A aplicabilidade das dissertações de um mestrado profissional em saúde coletiva, nos serviços de saúde do estado de Goiás – Brasil / The applicability of the dissertations of a professional master's degree in public health, in the health services of the state of Goiás – Brazil

Mariana Teixeira da Silva, Ellen Synthia Fernandes de Oliveira, Walner Mamede, Nelson Filice de Barros

Abstract


A aplicação da pesquisa científica na prática profissional é uma necessidade observada pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior - Capes, que em 1998, institui o Mestrado Profissional – MP para atender essa demanda. Na Saúde, o Mestrado Profissional em Saúde Coletiva – MPSC propõe aplicar a pesquisa no Sistema Único de Saúde – SUS. Foi realizada uma análise documental das disertações dos egressos do MPSC da Universidade Federal de Goiás – UFG, com objetivo de caracterizá-las. A análise resultou em três categorias: estrutura, temática e aplicabilidade. Foi possível identificar a aplicabilidade das pesquisas, ao SUS, em 89% dos estudos analisados. Conclui-se que as dissertações dos egressos do MPSC-UFG demonstraram aplicabilidade na prática, com retorno social do MSPC para o SUS.

 

 


Keywords


Mestrado Profissional, Saúde Coletiva, Dissertação, Pós-Graduação.

References


Alperstedt, G. D. (2014). MESTRADOS PROFISSIONAIS EM ADMINISTRAÇÃO, CONTABILIDADE E TURISMO NO BRASIL E SEU PROCESSO DE AVALIAÇÃO. Revista GUAL, 07(1), 298-322. doi: 10.5007/1983-4535.2014v7n1p298

Andre, M. & Princepe, L. (2017) O Lugar da Pesquisa no Mestrado Profissional em Educação. Educar em Revista, nr 63, p. 103-117,

Barata, R. B. (2008). A Pós-Graduação e o Campo da Saúde Coletiva. Physis Revista de Saúde Coletiva, 18(2), P. 189-214.

Barata, R. B., & Santos, R. V. (2013). Ensino de pós-graduação em Saúde Coletiva: situação atual e desafios para o futuro. RBPG, 10(19), p. 159-183.

Brasil. (1998). Portaria n. 80, de 16 de dezembro de 1998. Dispõe sobre o reconhecimento dos mestrados profissionais e dá outras providências.: Diário Oficial da União.

Brasil. (2001). 11ª Conferência Nacional de Saúde, Brasília 15 a 19 de dezembro de 2000: o Brasil falando como quer ser tratado: efetivando o SUS: acesso, qualidade e humanização na atenção à saúde com controle social: relatório final / Ministério da Saúde, Conselho Nacional de Saúde. Ministério da Saúde.

Brasil. (2009). Portaria n. 17, de 28 de dezembro de 2009. Dispõe sobre o Mestrado Profissional no âmbito da CAPES. Diário Oficial da União.

Capes. (2005). Parâmetros para análise de projetos de mestrado profissional – 2002. RBPG, 2(4), p. 156-161.

Capes. (2015). Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior. Ministério da Educação. Cursos Recomendados/Reconhecidos. Retrieved from http://www.capes.gov.br/cursos-recomendados.

Costa, F. A. (2007). Tecnologias Educativas: Análise das dissertações de mestrado realizadas em Portugal. s í s i f o / r e v i s t a de c i ê nc i a s da e duc a ç ão(3).

Fischer, T. (2005). Mestrado profissional como prática acadêmica. RBPG, 2(4), p. 24-29.

Guillam, M. C. R. (2020), Teixeira C, P, MACHADO, M. d. F. A. S., FASSA, A. G. & FASSA, M. E. G. Mestrado Profissional em Saúde da Família(ProfSaúde): uma experiência de formação em Redel. Interface comunicação, Saúde, educação.

Gomes, M. H. d. A., & Goldenberg, P. (2010). Retrato quase sem retoques dos egressos

dos programas de pós-graduação em Saúde Coletiva, 1998-2007. Ciênc. saúde coletiva, 15(4), p. 1989-2005.

Guimarães, R. (2004). Bases para uma política nacional de ciência, tecnologia e inovação em saúde. Ciênc. saúde coletiva, 9(2), p. 375-387.

Hortale, V. A. (2010). Características e limites do mestrado profissional na área da Saúde: estudo com egressos da Fundação Oswaldo Cruz. Ciênc. saúde coletiva, 15(4), p.2051-2058. doi: 10.1590/S1413-81232010000400019

Leal, M. d. C., & Freitas, C. M. (2006). CENÁRIOS POSSÍVEIS: EXPERIÊNCIAS E DESAFIOS DO MESTRADO PROFISSIONAL NA SAÚDE COLETIVA (ONLINE). In FIOCRUZ (Ed.).

MAMEDE, Walner; ABBAD, Gardênia S.. Objetivos educacionais de um mestrado profissional em saúde coletiva: avaliação conforme a taxonomia de Bloom. Educ. Pesqui., São Paulo , v. 44, e169805, 2018 . Available from . access on 10 Nov. 2020. Epub Nov 17, 2017. https://doi.org/10.1590/s1678-4634201710169805.

Mamede, W. (2014). O mestrado profissional brasileiro e o Mestrado em Saúde Pública Europeia: objetivos semelhantes por caminhos diferentes. RBPG, 12(27).

Nepomuceno, L. D. d. O., & Costa, H. G. (2012). Mapeamento de percepções na avaliação dos impactos do mestrado profissional no perfil do seu egresso. Prod., 22(4), p.865-873.

Noronha, A. P. P., Andrade, R. G. d., Miguel, F. K., Nascimento, M. M., Nunes, M. F. O., Pacanaro, S. V., Ferruzzi, A. H., Sartori, F. A., Takahashi, L. T., Cozza, H. F. P. (2006). Análise de Teses e Dissertações em Orientação Profissional. Revista Brasileira de Orientação Profissional, 7(2), p. 1 -10.

Pimentel, A. (2001). O MÉTODO DA ANÁLISE DOCUMENTAL: SEU USO NUMA PESQUISA HISTORIOGRÁFICA. Cadernos de Pesquisa(114), 179-195.

QUEVEDO, André Luis Alves de et al . DETERMINANTES E CONDICIONANTES SOCIAIS: FORMAS DE UTILIZAÇÃO NOS PLANOS NACIONAL E ESTADUAIS DE SAÚDE. Trab. educ. saúde, Rio de Janeiro , v. 15, n. 3, p. 823-842, Dec. 2017 . Available from . access on 10 Nov. 2020. http://dx.doi.org/10.1590/1981-7746-sol00085.

Ribeiro, R. J. (2005). O mestrado profissional na política atual da Capes. RBPG, 5(4), 8-15.

Santos, G. B. d., & Hortale, V. A. (2014). Mestrado Profissional em Saúde Pública: do marco legal à experiência em uma instituição de pesquisa e ensino. Ciência & Saúde Coletiva, 19(7), 2143-2155. doi: 10.1590/1413-81232014197.09072013

Saupe, R., & Wendhausen, Á. L. P. (2005). O mestrado profissionalizante como modelo preferencial para capacitação em Saúde da Família. Interface (Botucatu), 9(18), p. 621-630.

Souza, J. d., Kantorski, L. P., & Luis, M. A. V. (2011). ANÁLISE DOCUMENTAL E OBSERVAÇÃO PARTICIPANTE NA PESQUISA EM SAÚDE MENTAL. Revista Baiana de Enfermagem, 25(2), 121-128.

Turato, E. R. (2005). Métodos qualitativos e quantitativos na área da saúde: definições, diferenças e seus objetos de pesquisa. Rev. Saúde Pública, 39(3), 507-514.




DOI: https://doi.org/10.34119/bjhrv3n6-348

Refbacks

  • There are currently no refbacks.