Caracterização de óleo rico em compostos bioativos extraído do descarte da agroindústrias de tomate / Characterization of oil rich in bioactive compounds extracted from the disposal of tomato agroindustries

Cristiane Hess de Azevedo Meleiro, Luiz Augusto da Cruz Meleiro, Marisa Fernandes Mendes, Maria Rosa Figueiredo Nascimento, Bárbara Avancini Teixeira

Abstract


Este trabalho teve como objetivo extrair um óleo proveniente do resíduo agroindustrial do tomate e caracterizá-lo quanto aos rendimentos de extração por diferentes processos de acordo com seus índices de identidade e qualidade e quanto às suas propriedades bioativas. Foram utilizadas a casca e as sementes do tomate que, após serem secos e moídos, a farinha obtida passou por processos de extração do seu conteúdo lipídico com os seguintes métodos: Soxhlet (utilizando hexano e éter de petróleo), Bligh & Dyer (extração a frio) e extração por CO2 supercrítico (SC-CO2). Na extração com fluido supercrítico foram realizados quatro experimentos nas condições operacionais de 60°C-200 bar, 60°C-300 bar, 75°C-230 bar e 45°C-230 bar. Os índices de qualidade analisados neste óleo foram acidez e peróxido. A identificação do material lipídico extraído foi feita por índice de refração, índice de iodo calculado e pelo perfil em ácidos graxos analisado por cromatografia em fase gasosa (CG). A quantificação do teor de carotenoides totais, expresso em licopeno, foi feita por espectrofotometria em UV-visível e o perfil qualitativo foi traçado por cromatografia líquida de alta eficiência com detector de arranjo de diodos (CLAE-DAD). A comparação entre os métodos de extração constatou que o melhor processo para obtenção do óleo foi por Soxhlet com os solventes hexano e éter de petróleo, com os quais se obteve rendimentos em torno de 10,0%. Estes solventes também tiveram destaque no arraste do licopeno, sendo extraídos 461 mg/g e 336 mg/g de carotenoides totais expressos em licopeno com hexano e éter de petróleo, respectivamente. Quanto às extrações em SC-CO2, os melhores resultados em massa extraída foram as que ocorreram nas condições de 75 °C-230 bar e 45 ºC-230 bar. Quanto aos índices de qualidade e identidade, o óleo bruto apresentou índice de ácidos graxos livres de 8,6 % expresso em ácido oleico, índice de peróxidos de 16,04 meq/kg, índice de refração de 1,47 a 20°C e índice de iodo calculado de 114,5 a 124,6 gI2/100g. Em seu perfil de ácidos graxos, destaca-se a sua predominância em ácidos graxos insaturados, principalmente o linoleico. O óleo extraído apresentou grande quantidade do fitoquímico bioativo licopeno, que é um composto com reconhecidas propriedades antioxidantes, o que o caracteriza como uma opção promissora para utilização do resíduo agroindustrial do tomate.


Keywords


Solanum lycopersicum, aproveitamento de resíduos de vegetais, carotenoide.

References


AL-WANDAWI, H.; ABDUL-RAHMAN, M.; AL-SHAIKHLY, K. Tomato processing waste as essential raw materials source. Journal Agricultural Food Chemistry, Easton, v. 33, p. 804-807, 1985.

A.O.C.S. AMERICAN OIL CHEMISTS SOCIETY. Official methods and recommended practices of the A.O.C.S., 2004, 2005.

ARAÚJO, M.A. Química de alimentos. Teoria e prática. Viçosa: Imprensa Universitária da Universidade Federal de Viçosa, 1995. p. 247.

ATISH, P., KUMAR, A. (2014). Implicating the role of lycopene in restoration of mitochondrial enzymes and BDNF levels in β-amyloid induced Alzheimer's disease. European Journal of Pharmacology, 741, p.104-111.

BARCELOS, M. F. P.; MELLO, L. C. P.; CORREA, M. A.;VILELA, M. J. C. Subprodutos do processamento de tomate: avaliação química e biológica. Boletim da Sociedade Brasileira de Ciência e Tecnologia de Alimentos, Campinas, v. 26, p. 108-117, 1992.

BLIGH, E.G.; DYER, W.J.; CAN. J. Biochem. Physiol. 1959, 37, 911.

BRAMLEY PM. 2000. Is lycopene benefici al to human health? Phytochem 54:233-236.

BROCHIER, M.A.; CARVALHO, S. Consumo, ganho de peso e análise econômica da terminação de cordeiros em confinamento com dietas contendo diferentes proporções de resíduo úmido de cervejaria. Arq. Bras. Med. Vet. Zootec., Novo Hamburgo, Rio Grande do Sul, v.60, n.5, p.1205-1212, 2008.

CADONI, E., DE GIORGI, M. R., MEDDA, E., POMA, G., Supercritical CO2 extraction of lycopene and β-carotene from ripe tomatoes, Dyes and pigments, 2000, 44, p. 27-32.

CIURLIA, L., BLEVE, M., RESCIO, L., Supercritical carbon dioxide co-extraction of tomatoes (Lycopersicum esculentum L.) and hazelnuts (Corylus avellana L.): A new procedure in obtaining a source of natural lycopene, The Journal of Supercritical Fluids, 2009, 49, p. 338-344.

DI MASCIO, P.; KAISER, S.; SIES, H. Lycopene as the most efficient biological singlet oxygen quencher. Arch. Biochem. Biophys. 274:532-8,1989.

HARTMAN, L.; LAGO, B. C. A. Rapid preparation of fatty methyl esters from lipids. Laboratory Practice, v. 22, p. 475 - 77, 1973.

INSTITUTO ADOLFO LUTZ. Métodos Físico-Químicos para Análise de Alimentos. Edição IV. Instituto Adolfo Lutz. Brasília, 2005.

KARNOFSKY, G. The Theory of Solvent Extraction, 1949. JAOCS, vol. 26, 564-569.

KOBORI, C. N. & JORGE, N. Caracterização dos óleos de algumas sementes de frutas como aproveitamento de resíduos industriais Ciênc. agrotec., Lavras, v. 29, n. 5, p. 1008-1014, set./out., 2005.

KRIS-ETHERTON, P.M., HECKER, K.D., BONANOME, A., COVAL, S.M., BINKOSKI, A.E.,HILPERT, K.F., GRIEL, A.E. & ETHERTON, T.D. 2002. Bioactive compounds in foods: their role in the prevention of cardiovascular disease and cancer. Am. J. Med., 113(Suppl. 9B): 71S–88S.

MAIA, E. L. Otimização da metodologia para caracterização de constituintes lipídicos e determinação da composição em ácidos graxos e aminoácidos de peixes de água doce. Campinas, 1992. Tese (Doutorado em Ciência de Alimentos), Faculdade de Engenharia de Alimentos, Universidade Estadual de Campinas - UNICAMP.

MARQUES, C. S. S. O licopeno como composto bioativo do tomate. Dissertação de Mestrado em Qualidade e Tecnologia Alimentar. Escola Superior Agrária de Viseu do Instituto Politécnico de Viseu, Portugal. 2015

MINANI, K.; FONSECA, H. Tomate: produção, pré-processamento e transformação agroindustrial. Campinas: FEALQ, 1985. (Série extensão agroindustrial, 8).

NOBRE, B. P., PALAVRA, A. F., PESSOA, F. L. P., MENDES, R. L., Supercritical CO2 extraction of trans-lycopene from Portuguese tomato industrial waste, Food Chemistry, 2009, 116, p. 680-685.

PELISSARI F. M., RONA, M. S. S., MATIOLI, G. O licopeno na prevenção de doenças. Arquivos do Mudi. 2008;12(1):5-11. Maringá, PR.

RAFI, M. M.; KANAKASABAI, S.; REYES, M. D.; BRILHANTE, J. J. (2013). Lycopene modulates growth and survival associated genes in prostate cancer. Journal of Nutritional Biochemistry, 24, p. 1724-1734.

RODRIGUEZ-AMAYA, D. B. A guide to carotenoid analysis in foods. International Life Science Institute, Washinghn, D.C., 2001. 64p.

ROY, B. C.; GOTO, M.; HIROSE, T. Temperature and pressure effects on supercritical CO2 extraction of tomato seed oil. Journal of Food Science and Technology, Trivandrum, v. 31, p. 137-141, 1996.

SAHLIN, E., G.P. SAVAGE AND C.E. LISTER, Investigation of the antioxidant properties of tomatoes after processing. J. Food Compos. Anal., 2004, 17: 635-647.

SHAHIDI, F. Quality Assurance of Fats and Oils In: SHAHIDI, F (Org.) Bailey’s Industrial Oil & Fat Products. 6ª ed. v.1. John Wiley & Son. New York p.565-576, 2005.

SOGI, D. S.; KIRAN, J.; BAWA, A. S. Characterization and utilization of tomato seed oil from tomato processing waste. Journal of Food Science and Technology, Trivandrum, v.36, n. 3, p. 248-249, 1999.

SOXHLET, F.; Polytechnisches J. 1879, 232, 461.

STAHL, W; SIES, H. Lycopene: a biologically important carotenoid for humans? Archives of Biochemistry and Biophysics, Amsterdam, v. 336, n. 1, p. 1-9, 1996.

YI, C., SHI, J., XUE, S. J., JIANG, Y., LI, D., Effects of supercritical fluid parameters on lycopene yield and antioxidant activity, Food Chemistry, 2009, 113, p. 1088-1094.




DOI: https://doi.org/10.34119/bjhrv4n1-055

Refbacks

  • There are currently no refbacks.