Vivência na maternidade no acolhimento com classificação de risco diante da assistência obstétrica / Experience in hosting maternity with risk classification before obstetric assistance

Maria José Dias Gonzaga, Antônia Rejania Ávila, Francisco Edeyllson Sousa Sales, Lorena Timbó Veiga Dos Santos, Raila Souto Pinto Menezes, Tiago Sousa de Melo

Abstract


Introdução: A redução da morbimortalidade materna e neonatal permanece como um desafio no âmbito Mundial. Objetivo: Relatar a experiência da inserção da equipe multiprofissional de residentes em Urgência e Emergência no setor da maternidade. Metodologia: Trata-se de um relato de experiência de caráter descritivo com abordagem qualitativa. Discussão: A assistência era prestada por toda a equipe da maternidade que esteja de plantão, sendo os residentes e enfermeira executando o primeiro contato e os cuidados seguindo os protocolos de assistências em emergências obstétricas. Os residentes realizavam o acolhimento da gestante com escuta qualificada, ouvindo sua queixa principal e identificação de possíveis intercorrências gestacional. Conclusão: Portanto, a atuação com a equipe multiprofissional, favoreceu uma assistência integral, viabilizando o acesso qualificado e atendimento com resolutividade, evitando desfechos desfavoráveis e impactando positivamente nos indicadores de morbidade e mortalidade materna e perinatal.

 

 


Keywords


Acolhimento, Obstetrícia, Residência Hospitalar.

References


Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção a Saúde. Manual de acolhimento e classificação de risco em obstetrícia. Departamento de Ações Programáticas Estratégicas, Departamento de Atenção Hospitalar e Urgência. Brasília: Ministério da Saúde, p. 1-64, 2017. Disponível em: . Acesso em: 10 set. 2020

Protocolo de Atenção à Saúde. Acolhimento e Classificação de Risco em Obstetrícia. Governo do Distrito Federal Subsecretaria de Atenção Integral à Saúde Comissão Permanente de Protocolos de Atenção à Saúde. Secretaria de Estado de Saúde (SES/DF), p. 1-12, 2018. Disponível em: . Acesso em: 10 set. 2020.




DOI: https://doi.org/10.34119/bjhrv4n1-027

Refbacks

  • There are currently no refbacks.