Necrólise Epidérmica Tóxica desencadeada por fenitoína: Um Relato de caso / Toxic Epidermal Necrolysis Triggered by Phenytoin: A Case Report

Carolina Silva Peres, Bianca Silva Peres, Amanda Silva Peres, Alberto Stoessel Sadalla Peres, Stéfane Mariano Rêgo Crispim, Vítor Bittar Prado, Yury Rhander Ferreira Gonçalves, Pedro Lemgruber Xavier Mattoso Pavie

Abstract


INTRODUÇÃO:A necrólise epidérmica tóxicaé desencadeada na maior parte das vezes por medicações, sendo caracterizada por necrose extensiva da epiderme acometendo mais de 30% da superfície corpórea, levando o paciente a apresentar aspecto de grande queimado. As medicações mais comumente associadas são o alopurinol, lamotrigina, sulfassalazina, anti-inflamatórios não esteroidais e fármacos oncológicos. OBJETIVO: Neste estudo, discutimos os principais aspectos da necrólise epidérmica tóxica através de uma revisão de literatura ilustrada por um caso clínico. METODOLOGIA: Foi realizada uma revisão bibliográfica tomando-se por referência informações obtidas nas bases de dados online PubMed e SciELO. Artigos em inglês, português, francês e espanhol foram incluídos e ilustrados com um caso clínico. RELATO DO CASO: O paciente analisado foi admitido no serviço com lesões descamativo bolhosas em 40% da superfície corporal, hematúria macroscópica e taquicardia 48 horas após uso de fenitoína. O paciente foi tratado na unidade de queimados, com suspensão da medicação e curativos seriados e teve um curso favorável da doença sem sequelas. DISCUSSÃO: Apresentamos dados para orientar o tratamento de pacientes com necrólise epidérmica tóxica para cirurgiões plásticos, pediatras, intensivistas, dermatologistas e médicos de emergência. Um alto nível de suspeita é necessário para um diagnóstico e estratificação de risco adequados, e medidas e tratamento precoces de apoio devem ser realizados por uma equipe multidisciplinar treinada para minimizar os danos e a mortalidade.

 

 


Keywords


"necrólise epidérmica tóxica", "sobreposição de Stevens- Johnson", "necrólise epidérmica tóxica" e "síndrome Stevens-Johnson".

References


Paulo Ricardo Criado, Roberta Fachini Jardim Criado, Cidia Vasconcellos, Rodrigo de Oliveira Ramos, Andréia Christina Gonçalves. Reações cutâneas graves adversas a drogas - aspectos relevantes ao diagnóstico e ao tratamento - Parte I - Anafilaxia e reações anafilactóides, eritrodermias e o espectro clínico da síndrome de Stevens-Johnson & necrólise epidérmica tóxica (Doença de Lyell). An. Bras. Dermatol., Rio de Janeiro , v. 79, n. 4, p. 471-488, Aug. 2004 .

Ana Carolina Pedigoni Bulisani, Giselle Domingues Sanches, Helio Penna Guimarães, Renato Delascio Lopes, Letícia Sandre Vendrame, Antonio Carlos Lopes. Síndrome de Stevens-Johnson e necrólise epidérmica tóxica em medicina intensiva. Rev. bras. ter. intensiva, São Paulo , v. 18, n. 3, p. 292-297, Sept. 2006 .

Robert S Stern, Sherrie J Divito. Stevens-Johnson Syndrome and Toxic Epidermal Necrolysis: Associations, Outcomes, and Pathobiology-Thirty Years of Progress but Still Much to Be Done. J Invest Dermatol. 2017;137(5):1004-1008.

S Bastuji-Garin, B Rzany, R S Stern, N H Shear, L Naldi, J C Roujeau. Clinical classification of cases of toxic epidermal necrolysis, Stevens- Johnson syndrome, and erythema multiforme. Arch Dermatol. 1993;129(1):92-96.

Thomas Harr, Lars E French. Toxic epidermal necrolysis and Stevens- Johnson syndrome. Orphanet J Rare Dis. 2010;5:39. Published 2010 Dec 16. — 2017

Nancy K Gillis, J Kevin Hicks, Gillian C Bell, Ashley J Daly, Peter A Kanetsky, Howard L McLeod. Incidence and Triggers of Stevens-Johnson Syndrome and Toxic Epidermal Necrolysis in a Large Cancer Patient Cohort. J Invest Dermatol. 2017;137(9):2021-2023.

Peggy Sekula, Ariane Dunant, Maja Mockenhaupt, Luigi Naldi, Jan Nico Bouwes Bavinck, Sima Halevy, et al. Comprehensive survival analysis of a cohort of patients with Stevens-Johnson syndrome and toxic epidermal necrolysis. J Invest Dermatol. 2013;133(5):1197-1204.

Alden, an algorith for assssment of drug causality in SSJ E net: comparison with case control analyis. Sassolas B et al. Clin Pharmacol Ther. 2010 j, 88(1):0-8. Epub 2010 Apr 0 ++ Drug causlity in SSj net in europe"analisysof 10 yea regiSCARtudy

Chuang-Wei Wang, Lan-Yan Yang, Chun-Bing Chen, Hsin-Chun Ho, Shuen-Iu Hung, Chih-Hsun Yang.Randomized, controlled trial of TNF-α antagonist in CTL-mediated severe cutaneous adverse reactions. J Clin Invest. 2018;128(3):985-996.

Hispathological and epidemiological caractesistics of pacients with eritema exudaivum multiform major SSJe NET. Rzany et al.

Valeyrie-Allanore L, Roujeau JC. Epidermal necrolysis (Stevens-Johnson syndrome and toxic epidermal necrolysis). In: Fitzpatrick's Dermatology in General Medicine, 8th ed, Goldsmith LA, Katz SI, Gilchrest BA, Paller AS (Eds), McGraw-Hill, New York 2012. — n achei o artigo

Santos Neto FC, Piccinini PS, Andary JM, Sartori LDP, Cancian LT, Uebel CO, et al. Abordagem cutânea na necrólise epidérmica tóxica. Rev. Bras. Cir. Plást.2017; 32 (1): 128-134

WONG, Anthony; MALVESTITI, Andrey Augusto; HAFNER, Mariana de Figueiredo Silva. Stevens-Johnson syndrome and toxic epidermal necrolysis: a review. Rev. Assoc. Med. Bras., São Paulo , v. 62, n. 5, p. 468-473, Aug. 2016.




DOI: https://doi.org/10.34119/bjhrv4n1-101

Refbacks

  • There are currently no refbacks.