Principais fatores associados à depressão em idosos institucionalizados/ Main factors associated to depression in institutionalized elderly

Márcya Cândida Casimiro de Oliveira, Kelton Dantas Pereira, Marcos Alexandre Casimiro de Oliveira, Marcello Antônio Teodozio Costa Pinto, João Marcos da Costa Lucena, Matheus Fontes Leite, Lucas Barbosa Sousa de Lucena, Rachel Cavalcanti Fonseca

Abstract


Com a transição demográfica, houve o aumento da longevidade evidenciando-se uma população composta por pessoas mais velhas, representando um desafio para a saúde em decorrência do aumento da depressão. Nesse cenário do envelhecimento, a demanda por Instituições de Longa Permanência cresceram. O presente estudo teve como objetivo analisar os principais fatores associados à depressão em idosos institucionalizados. Trata-se de uma revisão integrativa realizada em seis etapas que utilizou a seguinte questão norteadora: “Quais os principais fatores associados à depressão em idosos institucionalizados?”. A pesquisa foi realizada no mês de junho de 2020, nas bases de dados e bibliotecas eletrônicas: SciELO, LILACS, PubMed e BVS. Foram obtidos 71 artigos, mas pelos critérios de inclusão e exclusão estabelecidos, 10 estudos foram selecionados para compor a amostra final. A depressão nos idosos institucionalizados é superior em relação àqueles que residem com a família. A presença de comorbidades, incapacidade funcional, dependência física, menor apoio social, pouco engajamento nas atividades, pouca participação social e baixo suporte social, são fatores que influenciam na depressão e, portanto, na qualidade de vida. A detecção precoce dos sintomas depressivos é imprescindível para evitar o desenvolvimento de um quadro mais grave, minimizando os efeitos negativos para a saúde e qualidade de vida desses idosos. É necessária a realização de outras pesquisas com o objetivo de verificar outros fatores que levam à depressão nos idosos institucionalizados para que o profissional de saúde e os cuidadores saibam como intervir.


Keywords


Depressão, Envelhecimento, Instituição de longa permanência.

References


CESETTI; G.; VESCOVELLI, F.; RUINI, C. The Promotion of Well-Being in Aging Individuals Living in Nursing Homes: A Controlled Pilot Intervention with Narrative Strategies. Journal Clinical Gerontologist, v. 40, n. 5, p. 380-391, Out./Dez. 2017.

DEZUTTER, J.; TOUSSAINT, L.; LEIJSSEN, M. Forgiveness, Ego-Integrity, and Depressive Symptoms in Community-Dwelling and Residential Elderly Adults. Journals of Gerontology - Series B Psychological Sciences and Social Sciences, v. 71, n.5, p. 786-97, Sep. 2016.

DIEGELMANN, M. et al. Does a physical activity program in the nursing home impact on depressive symptoms? A generalized linear mixed-model approach. Aging & Mental Health, v. 22, n. 6, p. 784-793, Jun. 2018.

ELIAS, S. M. S. et al. Spiritual reminiscence therapy for older people with loneliness, anxiety and depression living in a residential aged care facility, Malaysia: A qualitative approach. Australasian Journal on Ageing, v. 38, n.1, Mar. 2019.

FAGUNDES, K. V. D. L. et al. Instituições de longa permanência como alternativa no acolhimento das pessoas idosas. Revista de Salud Pública, Bogotá, v. 19, n. 2, p. 210-214, Abr. 2017.

GUIMARAES, L. A. et al . Sintomas depressivos e fatores associados em idosos residentes em instituição de longa permanência. Ciência & Saúde Coletiva, Rio de Janeiro, v. 24, n. 9, p. 3275-3282, Set. 2019.

KRATZ, V. C. L. Promoção de saúde de idosos institucionalizados e crenças quanto ao envelhecer: projeto intergeracional / Health promotion of institutionalized elderly people and beliefs on aging: intergeneration project. Saúde e Pesquisa, v. 11, n. 2, p. 277-286, Mai./Ago. 2018.

LINS, I. L.; ANDRADE, L. V. R. A feminização da velhice: representação e silenciamento de demandas nos processos conferencistas de mulheres e pessoas idosas. Mediações, Londrina, v. 23, n. 3, p.436-465, Set./Dez. 2018.

MEDEIROS, P. A. Avaliação da qualidade de vida de idosos institucionalizados: revisão sistemática de estudos quantitativos. Pensar a prática, v. 20, n. 1, p. 150-171, Jan./Mar. 2017.

MELNYK, B. M. Making the case for evidence-based practice. In: MELNYK B. M.; FINEOUT-OVERHOLT, E. Evidence based practice in nursing & healthcare: a guide to best practice. Philadelphia: Lippincot Williams & Wilkins, 2005.

SANTOS JUNIOR, A. G. Caracterização sociodemográfica e a autopercepção das condições de saúde de idosos. Revista de Enfermagem UFPE, Recife, v. 12, n. 3, p. 692-700, Mar. 2018.

SYED, E. et al. Spiritual reminiscence therapy for older people with loneliness, anxiety and depression living in a residential aged care facility, Malaysia: A qualitative approach. Australasian Journal on Ageing, v. 38, n. 1, p. 25-30, Mar. 2019.

SILVA, J. V. F. et al. A relação entre o envelhecimento populacional e as doenças crônicas não transmissíveis: sério desafio de saúde pública. Ciências Biológicas e da Saúde, Maceió, v. 2, n. 3, p. 91-100, Mai. 2015.

SOUZA, M. T.; SILVA, M. D.; CARVALHO, R. Integrative review: what is it? How to do it? Einstein, v. 8, n. 1, p. 102-106, Jan./Mar. 2010.

TESKY, V. A. et al. Depression in the nursing home: a cluster-randomized stepped-wedge study to probe the effectiveness of a novel case management approach to improve treatment (the DAVOS project). Trials, v. 20, n. 1, p. 424, Jul. 2019.

UGUR, H. G. et al. The effect of music therapy on depression and physiological parameters in elderly people living in a Turkish nursing home: a randomized-controlled trial. Aging & Mental Health, v. 21, n. 12, p. 1280-1286, Dez. 2017.

VERÇOSA, V. S. L.; CAVALCANTI, S. L.; FREITAS, D. A. Prevalência de sintomatologia depressiva em idosos institucionalizados. Revista de Enfermagem UFPE, Recife, v. 10, n. 5, p. 4264-4270, Nov. 2016.

VIEIRA, S. K. S. F. et al. Características sociodemográficas e morbidades entre idosos institucionalizados sem declínio cognitivo. Revista de Pesquisa: Cuidado é Fundamental Online, v. 9, n. 4, p. 1132-1138, Out./Dez. 2017.

WESTERHOF, G. J. Precious memories: a randomized controlled trial on the effects of an autobiographical memory intervention delivered by trained volunteers in residential care homes. Aging & Mental Health, v. 22, n. 11, p. 1494-1501, Nov. 2018.




DOI: https://doi.org/10.34119/bjhrv4n1-099

Refbacks

  • There are currently no refbacks.