Análise da Síndrome da fragilidade em idosos institucionalizados / Analysis of frailty syndrome in institutionalized elderly

Mirelle Lactim Ferrarez, Milene Cristina de Lima Martins, Geovane Elias Guidini Lima, Gabriela Alves Trevizani, Karina Oliveira Martinho

Abstract


Introdução: Idosos apresentam características distintas em relação às demais faixas etárias e sua avaliação requer investigação ampla e multidimensional. A síndrome da fragilidade é complexa e envolve declínios em múltiplos domínios e representa um estado inespecífico, gerando aumento da mortalidade e de eventos adversos na saúde. Objetivo: Analisar a prevalência da síndrome da fragilidade em idosos institucionalizados e a relação com o tempo de institucionalização, o estado cognitivo e as comorbidades associadas. Materiais e métodos: A amostra foi constituída por idosos institucionalizados submetidos a anamnese e a avaliação cognitiva mediante o teste Mini-Exame do Estado Mental, a Síndrome da fragilidade foi avaliada por 5 itens, entre eles: perda de peso não intencional; fadiga auto referida; força de preensão palmar; nível de atividade física medida pelo dispêndio semanal de energia e velocidade da marcha em segundos. Os idosos foram classificados em frágeis, pré-frágeis e não frágeis. Resultados: Foi verificado no presente estudo a predominância do sexo masculino, com predomínio de idosos pré-frágeis, dentre as comorbidades associadas a hipertensão arterial mostrou-se a doença crônica mais prevalente. Quanto associação da síndrome da fragilidade com os demais fatores os idosos que se apresentaram como “frágeis” obtiveram resultados estatisticamente significantes ter menor escolaridade, maior tempo de institucionalização, ingerir maior número de medicamentos, ter hipertensão e não ter depressão. Conclusão: A síndrome da fragilidade nos idosos institucionalizados apresentou uma alta prevalência e a identificação desses fatores, associados à síndrome da fragilidade, é importante para criar estratégias de prevenção nessa população.


Keywords


Síndrome da Fragilidade, Idosos Institucionalizados, cognição.

References


- Navega MT, Miguel TP, Del-Masso MCS. Comparação da flexibilidade, qualidade de vida e capacidade funcional entre idosos ativos e sedentários dos meios urbano e rural. Ter Man. 2011; 9(46):712-21.

- Fluetti MT, Fhon JRS, Oliveira AP, Chiquito LMO, Marques S. Síndrome da fragilidade em idosos institucionalizados. Rev Bras Geriatr Gerontol. 2018;21(1): 62-71.

- Augusti ACV, Falsarella GR, Coimbra AMV. Análise da síndrome da fragilidade em idosos na atenção primária - Estudo transversal. Rev Bras Med Fam. 2017;12(39):1-9.

- Fried LP, Tangen CM, Walston J, Newman AB, Hirsch C, Gottdiener J, et al. Frailty in older adults: evidence for a phenotype. J Gerontol A Biol Sci Med Sci. 2001;56(3):146-56.

- Macedo C, Gazzola JM, Najas M. Síndrome da fragilidade no idoso: importância da fisioterapia. Arq Bras Ciênc Saúde. 2008;33(3):177-84.

- Lourenço RA, Moreira VG, Mello RGB, Santos IS, Lin SM, Pinto ALF et al. Consenso brasileiro de fragilidade em idosos: conceitos, epidemiologia e instrumentos de avaliação. Geriatr Gerontol Aging. 2018;12(2):121-35.

- Arantes PMM, Alencar MA, Dias RC, Dias JMD, Pereira LSM. Atuação da fisioterapia na síndrome de fragilidade: revisão sistemática. Rev Bras Fisioter. 2009;13(5):365-75.

- Lipschitz DA. Screening for nutritional status in the elderly. Primary Care. 1994;21(1):55.

- Folstein MF, Folstein SE, McHugh PR. A practical method for grading the cognitive state of patients for the clinician. J Psychiatr Res. 1975;12(3):189-98.

- Bertolucci PHF, Brucki SMD, Campacci SR, Juliano Y. O mini-exame do estado mental em uma população geral. Arq Neuropsiquiatr. 1994; 52(1): 1-7.

- Lustosa LP, Pereira DN, Dias RC, Britto RR, Parentoni AN, Pereira LSM. Tradução e adaptação transcultural do Minnesota Leisure Time Activities Questionnaire em idosos. Geriatr Gerontol Aging. 2011;5(2):57-65.

- Grden CRB, Barreto MFC, Sousa JAV, Chuertniek JA, Reche PM, Borges PKO. Associação entre fragilidade física e escore cognitivo em idosos. Rev Rene. 2015;16(3):391-7.

- Colaço LV, Pessoa JCS, Fonseca RC, Gomes JC, Leal JCGPS. Prevalência e fatores associados à síndrome da fragilidade em idosos. Anais CIEH 2015;2(1)

- Grden CRB, Lenardt MH, Sousa JAV, Kusomota L, Dellaroza MSG, Betiolli SE. Associations between frailty syndrome and sociodemographic characteristics in long-lived individuals of a community. Rev Latino-Am. 2017; 25:2886

- Neri AL, Yassuda MS, Araújo LF, Eulálio MC, Cabral BE, Siqueira MEC et al. Metodologia e perfil sociodemográfico, cognitivo e de fragilidade de idosos comunitários de sete cidades brasileiras: Estudo FIBRA. Cad Saúde Pública. 2013;29(4):778-792.

- Lenardt MH; Carneiro NHK, Binotto MA, Cechinel LSSC. Relação entre fragilidade física e características sociodemográficas e clínicas de idosos. Esc Anna Nery. 2015;19(4):585-592.

- Pegorari MS; Tavares DMS. Fatores associados à síndrome de fragilidade em idosos residentes em área urbana. Rev Latino-Am. 2014;22(5):874-82.

- Chen CY, Wu SC, Chen LJ, Lue BH. The prevalence of subjective frailty and factors associated with frailty in Taiwan. Arch Gerontol Geriat. 2010; 50 (Suppl 1): S43-7

- Melo EMA, Marques APO, Leal MCC, Melo HMA. Síndrome da fragilidade e fatores associados em idosos residentes em instituições de longa permanência. Saúde debate. 2018;42(117): 468-80.

- Kanauchi M, Kubo A, Kanauchi K, Saito Y. Frailty, health-related quality of life and mental wellbeing in older adults with cardiometabolic risk factors. Int J Clin Pract. 2008;62(9):1447–51.

- Esquenazi D, Silva SRB, Guimarães MAM. Aspectos fisiopatológicos do envelhecimento humano e quedas em idosos. Revista HUPE. 2014;13(2):11-20.

- Mauzalto ACM. O controle da hipertensão arterial no idoso [dissertação]. Uberaba: Universidade Federal do Triângulo Mineiro;2014.

- Santiago LM, Luz LL, Silva JFS, Oliveira PH, Carmo CN, Mattos IC. Condições sociodemográficas e de saúde de idosos institucionalizados em cidades do sudeste e centro-oeste do brasil. Geriatr Gerontol Aging. 10(2):86-92.

- Silva TAA, Frisoli Junior A, Pinheiro MM, Szejnfeld VL. Sarcopenia associada ao envelhecimento: Aspectos etiológicos e opções terapêuticas. Rev Bras Reumatol. 2006;46(6):391-97.

- Brown M, Sinacore DR, Ehsani AA, Binder EF, Holloszy JO, Kohrt WM. Low-intensity exercise as a modifier of physical frailty in older adults. Arch Phys Med Rehabil. 2000; 81:960-5.

- Pereira AWB, Viegas IF, Uchoa MCG, Silva PF, Dantas RLL. A relação da hidroterapia e a fragilidade do idoso: revisão de literatura sistemática. Braz J Hea Rev. 2020; 3:17786-17796.




DOI: https://doi.org/10.34119/bjhrv3n6-339

Refbacks

  • There are currently no refbacks.