Hanseníase: qualidade da assistência prestada por enfermeiros da atenção básica / Leprosy: quality of care provided by nurses of basic attention

Ariane Vieira Farias, Sueli Andrade Amaral, Douglas Azeredo Porto, Geovanna Santos Correia, Jaianne Oliveira Leão Silva, Layla Dutra Soares, Jéssica Ohana Souto Ferreira

Abstract


A hanseníase é considerada um grande problema de saúde pública. Segundo os indicadores epidemiológicos do DATASUS/TABNET, em 2018 foram registrados 26.293 casos de hanseníase no Brasil. Diante o exposto, este estudo tem como objetivo  avaliar a qualidade da assistência prestada pelos enfermeiros aos pacientes com hanseníase na Atenção Básica. Trata-se de um estudo de campo, descritivo com abordagem quanti-qualitativa, utilizando a análise de conteúdo de Bardin, cujos dados foram obtidos por meio de um questionário online semi-estruturado composto por dados sociodemográficos, profissionais, clínicos epidemiológicos e nível de conhecimento acerca da doença, com a participação de 12 enfermeiras que trabalham na assistência das UBS/ESF em um município localizado no interior da Bahia, a coleta de dados durou cerca de aproximadamente uma semana. Das participantes entrevistas, na sua totalidade são do sexo feminino (100%), possuem 5 anos ou mais de formação e atuação profissional (100%), e a maioria 67% não possuem curso de capacitação em hanseníase, após organização dos resultados foram emergidos quatro categorias temáticas. Conclui-se que a assistência prestada pelos enfermeiros acerca da hanseníase na atenção básica acontece de forma inadequada, alcançando baixo a moderado nível.

 

 


Keywords


Hanseníase, Conhecimento, Enfermagem, Atenção básica.

References


BARDIN, L. Análise de conteúdo. Traduzido por Luis Antero Reto, augusto Pinheiro. São Paulo: Edições 70, 2016.

BRASIL. Diretrizes para vigilância, atenção e eliminação da Hanseníase como problema de saúde pública: manual técnico-operacional, Brasília, p. 5-58, 2016. Disponível em: https://www.saude.gov.br/images/pdf/2016/fevereiro/04/diretrizes-eliminacao-hanseniase-4fev16-web.pdf.> Acesso em 15 de março de 2020.

BRASIL. Ministério da Saúde. Guia prático sobre a hanseníase. Secretaria de vigilância em saúde, Departamento de vigilância das Doenças transmissíveis. Brasil, p. 5-68, 2017. Disponível em Acesso em 01 abril 2020.

COSTA, A. K. A. N. et al.Clinical and epidemiological aspects of leprosy JournalofNursing UFPE/Revista de Enfermagem UFPE, Recife, v. 13, p. 353-362, 2019. Disponível em https://periodicos.ufpe.br/revistas/revistaenfermagem/article/view/236224> Acesso em 01 de abril de 2020.

GARBELINI, G. U. et al. Analysis of the epidemiological profile of the forms of presentation of leprosy in the state of Goiás. Brazilian Journal of Health Review, v. 3, n. 2, p. 2525-2530, 2020. Disponível em: file:///C:/Users/Ariane/AppData/Local/Temp/8184-21520-1-PB-1.pdf> Acesso em 28 de novembro de 2020.

LIMA, M. C. V. et al. Práticas de autocuidado em hanseníase: face, mãos e pés. Revista Gaúcha de Enfermagem, v. 39, p. 1-7, 2018. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/rgenf/v39/1983-1447-rgenf-39-e20180045.pdf> Acesso em 01 de abril de 2020.

OLIVEIRA, S. B. et al. Evaluation of the level of information on hanseníase of professionals of the strategy family health. Revista de Pesquisa em Saúde, v. 18, n. 3, p. 138-143, 2018. Disponível em: http://www.periodicoseletronicos.ufma.br/index.php/revistahuufma/article/view/8747> Acesso em 01 de abril de 2020.

PINHEIRO, J. J. G. et al. Aptidões cognitivas e atitudinais do enfermeiro da atenção básica no controle da hanseníase. Revista Baiana de Enfermagem‏, v. 31, n. 2, p. 1-9, 2017. ‎ Disponível em:https://pdfs.semanticscholar.org/61ea/87f500c67aabd46edea58fcc50380faec697.pdf>. Acesso em 14 de março 2020.

RIBEIRO, M. D. A. et al.The nurse’s view on leprosy treatment in primary health care. Revista Brasileira em Promoção da Saude, Fortaleza v. 30, n. 2, p. 221-228, 2017. Disponível em: https://periodicos.unifor.br/RBPS/article/view/6349>. Acesso em 14 de març. 2020.

RODRIGUES, F. F. et al.Knowledge and practice of the nurse about leprosy: actions of control and elimination. Revista Brasileira de enfermagem, v. 68, n. 2, p. 297-304 2015. Disponível em: https://search.proquest.com/openview/3f94340ab21daffb9b80c63d2343dc94/1?pq-origsite=gscholar&cbl=2032618> . Acesso em 14 de março de 2020.

SANTOS, K. C. B. et al. Estratégias de controle e vigilância de contatos de hanseníase: revisão integrativa. Saúde em Debate, Rio de Janeiro, v. 43, n. 121, p. 576-591, 2019. Disponível em: https://www.scielosp.org/article/sdeb/2019.v43n121/576-591/pt/>Acesso em: 14 março 2020.

SILVA, J. S. R. et al.Sociodemographic factors associated with the degree of physical disability in leprosy. Revista Cuidarte, v. 9, n. 3, p. 2338-2348, 2018. Disponível em:Acesso em 14 de març. 2020.

SILVA, M. C. D.; PAZ. E. P. A. Experiências de cuidado dos enfermeiros às pessoas com hanseníase: contribuições da hermenêutica. Acta Paulista de Enfermagem, v. 30, n. 4, p. 435-441, 2017. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/ape/v30n4/0103-2100-ape-30-04-0435.pdf> Acesso em 01 de abril de 2020.

SOUSA, G. S.; SILVA. R. L. F.; XAVIER. M. B.Attributes of primary health care in leprosy control: nurse’s perspective. Revista Baiana de Enfermagem‏, v. 31, n. 1, p. 1-10, 2017. Disponível em: https://pesquisa.bvsalud.org/portal/resource/pt/biblio-897438> Acesso em 01 de abril de 2020.




DOI: https://doi.org/10.34119/bjhrv4n1-025

Refbacks

  • There are currently no refbacks.