Índice de desenvolvimento humano e insuficiência renal: estudo comparativo do perfil de morbimortalidade nos estados de maranhão e Santa Catarina. / Human development index and renal failure: comparative study of morbidity and mortality profile in maranhão and Santa Catarina states

Geanderson Santana da Silva, Aline Maria Fatel da Silva Pires, José Ismair de Oliveira dos Santos, Rafaella Maria Bezerra Pinheiro Custódio, Ingrid Rocha Antunes, Cláudia Maria Pereira Alves, Anna Marcela Lima Fonseca, Dayane Lima Pereira de Lemos

Abstract


Introdução: O Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) é uma das ferramentas importantes na avaliação das condições de qualidade de vida da população, a qual tem implicação direta no desenvolvimento de alguns agravos de saúde, a exemplo da insuficiência renal. Objetivo: Identificar o perfil de morbimortalidade da insuficiência renal aguda e crônica, nos estados de Santa Catarina (SC) e Maranhão (MA), e sua relação com o IDH. Métodos: Estudo transversal, retrospectivo e quantitativo, cujos dados foram coletados ao Departamento de Informática do Sistema Único de Saúde (DATASUS). Foram escolhidos os estados de Santa Catarina e Maranhão por ocuparem os extremos do IDH. Utilizou-se das seguintes variáveis: sexo, faixa etária, raça/etnia, insuficiência renal aguda e crônica, internações, óbitos, média de permanência hospitalar e taxa de mortalidade. Todos os casos notificados, no período de janeiro de 2010 a dezembro de 2019, foram incluídos neste estudo. Resultados e Discussão: Em SC (IDH = 0,808) foram 43.595 notificações, 56% do sexo masculino, com predomínio da faixa etária “60-69 anos” (21%), da raça/etnia “branca” (88%) e com média de permanência hospitalar de 7,5 dias; 10% foram a óbito, com uma taxa de mortalidade de 10,79 por cem mil habitantes.  Em relação ao MA (IDH =0,687), foram notificados 20.818 casos, maioria do sexo masculino (54%), com a faixa etária mais prevalente de “50-59 anos” (18%), sendo 62% com raça/etnia ignorados. A média de permanência hospitalar foi de 9,9 dias. Do total de casos analisados, 11% evoluíram para óbito, sendo a taxa de mortalidade de 11,13 por cem mil habitantes. Percebe-se divergências entre SC e MA no que diz respeito ao agravo estudado, levando-se em consideração a localização e heterogeneidade dos estados analisados. O estado de Santa Catarina, com melhor IDH, apresenta maior número de casos de internação por insuficiência renal, entretanto possui uma taxa de mortalidade inferior ao Maranhão, bem como uma menor média de dias de hospitalização. Esses comportamentos ocorreram em decorrência do melhor acesso à saúde, maior investimento em qualidade de vida e diagnóstico precoce. Conclusão: Dessa forma, observa-se que o IDH mantém relação direta com o desenvolvimento e o desfecho da insuficiência renal, estabelecendo relação diretamente proporcional entre as variáveis.


Keywords


IDH, saúde, Insuficiência renal.

References


CREWS, Deidra C.; BELLO, Aminu K.; SAADI, Gamal. Editorial do Dia Mundial do Rim de 2019 - carga, acesso e disparidades na doença renal. J. Bras. Nefrol., São Paulo, v. 41, n. 1, pág. 1-9, março de 2019. Disponível em . Acesso em 09 de novembro de 2020. Epub 28 de fevereiro de 2019. https://doi.org/10.1590/2175-8239-jbn-2018-0224 .

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. Pesquisas de dados e resultados. [Acessado em 09/11/2020]: http://www.ibge.gov.br/home/estatistica/pesquisas/pesquisa_resultados.php?id_pesquisa

INSTITUTO DE PESQUISA ECONÔMICAS E APLICADAS. Comunicado [acessado em 17/11/2020]. Disponível em: http://www.ipea.gov.br/portal/images/stories/PDFs/comunicado/100812_comunicadoi pea60.pdf.

KERR-PONTES, L. R et al. “Socioeconomic, environmental, and behavioural risk factors for leprosy in North-east Brazil: results of a case-control study.” International journal of epidemiology vol. 35,4 (2006): 994-1000. doi:10.1093/ije/dyl072. Disponível em: https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/16645029/. Acesso em: 09 de nov 2020.

MOURA, Erly. Perfil da situação de saúde do homem no Brasil. Rio de Janeiro: Fundação Oswaldo Cruz - Instituto Fernandes Figueira, 2012. 128p.; Disponível em: https://portalarquivos2.saude.gov.br/images/pdf/2014/maio/21/CNSH-DOC-Perfil-da-Situa----o-de-Sa--de-do-Homem-no-Brasil.pdf. Acesso em 10/11/2020.]

RIBEIRO, Rita de Cássia Helú Mendonça et al. Caracterização e etiologia da insuficiência renal crônica em unidade de nefrologia do interior do Estado de São Paulo. 2008. Disponível em: https://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-21002008000500013. Acesso em: 10 out. 2020.

SORDI, Bruna Carrara; ARENA, Carla Aparecida Ventura. A saúde e o desenvolvimento humano Saúde & Transformação Social / Health & Social Change, vol. 3, núm. 4, 2012, pp. 89-96 Universidade Federal de Santa Catarina. Santa Catarina, Brasil.

ZERMIANI, Thabata Cristy et al. A relação entre indicadores de desenvolvimento humano e de saúde materna nos municípios da Região Metropolitana de Curitiba – PR. Cad. saúde colet., Rio de Janeiro, v. 26, n. 1, p. 100-106, Mar. 2018. Available from .Disponível em: https://doi.org/10.1590/1414-462x201800010041. Acesso em: 12 de nov de 2020.




DOI: https://doi.org/10.34119/bjhrv4n1-012

Refbacks

  • There are currently no refbacks.