Movimento Antivacina: a propagação de uma distopia que ameaça a saúde da população brasileira / Antivacin Movement: the spread of a dystopia that threatens the health of the Brazilian population

Ana Cecília Gomes Rosa Luiz, Bruna Silveira Caixeta, Milena Ferreira Cruvinel, Sarah Peres Amorim Anjos, Stéfany Gonçalves Braga, Karine Cristine de Almeida, Maura Regina Guimarães Rabelo, Natália de Fátima Gonçalves Amâncio

Abstract


A imunização deve ser entendida como um regulador no processo saúde-doença e é uma das formas mais seguras e eficazes de prevenir enfermidades e de reduzir a propagação de doenças existentes. Apesar disso, o movimento antivacinação alcançou uma ascendência mundial, fator que pode provocar consequências desastrosas e moldar o percurso da doença e do cuidado na população. Dessa forma, o objetivo desta revisão literária é evidenciar os dados de cobertura vacinal e discutir as razões pelas quais o movimento antivacina ocorre em um contexto de globalização e mídias sociais, bem como os impactos provocados na saúde brasileira. Trata-se de um estudo quantitativo, descritivo, do tipo transversal, por meio do qual foi realizado levantamento da cobertura vacinal brasileira registrados no Sistema de Programa de Imunização - DATASUS, no Brasil, no período de 2015 a 2020. De acordo com os dados analisados, é notório que houve uma redução de 41,72% da cobertura vacinal entre os anos de 2015 e 2020. Conclui-se então a necessidade de esclarecer a população sobre a importância das vacinas e o perigo representado pela não vacinação.


Keywords


Movimento Antivacina, Cobertura Vacinal, Hesitação Vacinal, Vacinação Brasileira.

References


ALMEIDA, C. M. S. et al. Correlação entre o aumento da incidência de sarampo e a diminuição da cobertura vacinal dos últimos 10 anos no Brasil. Brazilian Journal of Development. Curitiba, v.3, n.1, p. 406-415 jan./feb. 2020.

APS, L. R. M. M. et al. Eventos adversos de vacinas e as consequências da não vacinação: uma análise crítica. Revista de Saúde Pública, v. 52, p. 40, 2018.

ARROYO, L. H. et al. Áreas com queda da cobertura vacinal para BCG, poliomielite e tríplice viral no Brasil (2006-2016): mapas da heterogeneidade regional. Caderno de Saúde Pública, Rio de Janeiro, v. 36, n. 4, 06 de abr. de 2020. Disponível em: . Acesso em: 13 nov. 2020.

CAVALCANTE, K. R L. J. et al. Risco de reintrodução da febre amarela urbana no Brasil. Revista Epidemiol. Serv. Saude, Brasília, v. 26 n.3, p. 617-620, jul/set. 2017.

COUTO, T. M. et al. Considerações sobre o impacto da COVID-19 na relação indivíduo-sociedade: da hesitação vacinal ao clamor por uma vacina. p 1-19. Set, 2020.

FERREIRA, M. V. et al. Movimento antivacinação no Facebook®: uma análise crítica da disseminação de notícias falsas. Brazilian Journal of Development. Curitiba, v.6, n.9, p.66669-66685. Set, 2020.

JUNIOR, V. L. P. Comunicação breve Anti-vacinação, um movimento com várias faces e consequências. Brasília: Caderno Ibero Americanos de Direito Sanitário, 2019.

NASSARALLA, A. P. A. et al. Dimensões e consequências do movimento antivacina na realidade brasileira. Revista Educação em Saúde. Goiás, v.7, p 120-125. 2019.

OZAWA, S. et al. Impacto econômico estimado das vacinações em 73 países de baixa e média renda 2001-2020. Bull World Health Organ. v.95, p 629–638. Set, 2017.

SARAIVA, L. J. C. et al. A Ciência e a Mídia: A propagação de Fake News e sua relação com o movimento anti-vacina no Brasil. Intercom – Sociedade Brasileira de Estudos Interdisciplinares da Comunicação. 42º Congresso Brasileiro de Ciências da Comunicação. Belém – PA, 2019.

SHIMIZU, N. R. Movimento antivacina: a memória funcionando no/pelo (per)curso dos sentidos e dos sujeitos na sociedade e-urbana. Revista do Edicc, v. 5, nº 1, 2018. Disponível em: . Acesso em: 23 set. 2020.

SOUSA, J. G. et al. Movimento antivacinação: uma ameaça à humanidade. Rev. e-ciência, 7(2): 41-42, 2019. Disponível em: . Acesso em: 25 set. 2020.

World Health Organization. Plano de Ação Global para Vacinas 2011-2020. Estados Unidos da América: WHO; 19 de nov. de 2019. Disponível em: . Acesso em: 26 set. 2020.




DOI: https://doi.org/10.34119/bjhrv4n1-034

Refbacks

  • There are currently no refbacks.