Eventos críticos na pré-aposentadoria: foco nas estratégias de enfrentamento/Critical events in pre-retirement: focus on coping strategies

Debora Aparecida Moura Campos, Marluce AuxiliadoraBorges Glaus Leão

Abstract


Este artigo trata dos eventos críticos presentes na fase de pré-aposentadoria e as estratégias de enfrentamento de funcionários inscritos no ano de 2015, em um programa de preparação para a aposentadoria (Pós-carreira), de uma empresa privada. Foram realizadas entrevistas semi-estruturadas com 11 participantes; 10 homens e uma mulher, selecionados pelo fato de responderem em um questionário de características socio-ocupacionais, a pergunta aberta a respeito de eventos de vida pelos quais passavam e avaliavam como críticos. Os dados das entrevistas foram submetidos a análise de conteúdo. Os participantes elencaram como principais eventos críticos e riscos significativos aos quais estavam expostos: problemas de saúde pessoal ou na família, e dependência financeira dos filhos. Os aspectos financeiros, os recursos intelectuais, emocionais e sociais emergiram como preocupação para esse grupo. Em todos os depoimentos apontaram a necessidade de ativar estratégias de enfrentamento diante do futuro evento de vida aposentadoria; alguns com estratégias já em prática, e outros, na busca dessa. Conclui-se que a maioria dos participantes demonstrou um esforço de adaptação positiva frente ao novo momento de vida, entendem que os eventos críticos pelos quais passam podem ameaçar seu desenvolvimento e envelhecimento.


Keywords


Eventos críticos, Pré-aposentadoria, Resiliência, Estratégias de enfrentamento.

References


Zanelli JC, Silva N, Soares DHP. Orientação para aposentadoria nas organizações de trabalho: construção de projetos para o pós-carreira. Porto Alegre: Artmed, 2010.

Fontes AP, Neri AL. Resiliência e velhice: revisão de literatura. Ciênc. saúde coletiva, Rio de Janeiro, 2014, 20: 1475-1495.

Job JRPP. A escritura da resiliência: testemunhas do holocausto e a memória da vida. Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2000.

Lazarus RS, Folkman S. Stress, appraisal, and coping. New York: Springer, 1984.

França LHFP, Nalin CP, Brito ARS, Amorin SM, Rangel T, Elkman NCA. Percepção dos gestores brasileiros sobre os programas de preparação para a aposentadoria. Estudos Interdisciplinares do Envelhecimento, Porto Alegre, 2014, 19: 879-898.

Fortes A, Neri AL. Eventos de Vida e Envelhecimento Humano. In: YASSUDA, M.; NERI, A. L.; CACHIONI, M. (Org.) Velhice Bem-Sucedida: aspectos afetivos e cognitivos. Campinas: Papirus, 2004. 51-70.

Neves JL. Pesquisa qualitativa: características, usos e possibilidades. Caderno de pesquisa em administração, 1996.

Turato ER. Tratado da metodologia da pesquisa clínico-qualitativa. Petrópolis: Vozes, 2003.

BARDIN, L. Análise de conteúdo. Coimbra, Portugal, 2010.

Riegel, KF. The dialectics of human development. American Phsychologist, 1976, 31: 689-700.

Brandestadter J, Greve W. The Aging Self: Stabilizing and Protective Processes. Developmental Review, 1994, 14: 52-80.

Neri AL, Freire SA. E por falar em boa velhice. Campinas: Papirus, 2000.

Araújo EB. Novo amanhecer, novos caminhos: o que fazer após se aposentar. São Paulo: Universidade Metodista de São Paulo, 2009.

França LHFP, Bendassolli PF, Menezes GS, Macêdo LSS. Aposentar-se ou continuar trabalhando? O que influencia esta decisão. Psicologia: Ciência e Profissão, 2013, 3: 548-63.

Diehl H. Self-development in adulthood and aging: The role os critical life events. In: RYFF, C. D.; MARSHALL, V. W. The self and society in aging processes. Nova York: Springer Publishing Co., 1999. 150-183.

Ruhum C. Career jobs, bridge employment, and retirement. In: DOERINGER, P. (Ed.) Bridges to retirement. Ithaca: ILR Press, 1990, 92-110.

Kim S, Feldman D. Working in retirement: The antecedents of bridge employment and its consequences for quality of life in retirement. Academy of Management Journal, 2000, 43: 1195-1210.




DOI: https://doi.org/10.34119/bjhrv4n1-047

Refbacks

  • There are currently no refbacks.