Efeitos a curto e longo prazo da Rizotomia Dorsal seletiva no tratamento da Espasticidade / Short and Long Term Effects of Selective Dorsal Rizotomy in the Treatment of Spasticity

Luís Felipe Coelho Alves, Iara Vieira Almeida, Renan Vinicius Guimarães Naves, Adilson Jose Manuel de Oliveira

Abstract


Introdução: A Rizotomia Dorsal Seletiva (RDS) é uma neurocirurgia na qual parte das fibras nervosas excitatórias aferentes são lesadas na raiz posterior da medula espinal, ocasionando redução da excitação, logo, diminuindo o tônus característico da espasticidade. Essa é uma condição clínica bastante associada à Paralisia Cerebral (PC), ocasionando problemas de ordem musculoesqueléticos. Objetivo: Esse estudo visa descrever os efeitos de curto a longo prazo da Rizotomia Dorsal Seletiva (RDS) no tratamento da espasticidade. Materiais e métodos: Trata-se de um estudo de revisão bibliográfica que foi realizado entre os meses de junho e julho de 2020. Foi feita uma pesquisa no portal da Biblioteca Virtual em Saúde (BVS) e selecionados artigos que abordavam diretamente os efeitos da terapêutica analisada. Resultados e discussão: Foi evidenciado que a RDS apresenta-se como uma alternativa terapêutica segura e com poucas complicações. A literatura mostra bons resultados a curto e a longo prazo após a cirurgia, como a redução da hipertonia, da dor e do elevado gasto energético típico desses pacientes. Além disso, destaca-se a possibilidade de melhorias no padrão da marcha e no grau de independência funcional. Assim, os benefícios superam os riscos das possíveis complicações, como dermatites, infecção e fístulas. Conclusão: Diante disso, conclui-se que a RDS apresenta bons resultados no tratamento da espasticidade. Os benefícios se estendem também aos cuidadores e familiares, que são os responsáveis pelo cuidado direto desses pacientes.


Keywords


Espasticidade, Rizotomia, Pós-operatório, Paralisia cerebral, Neurocirurgia.

References


BUIZER, A. I. et al. Effect of selective dorsal rhizotomy on daily care and comfort in non-walking children and adolescents with severe spasticity. European Journal of Paediatric Neurology, v. 21, n. 2, p. 350–357, 2017.

CARRARO, E. et al. Multidimensional outcome measure of selective dorsal rhizotomy in spastic cerebral palsy. European Journal of Paediatric Neurology, v. 18, n. 6, p. 704–713, 2014.

COSTA VAL, J. A.; OLIVEIRA LIMA, A. L.; MARTINS, A. O. O impacto da rizotomia dorsal seletiva na qualidade de vida de crianças espásticas portadoras de paralisia cerebral. Arquivos Brasileiros de Neurocirurgia: Brazilian Neurosurgery, v. 27, n. 01, p. 07–11, 2008.

DAUNTER, A. K.; KRATZ, A. L.; HURVITZ, E. A. Long-term impact of childhood selective dorsal rhizotomy on pain, fatigue, and function: a case–control study. Developmental Medicine and Child Neurology, v. 59, n. 10, p. 1089–1095, 2017.

HASNAT, M. J.; RICE, J. E. Intrathecal baclofen for treating spasticity in children with cerebral palsy. Cochrane Database of Systematic Reviews, v. 2015, n. 11, 2015.

JUCÁ RVBM, JUCÁ CEB, CALDAS CAT, IORIATTI ES, BAPTISTA CRJA, M. H. ARTIGO ORIGINAL O efeito da rizotomia dorsal seletiva no quadro clínico e nos cuidados diários de crianças com paralisia cerebral espástica. Acta Fisiátr., v. 18, n. 1, p. 11–15, 2011.

MORANTE R., M.; CUBILLOS L., A.; FACCILONGO G., C. Resultados funcionales de corto plazo en rizotomía dorsal selectiva para el tratamiento de espasticidad en niños con parálisis cerebral TT - Short-term functional outcomes of selective dorsal rhizotomy for the treatment of spasticity in children with cer. Rehabil. integral (Impr.), v. 12, n. 1, p. 22–31, 2017.

PAULO, M.; BERNARDO, T.; MEDEIROS, J. Tratamento cirúrgico para espasticidade : rizotomia dorsal seletiva — técnica e revisão da literatura Surgical Treatment for Spasticity : Selective Dorsal Rhizotomy — Technique and Literature Review. 2017.

TEDROFF, K. et al. Does loss of spasticity matter? A 10-year follow-up after selective dorsal rhizotomy in cerebral palsy. Developmental Medicine and Child Neurology, v. 53, n. 8, p. 724–729, 2011.

VAN DE POL, L. A. et al. Risk Factors for Dystonia after Selective Dorsal Rhizotomy in Nonwalking Children and Adolescents with Bilateral Spasticity. Neuropediatrics, v. 49, n. 1, p. 44–50, 2018.




DOI: https://doi.org/10.34119/bjhrv3n6-275

Refbacks

  • There are currently no refbacks.