKLBjVJfPwkCVkXWLrJgq Acesso em Set, 2020.

TEIXEIRA, M. C. et al. Análise Microbiológica de Saladas de Alface de Restaurantes

Self-Service do Hipercentro de Belo Horizonte-MG. Nutrição em Pauta. São Paulo, a.27, n. 158, p. 28-33. out, 2019.

VILAS-BOAS, B. M. et al. Influência do tipo de corte na qualidade de abobrinha 'Menina Brasileira' minimamente processada. Hortic. Bras., Brasília, v. 24, n. 2, p. 237-240, jun. 2006. Disponível em . Acesso em 12 out. 2020. https://doi.org/10.1590/S0102-05362006000200024.

ZANONI, K.; GELINSKI, J. M. L. N. Condições higiênico-sanitárias de salada de vegetais servidas em três restaurantes self-service em município do interior de Santa Catarina, Brasil. Revista Eletrônica de Farmácia, v. 10, n. 3, p. 13, 30 set. 2013. https://doi.org/10.5216/ref.v10i3.22023

ZEUTHEN, P. Safety criteria for minimally processed foods. In: OHLSSON, T.; BENGTSSON, N. (Eds.). Minimal Processing Technologies in the Food Industry. Cambridge: Woodhead publishing, cap. 8, p. 196- 219, 2002.




DOI: https://doi.org/10.34119/bjhrv4n1-104

Refbacks

  • There are currently no refbacks.