Avaliação da autoestima em mulheres no período puerperal / Evaluation of self-esteem in women in the postnatal period

Nathália Gianini Nery, Patrícia Mônica Ribeiro, Sueli de Carvalho Vilela, Denismar Alves Nogueira, Eliana Peres Rocha Carvalho Leite, Fábio de Souza Terra

Abstract


Introdução: A gestação é um momento de intensas mudanças para a mulher, englobando alterações físicas, psicológicas e hormonais no seu corpo, sendo o puerpério um período passível de riscos, podendo promover a desordem e o desequilíbrio emocional, influenciando diretamente na autoestima, e considera-se essencial que a atenção prestada pela enfermagem seja qualificada. Objetivo: avaliar a autoestima em mulheres no período puerperal.  Método: abordagem quantitativa, descritiva-analítica e transversal, desenvolvida com 168 mulheres no período puerperal em um hospital de um município brasileiro. A coleta de dados ocorreu em 2018, após aprovação do Comitê de Ética em Pesquisa, por meio de entrevista e utilização de questionário e da Escala de Autoestima de Rosemberg. Foram utilizados para análise dos dados a estatística descritiva, teste de Qui-quadrado de Pearson e Exato de Fisher, odds ratio e regressão logística. Resultados: a maioria dessas mulheres apresentou autoestima média e as variáveis renda familiar mensal, escolaridade, uso de tabaco, gravidez planejada, primeiro parto, ajuda para cuidar do recém-nascido, relação com o pai e influência da mudança física durante a gestação na vida da puérpera apresentaram associação estatística com a autoestima.  Conclusão: nota-se a necessidade de realizar ações em todo o ciclo gravídico-puerperal, a fim de prevenir alterações na autoestima e favorecer o vínculo entre binômio mãe/filho.

 


Keywords


Autoimagem, Período Pós-parto, Saúde da Mulher, Obstetrícia.

References


Watson B, Fuller-Tyszkiewiczet M, Broadbent J, Skouteris H. The meaning of body image experiences during the perinatal period: a systematic review of the qualitative literature. Body Image. 2015 [acesso em 11 fev 2020]; 14(10). Disponível em: https://doi.org/10.1016/j.bodyim.2015.04.005

Spindola T, Penha LH, Lapa A da T, Cavalcante AL da S, Silva JMR, Santana RSC. Período pós-parto na ótica de mulheres atendidas em um hospital universitário. Enferm. Foco. 2017 [acesso em 11 mai 2020]; 8(1). Disponível em: http://revista.cofen.gov.br/index.php/enfermagem/article/view/847/364.

Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Políticos de Saúde. Área Técnica de Saúde da Mulher. Parto, aborto e puerpério: assistência humanizada à mulher. 2001. [acesso em 04 mai 2020]; Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/cd04_13.pdf

Costa PF, Brito RS. Orientações ofertadas às puérperas no alojamento conjunto: revisão integrativa da literatura. REpS. 2016 [acesso em 08 mai 2020]; 17(2). Disponível em: http://dx.doi.org/10.22421/1517-7130.2016v17n2p237

Coelho CA. Determinantes das alterações psicoemocionais do puerpério: Efeitos da autoestima [dissertação]. Portugal: Instituto Politécnico de Viseu; 2015. [acesso em 19 jan 2020]. Disponível em http://repositorio.ipv.pt/bitstream/10400.19/2839/1/COELHO%2c%20CatarinaAlexandraToipa%20DM.pdf

Hutz CS, Zanon C. Revision of the adaptation, validation, and normatization of the Roserberg self-esteem scale. Aval. psicol. 2011 [acesso em 12 jan 2020]; 10(1). Disponível em: http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1677-04712011000100005&lng=pt.

Oliveira TD, Rocha KS, Escobal AP, Matos GC, Cecagno S, Soares MC. The Guidelines Regarding Puerperal Period that are Received by Women Under Immediate Puerperium. Rev Fund Care Online. 2019. 11(3):620-626. Disponível em: DOI: http://dx.doi. org/10.9789/2175-5361.2019.v11i3.620-626.

Medeiro SA, França LH, Hernandez JAE. Validação da Escala de Avaliação da Satisfação com a Imagem Corporal com Obesas Mórbidas. Psicologia & Conexões. 2020. 1(1). Disponível em: http://periodicos.estacio.br) Doi: 10.29327/psicon.v1.2020-1

Maçola L, Vale IN do, Carmona EV. Avaliação da autoestima de gestantes com uso da Escala de Autoestima de Rosenberg. Rev. esc. enferm. USP; 2010. 44(3). Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/S0080-62342010000300004.

Yoshida T, Matsumura K, Tsuchida A, Hazamaki K. Influence of parity and mode of delivery on mother–infant bonding: The Japan Environment and Children's Study. ‎J. Affect. Disord. 2020. 263:516-20. Disponível em: https://doi.org/10.1016/j.jad.2019.11.005

Kassada DS, Marcon SS, Pagliarini MA, Rossi RM. Prevalence of drug abuse among pregnant women. Acta paul. enferm. 2013. 26(5). Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/S0103-21002013000500010.

Souza DM do N, Mendes IC, Oliveira ET de, Chagas ACM de A, Catunda HLO, Oriá MOB. Mortalidade materna por causas hipertensivas e hemorrágicas: análise epidemiológica de uma década. Rev. Enferm. UERJ. 2014. 22 (4). Disponível em: https://www.e-publicacoes.uerj.br/index.php/enfermagemuerj/article/view/15314

Jantsch PF, Carreno I, Pozzobon A, Adami FS, Leal C de S, Mathias TC da S, et al. Principais características das gestantes de alto risco da região central do Rio Grande do Sul. Revista Destaques Acadêmicos. 2017. 9(3). Disponível em: http://univates.br/revistas/index.php/destaques/article/view/1534

Brito CN de O, Alves SV, Ludermir AB, Araújo TVB de. Depressão pós-parto entre mulheres com gravidez não pretendida. Rev. Saúde Pública; 2015. 49. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/S0034-8910.2015049005257.

Organização Mundial da Saúde (OMS). Declaração da OMS sobre taxas de cesáreas. 2015. [acesso em 13 fev. 2019]. Disponível em: https://apps.who.int/iris/bitstream/handle/10665/161442/WHO_RHR_15.02_por.pdf;jsessionid=1ED620ABDF117E0CD0B9BEC587B51635?sequence=3

Prefeitura do Município de Varginha (Minas Gerais). Atualização do diagnóstico social do município de Varginha, MG. 2016/2017. [acesso em 06 abr 2020]. Disponível em: http://www.varginha.mg.gov.br/Pdfs_e_arquivos_de_leis/Atualizacao_Diagnostico_Social_(2017).pdf

Silva EAR, Silva GG, Carniel F. Perfil das parturientes e seus recém-nascidos em um municipio da amazônia legal. Brazilian Journal of Surgery and Clinical Research – BJSCR. 2019. 29(2):34-9. Disponível em: https://www.mastereditora.com.br/periodico/20200105_101907.pdf.

Brasil. Ministério da Saúde. Manual Técnico: Pré-natal e puerpério, atenção qualificada e humanizada. Brasília: 2006. [acesso em 10 mai 2020]. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/manual_pre_natal_puerperio_3ed.pdf

Cabral SAA de O, Alencar MCB de, Carmo LA do, Barbosa SE da S, Barros ACCV , Barros JKB. Receios na Gestação de Alto Risco: Uma Análise da Percepção das Gestantes no Pré-Natal. Id on Line Rev. Mult. Psic. 2018. 12(40). Disponível em: https://idonline.emnuvens.com.br/id/article/view/1051

Carvalho PI, Frias PG, Lemos MLC, Frutuoso LAL, Figueirôa BQ, Pereira CCB, et al. Perfil sociodemográfico e assistencial da morte materna em Recife, 2006-2017: estudo descritivo. Epidemiol. Serv. Saude, Brasília. 2020. 29(1):e2019185. Disponivel em: doi: 10.5123/S1679-49742020000100005.

Lima SP, Santos EKA dos, Erdmann AL, Souza AIJ de. Desvelando o Significado da Experiência vivida para o ser-mulher na amamentação com complicações puerperais. Texto contexto – enferm. 2018. 27(1). Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/0104-07072018000880016.

Dias M de S, Silva RA da, Souza LD de M, Lima R da C, Pinheiro RT, Moraes IG da S. Auto-estima e fatores associados em gestantes da cidade de Pelotas, Rio Grande do Sul, Brasil. Cad. Saúde Pública; 2008. 24(12). Disponível em:http://dx.doi.org/10.1590/S0102-311X2008001200007.

Machado CD, Vinholes DB, Feldens VP. Avaliação da autoestima de gestantes atendidas em um ambulatório no município de Tubarão, SC. Arq Catarin Med. 2013 42(2). Disponível em: http://www.acm.org.br/revista/pdf/artigos/1228.pdf

Azizi M, Mohamadian F, Ghajarieah M, Direkvand-Moghadamn A. The Effect of Individual Factors, Socioeconomic and Social Participation on Individual Happiness: A Cross-Sectional Study. J Clin Diagn Res. 2017. 11(6). Disponível em: http://dx.doi.org/10.7860/JCDR/2017/24658.9982.

Gonçalves AM, Teixeira MT, Gama JR, Lopes CS, Silva GA, Gamarra CJ, et al. Prevalência de depressão e fatores associados em mulheres atendidas pela Estratégia de Saúde da Família. J. bras. psiquiatr. 2018. 67(2). Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/0047-2085000000192.

Castan JU, Brentano V. Psicodiagnóstico na Unidade de Internação Psiquiátrica de um Hospital Universitário: descrição da demanda de 2015. Rev. SBPH. 2017. 20(1). Disponível em: http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1516-08582017000100012&lng=pt.

Tavakol Z, Moghadam ZB, Nasrabadi AN, Iesazadeh N, Esmaeili M. Marital satisfaction through the lens of Iranian women: a qualitative study. The Pan African Medical Journal. 2016. 25. Disponível em: http://dx.doi.org/10.11604/pamj.2016.25.208.9769

Avelar CFP de, Veiga RT. Como entender a vaidade feminina utilizando a autoestima e a personalidade. Rev. adm. empres. 2013. 53 (4). Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/S0034-75902013000400002

World Health Organization (WHO). WHO report on the global tobacco epidemic, 2015: Raising taxes on tobacco. [Internet]. 2015 [acesso em 13 jan 2020]. Disponível em: https://www.who.int/tobacco/global_report/2015/report/en/.




DOI: https://doi.org/10.34119/bjhrv4n1-063

Refbacks

  • There are currently no refbacks.