Aspectos psicológicos de pacientes pediátricos acometidos pelo câncer / Psychological aspects of pediatric patients affected by cancer

Isabel Campos Godinho, Amanda Teixeira Braga, Luísa Macedo Nalin, Maria Luisa Alves Peres, Thaynara Camilo Silva de Souza, Bethânia Cristhine de Araújo, Francis Jardim Pfeilsticker, Natália de Fátima Gonçalves Amâncio

Abstract


Objetivo: Compreender o processo de enfrentamento do câncer e as consequências psicossociais dessa patologia no cotidiano das crianças. Metodologia: Trata-se de uma revisão de literatura acerca dos aspectos psicológicos de pacientes pediátricos acometidos pelo câncer. Utilizou-se a estratégia PICO para a elaboração da pergunta norteadora. Ademais, realizou-se o cruzamento dos descritores “impacto psicossocial”; “pacientes pediátricos”, “diagnosticados com câncer”; “tratamento oncológico”, nas bases de dados Biblioteca Virtual de Saude (BVS); Scientific Eletronic Library Online (SCIELO); Google Scolar e EbscoHost. Resultados e Discussão: O diagnóstico e o tratamento oncológico são fatores prejudiciais no desenvolvimento infantil. Os sintomas inespecíficos e a escassez de informação retardam o reconhecimento da patologia. Assim, as crianças iniciam o tratamento em estágios avançados e são submetidas a procedimentos invasivos, o que justifica o grande impacto psicológico delas e de seus familiares. Evidenciou-se alterações no relacionamento e na rotina dos membros da família, menor sociabilidade, maior busca por espiritualidade, atraso escolar, minimização da independência já adquirida pela criança, gastos financeiros exacerbados e o surgimento de sentimentos como medo, angústia e ansiedade.  Conclusão: As pesquisas selecionadas reafirmam os impactos negativos na saúde mental infantil. Portanto, é imprescindível fomentar a realização de pesquisas científicas referentes à neoplasia pediátrica e o fornecimento de informações para os cuidadores desses pacientes, com o objetivo de minimizar a passividade atribuída às crianças em tratamento.


Keywords


Câncer infantil, Aspectos psicológicos, Diagnóstico, Tratamento.

References


ALVES, J; SOUZA, T. Funcionalidade de crianças com câncer entre dois e sete anos. Trabalho de Conclusão de Curso apresentado à Universidade Federal de Juiz de Fora, como requisito obrigatório para obtenção do título de Bacharel em Fisioterapia. Juiz de Fora, 2018.

ARRUDA-COLI, M.N.F. et. al., A recidiva do câncer pediátrico: um estudo sobre a experiência materna. Psicologia USP, Ribeirão Preto, v. 27, n° 2, p. 307-314, 2016. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/pusp/v27n2/1678-5177-pusp-27-02-00307.pdf. Acesso em: 30 out. 2020.

BOMFIM, E.S.; OLIVEIRA, B.G.D.; BOERY, R.N.S.O. Representações Sociais de Mães sobre o Cuidado ao Filho com Câncer. Rev. Enferm. Foco, Brasília, v. 11, n. 1, p. 27-31, jun. 2020. Disponível em: http://revista.cofen.gov.br/index.php/enfermagem/article/view/2337/698. Acesso em: 30 out. 2020.

BRASIL. Lei no 8.069, de 13 de julho de 1990. Dispõe sobre o Estatuto da Criança e do Adolescente e dá outras providências. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Brasília, DF, 16 jul. 1990. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l8069compilado.htm. Acesso em: 24 de set. 2020.

BRASIL. Ministério da Saúde. Câncer: sintomas, causas, tipos e tratamentos. Disponível em: https://www.saude.gov.br/saude-de-a-z/cancer. Acesso em: 23 set. 2020.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Portaria nº140, de 27 de fevereiro de 2014. Diário Oficial da República Federativa do Brasil, Brasília, seção 1, nº 42, p. 71- 85, 28 de fev. 2014.

CAPRINI, F.R; MOTTA, A.B. Câncer infantil: uma análise do impacto do diagnóstico. Psicologia: teoria e prática, v. 19, n. 2, p. 164-176, 2017. Disponível em: https://www.redalyc.org/pdf/1938/193852560009.pdf. Acesso em: 05 nov. 2020.

CHAMMAS, R. Biologia do Câncer: uma Breve Introdução. In: HOFF, P.M.G. Tratado de Oncologia. 1a ed. São Paulo: Atheneu, 2012, cap. 1, p. 66-71.

FIGUEIRÊDO, B.L; DE BARROS, S.M.M; ANDRADE, M.A.C. Da suspeita ao diagnóstico de câncer infantojuvenil: a experiência de familiares em serviços de saúde. Nova Perspectiva Sistêmica, v. 29, n. 67, p. 98-113, 2020. Disponível em: https://revistanps.com.br/nps/article/view/563/447. Acesso em: 05 nov. 2020.

FUNDAÇÃO OSWALDO CRUZ: UMA INSTITUIÇÃO A SERVIÇO DA VIDA. FIOCRUZ. A importância do desenvolvimento motor na primeira infância. 2018. Disponível em: https://portal.fiocruz.br/noticia/importancia-do-desenvolvimento-motor-na-primeira-infancia. Acesso em: 25 out. 2020.

INSTITUTO NACIONAL DE CÂNCER. Câncer Infanto-juvenil, 2020. Disponível em: https://www.inca.gov.br/tipos-de-cancer/cancer-infantojuvenil. Acesso em: 23 set. 2020.

INSTITUTO NACIONAL DO CÂNCER. Incidência de câncer. 2018. Disponível em: http://www1.inca.gov.br/wcm/incidencia/2017/pdf/grupo-tumores/criancas-adolescentes-0-19-anos-todas-neoplasias-1.pdf. Acesso em: 25 out. 2020.

JIMÉNEZ, N.N.V; MONTES, J.E.O; ALCOCER, E.C.P. Hospital Pedagogy: a space of love and recognition for the oncological pediatric patient. Texto & Contexto Enfermagem, Colômbia, v. 28, p. 1-14, 2019. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/tce/v28/es_1980-265X-tce-28-e20180112.pdf. Acesso: 05 nov. 2020.

LAWRENZ P; PEUKER, A.C; CASTRO, E.K. Illness perceptions and indicators of PTSD in mothers of childhood cancer survivors. Temas em Psicologia, v. 24, n. 2, p. 439-450, 2016. Disponível em: http://pepsic.bvsalud.org/pdf/tp/v24n2/en_v24n2a03.pdf. Data de acesso: 05 nov. 2020.

LIMA, B.C et al. O itinerário terapêutico de famílias de crianças com câncer: dificuldades encontradas neste percurso. Revista Gaúcha de Enfermagem, Porto Alegre, v. 39, p. 1-9, 2018. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/rgenf/v39/1983-1447-rgenf-39-e20180004.pdf. Acesso em: 03 nov. 2020.

LOPES, O.C. Relação entre funcionalidade e qualidade de vida em crianças e adolescentes com câncer. 2019. Qualificação da Dissertação (Mestrado em Ciências da Reabilitação e Desempenho Físico-Funcional) – Faculdade de Fisioterapia, Universidade Federal de Juiz de Fora, Minas Gerais, 2019.

MONTEIRO, N.M.L et al. Perfil Clínico e Epidemiológico dos Pacientes de um Serviço de Oncologia Pediátrica de um Hospital do Leste de Minas Gerais. Revista Médica de Minas Gerais. Ipatinga, v. 28, p. 1-5, jan-dez 2018.

OLIVEIRA, I.A.D; PAZ, C.E.D.O.D. Atuação do psicólogo junto ao paciente oncológico infantil e seus familiares. Revista Científica da Faculdade de Educação e Meio Ambiente, v.6, n. 1, p. 172-192, jan-jun 2015.

OLIVEIRA, M.T.A.D. As repercussões do câncer da criança nas relações familiares. Trabalho de Conclusão de Curso (Bacharelado em Enfermagem) - Universidade de Brasília. Brasília, 31f, 2018.

OLIVEIRA, T.C.A. O Estado da Arte das Pesquisas sobre o Sofrimento Psíquico em Familiares Cuidadores de Crianças no Tratamento do Câncer. Revista IGT na Rede, v.13, nº 25, p. 202-217, 2016. Disponível em: http://www.igt.psc.br/ojs. Acesso em: 04 nov. 2020.

SANTOS, D.P.D. Repercussões do câncer infantil na vida da criança e nos subsistemas familiares: revisão integrativa da literatura. Trabalho de conclusão de curso (Bacharelado em Enfermagem) - Universidade de Brasília. Brasília, 23f, 2016.

SILVA, S.; MELO, C.F.; MAGALHÃES, B. A recidiva em oncologia pediátrica a partir da perspectiva dos profissionais. Psicologia, Saúde & Doenças, v. 20, n. 2, p. 542-555, 2019. Disponível em: http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?pid=S1645-00862019000200021&script=sci_arttext&tlng=es. Acesso em: 05 nov. 2020.

SILVA, P.L.N. et al. Câncer infantil: vivências de crianças em tratamento oncológico. Enfermagem em Foco, v.7, n. 3/4, p. 51-55, 2016. Disponível em: http://revista.cofen.gov.br/index.php/enfermagem/article/view/916/0. Acesso em: 04 nov. 2020.

SILVA, S. et al. A recidiva em oncologia pediátrica a partir da perspectiva dos profissionais. Sociedade Portuguesa de Psicologia da Saúde, Fortaleza, v. 20, p. 542-555, 2019. Disponível em: http://www.scielo.mec.pt/pdf/psd/v20n2/v20n2a21.pdf. Acesso em: 30 out. 2020.

SILVA-RODRIGUES, F.M et al. Concepções dos pais acerca da doença oncológica e do tratamento quimioterápico de seus filhos. Revista de Enfermagem da UFSM – REUFSM, v.10, p. 1-17, 2020. Disponível em: https://periodicos.ufsm.br/reufsm/article/view/35898/html. Acesso em: 05 nov. 2020.

SIQUEIRAS, H.C.H. et al. Repercussões do câncer infantil no ambiente familiar. RevNorte Mineira de enferm., v. 8, n. 1, p. 20-29, 2019. Disponível em: https://www.periodicos.unimontes.br/index.php/renome/article/view/2250/2318. Acesso em: 02 nov. 2020.

SIQUEIRA, H.B.O.M. et al. Expressão da dor na criança com câncer: uma compreensão fenomenológica. Estudos de Psicologia (Campinas), v. 32, n. 4, p. 663-674, 2015. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/estpsi/v32n4/0103-166X-estpsi-32-04-00663.pdf. Acesso em: 29 out. 2020.

SOUZA, L. C.; DE OLIVEIRA, B. L. G. Fatores psicológicos envolvidos no câncer infantil. Revista Uningá, [S.l.], v. 51, n. 2, fev. 2017. ISSN 2318-0579. Disponível em: http://revista.uninga.br/index.php/uninga/article/view/1344. Acesso em: 24 set. 2020.

THOMAS, S.M. et al. A prospective comparison of cancer clinical trial availability and enrollment among adolescents/young adults treated at an adult cancer hospital or affiliated children’s hospital. Cancer, v. 124, n. 20, p. 4064-4071, 2018a. Disponível em: https://acsjournals.onlinelibrary.wiley.com/doi/pdf/10.1002/cncr.31727. Acesso em: 07 nov. 2020.

THOMAS, S.M. et al., A prospective, observational cohort study comparing câncer clinical trial availability and enrollment between early adolescents/young adults and children. Cancer, v. 124, n.5, p. 983-990, mar. 2018b. Disponível em: https://acsjournals.onlinelibrary.wiley.com/doi/epdf/10.1002/cncr.31127. Acesso em: 05 nov. 2020.




DOI: https://doi.org/10.34119/bjhrv4n1-072

Refbacks

  • There are currently no refbacks.