Automedicação e o risco à saúde: uma revisão de literatura / Self-medication and health risk: a literature review

Mateus Silva Xavier, Henrique Normandia Castro, Luiz Gustavo David de Souza, Yago Sady Lopes de Oliveira, Natalia Filardi Tafuri, Natália de Fátima Gonçalves Amâncio

Abstract


Introdução: A automedicação pode ser entendida como a seleção e o uso de medicamentos por pessoas para tratar doenças ou sintomas sem a supervisão ou a prescrição de um profissional, gerando riscos para a saúde individual. Objetivo: Analisar a prática da automedicação na sociedade brasileira e entender os riscos e complicações mais frequentes dessa prática. Metodologia: Trata-se de uma revisão integrativa de literatura. A coleta de dados ocorreu através das plataformas da Biblioteca Virtual de Saúde (BVS), e as bases de dados National Library of Medicine (PubMed MEDLINE) e Scientific Eletronic Library Online (SCIELO), utilizando-se as palavras-chave prevalência, automedicação e riscos, cruzados entre si. Resultados: Percebeu-se uma heterogeneidade do perfil dos grupos que fazem automedicação. Os grupos etários predominantes foram universitários, jovens adultos e crianças por influência dos pais. Houve, ainda, uma relativa predominância do sexo feminino nos achados. Discussão: A automedicação ainda é uma prática recorrente na sociedade brasileira, e para isso, baseando-se no contexto assistencialista do Sistema Único de Saúde, necessita-se que os riscos e consequências de tal prática sejam abordados, já que a mesma pode se levar em casos extremos até a morte, já que todo medicamento tem o potencial de causar reações adversas (RAM). Conclusão: Percebe-se que a prevalência de automedicação no Brasil caracteriza-se como um agravo de saúde pública e que as classes mais afetadas são pessoas mais jovens, e de alta escolaridade. Todavia políticas públicas veem contribuindo para a diminuição dessa prática sobretudo em classes de maiores fatores de risco como os idosos.

 


Keywords


Automedicação, Riscos, Saúde.

References


ALVES, V. S. A health education model for the Family Health Program: towards comprehensive health care and model reorientation, Interface - Comunicação, Saúde, Educação, v.9, n.16, p.39-52, set.2004/fev.2005.

ARRAIAS, PSD; et al. Prevalência da automedicação no Brasil e fatores associados. Rev Saúde Publica. 2016; 50 (supl 2):13s.

BRASIL. Ministério da Saúde. Automedicação. Brasília. 2012. Disponível em Acesso em 28 Oct 2020.

BOYD, J; et al. Um estudo prospectivo do uso não médico de ansiolíticos e medicamentos para dormir por adolescentes. Psychology of addictive behaviors: journal of the Society of Psychologists in Addictive Behaviors, v. 29, n. 1, p. 184-191, Mar 2015.

DA SILVA, Jéssica Gama; et al. A prática da automedicação em crianças por seus pais: Atuação da enfermagem. Revista de Enfermagem UFPE on line, [S.l.], v. 12, n. 6, p. 1570-1577, june 2018. ISSN 1981-8963. Disponível em: . Acesso em: 29 oct. 2020.

DOS SANTOS, Thiago; et al. Prática da automedicação entre acadêmicos do curso de enfermagem de uma instituição de ensino superior. Scientia Plena, v. 14, n. 7, 2018.

DEPARTAMENTO DE INFORMÁTICA DO SUS - DATASUS. Informações de Saúde, Epidemiológicas e Morbidade: banco de dados. Disponível em: Acesso em 10 de Setembro de 2020.

DEPARTAMENTO DE INFORMÁTICA DO SUS - DATASUS. Informações de Saúde, Epidemiológicas e Morbidade: banco de dados. Disponível em: < http://tabnet.datasus.gov.br/cgi/tabcgi.exe?sih/cnv/fimg.def> Acesso em 10 de Setembro de 2020.

GALATO, Dayani; MADALENA, Jaqueline; PEREIRA, Greicy Borges. Automedicação em estudantes universitários: a influência da área de formação. Ciênc. Saúde coletiva, Rio de Janeiro, v. 17, n. 12, p. 3323-3330, Dec. 2012 .

GAMA, Abel Santiago Muri; SECOLI, Silvia Regina. Automedicação em estudantes de enfermagem do Estado do Amazonas. Rev. Gaúcha Enfermagem, Porto Alegre, v. 38, n. 1, e65111, mar 2017.

GARBIN, C. A. S.; et al. A realidade de uma prática autocomplacente: relato de um caso de automedicação. ARCHIVES OF HEALTH INVESTIGATION, v. 8, n. 1, 22 abr. 2019.

JUNIOR, J. G.; et al. Influência da publicidade na automedicação na população de um município brasileiro de médio porte. J. Health Biol. Sci, Brasil, v. 6, n. 2, p. 152-155, abr-jun 2018 .

LOPES, N. M. Automedicação: Algumas reflexões sociológicas. Sociologia, Problemas e Práticas, n.º 37, 2001, pp. 141-165.

Lutz BH, Miranda VIA, Bertoldi AD. Inadequação do uso de medicamentos entre idosos em. Pelotas, RS. Rev Saude Publica. 2017;51:52

MATOS, Januária Fonseca et al. Prevalência, perfil e fatores associados à automedicação em adolescentes e servidores de uma escola pública profissionalizante. Cad. saúde colet., Rio de Janeiro , v. 26, n. 1, p. 76-83, Mar. 2018 . Available from . access on 19 Oct. 2020. https://doi.org/10.1590/1414-462x201800010351.

MORAES, L. G. M. D. et al. Automedicação em acadêmicos de Medicina. Revista da Sociedade Brasileira de Clínica Médica, Colatina, ES, Brasil, v. 16, n. 3, p. 70, out./2017.

NAVES, Janeth de Oliveira Silva et al. Automedicação: uma abordagem qualitativa de suas motivações. Ciênc. saúde coletiva, Rio de Janeiro , v. 15, supl. 1, p. 1751-1762, June 2010.

NÓBREGA, H. O. S.; et al. Intoxicações por Medicamentos: Uma Revisão Sistemática com Abordagem nas Síndromes Tóxicas. Revista Saúde e Ciência, Campina Grande, v. 4, n. 2, p.109-119, 2015.

PEREZ, M; et al. Preditores do uso de medicamentos na população cigana na Espanha: um estudo nacional de base populacional. Public Health, Europa, v. 129, n. 5, p. 453-459, May 2015.

Pereira Rocha BeserraF.; et al. AUTOMEDICAÇÃO EM IDOSOS: MEDIDAS DE PREVENÇÃO E CONTROLE. Revista Contexto & Saúde, v. 19, n. 37, p. 149-155, 17 dez. 2019.

ROMANO-LIEBER, N. S. et al. Sobrevida de idosos e exposição à polifarmácia no município de São Paulo: Estudo SABE. Rev Bras Epidemiol 2018, São Paulo (SP), Brasil, v. 21, n. 2, p. 27, ago/2014.

Ocan, M., Obuku, E.A., Bwanga, F. et al. Automedicação antimicrobiana domiciliar: revisão sistemática e meta-análise da carga, fatores de risco e desfechos nos países em desenvolvimento. BMC Saúde Pública 15.742 (2015).

SANTOS, A. N. M. D; NOGUEIRA, D. R. C; BORJA-OLIVEIRA, C. R. D. Automedicação entre participantes de uma Universidade Aberta à Terceira Idade e fatores associados. Revista Brasileira de Geriatria e Gerontologia (RBGG), Rio de Janeiro (RJ), Brasil, v. 21, n. 4, p. 431-439, jun./2018.

SECOLI, S. R. et al. Tendência da prática de automedicação entre idosos brasileiros entre 2006 e 2010: Estudo SABE. Rev Bras Epidemiol 2018, São Paulo (SP), Brasil, v. 21, n. 2, p. 18, ago/2014.

SILVA, L. B. D. et al. Consumo de medicamentos e prática da automedicação por acadêmicos da área de saúde da Universidade Estadual de Londrina. REVISTA ESPAÇO PARA A

SAÚDE, Londrina, v. 16, n. 2, p. 27-36, abr./2015.

Sistema Nacional de Informações Tóxico-Farmacológicas. Evolução dos casos registrados de intoxicação humana por agente tóxico [Internet]. Rio de Janeiro: Fundação Oswaldo Cruz; 2009. Disponível em http://sinitox.icict.fiocruz.br/dados-nacionais. Acesso em: 20 de Out 2020.

Tesfamariam, S., Anand, I.S., Kaleab, G. et al. Automedicação com medicamentos contrários, prevalência de prática de risco e seus fatores associados em pontos de farmácia de Asmara, Eritreia. BMC Saúde Pública 19, 159 (2019). https://doi.org/10.1186/s12889-019-6470-5

TOGNOLI T.A et, al RR. Automedicação entre acadêmicos de medicina de Fernandópolis – São Paulo. J Health Biol Sci. 2019 Out-Dez; 7(4):382-386.

TOMASINI E, et, al. Condições de trabalho e automedicação em profissionais da rede básica de saúde da zona urbana de Pelotas, RS. Rev Bras Epidemiol. 2011;10(1):66-74.

Tratado de Geriatria e Gerontologia. Freitas, E.V.; Py, L.; Neri, A. L.; Cançado, F. A. X.C.; Gorzoni, M.L.; Doll, J. 4ª. Edição. Grupo Editorial Nacional (GEN), 2016.

Trebien, H. A et, al. Medicamentos - Benefícios e Riscos com Ênfase na Automedicação. Curitiba, UFPR, 2011.

Wang, W. et al. O equívoco do antibiótico igual a um medicamento anti-inflamatório que promove o uso indevido de antibióticos entre estudantes universitários chineses. Int. J. Environ. Res. Saúde Pública 2019, 16, 335.

ZHU, X; et al. Práticas de automedicação com antibióticos entre estudantes universitários chineses. Public Health, Ásia, v.130, p. 78-83, Jan 2016.

ZULLIG, K, J; et al. Uso não médico de analgésicos, estimulantes e depressivos prescritos por adolescentes e risco de suicídio. Subst Use Misuse, Estados Unidos, v. 50, n.13, p. 1678-1689, 2015.




DOI: https://doi.org/10.34119/bjhrv4n1-020

Refbacks

  • There are currently no refbacks.