Controle de qualidade de Águas Minerais / Quality control of Mineral Waters

Geórgia Rosa Reis de Alencar, Rayane Carvalho de Moura, Lailton da Silva Freire, Aline Cronemberger Holanda, Nayza Carvalho Rodrigues, Ronaldo Cunha Coelho

Abstract


A grande preocupação com a qualidade da água é decorrente da poluição hídrica, sendo um dos motivos que levam grande parte da população mundial ao consumo de água proveniente de fontes minerais. Água mineral é caracterizada pelo conteúdo de sais minerais, pela presença de oligoelementos e outros constituintes. Sendo assim, o estudo teve como objetivo determinar as características físico-químicas de águas minerais disponíveis no mercado da cidade de Teresina-PI e verificar se estas características encontram-se em conformidade com a atual legislação brasileira. As amostras foram obtidas no comércio local na cidade de Teresina-PI onde as análises de pH, turbidez, condutividade elétrica, alcalinidade e dureza foram realizadas no Laboratório de Bromatologia do IFPI Teresina campus central seguido de análises estatísticas realizadas através do programa Microsoft Excel 2010. Apenas os parâmetros de pH e Turbidez são parâmetros físico-químicos específicos para água mineral. Todas as marcas apresentaram pH e turbidez dentro do aceito legalmente. Para as características físico-químicas abordadas nessa pesquisa exigidas pela RDC 54/2000, pela Portaria 518/2004 e pela Portaria 2914/2011 as marcas analisadas estão aptas para o consumo humano.


Keywords


Qualidade, Água mineral, pH, Condutividade.

References


ALVES, N. C.; ODORIZZIA, A. C.; GOULART, F. C. Análise microbiológica de águas minerais e de água potável de abastecimento, Marília, SP. Revista de Saúde Pública, v. 36, n. 6, p. 749-751, 2002.

BRASIL. Portaria nº 2.914, de 12 de dezembro de 2011. Dispõe sobre os procedimentos de controle e de vigilância da qualidade da água para consumo humano e seu padrão de potabilidade. D.O.U. – Diário Oficial da União; Poder executivo. Brasília, 14 de dezembro de 2011.

______. Ministério da Saúde. Agencia Nacional de Vigilância Sanitária. Resolução n° 275 de 22 de setembro de 2005. Regulamento Técnico de Características Microbiológicas para Água Mineral Natural e Água Natural. D.O.U. - Diário Oficial da União; Poder executivo. Brasília, 23 de setembro de 2005.

______. Portaria n° 518, de 25 de março de 2004. Legislação para águas de consumo humano. D.O.U - Diário Oficial da União; Poder Executivo. Brasília, DF, 26 de março de 2004.

______. Ministério da Saúde. Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Resolução RDC nº 54 de 15 de junho de 2000. D.O.U. - Diário Oficial da União; Poder executivo, Brasília, 15 de junho de 2000.

CUNHA, H. F. A.; LIMA, D. C. I.; BRITO, P. N. F.; CUNHA, A. C.; SILVEIRA JUNIOR, A. M. S.; BRITO, D. C. Qualidade físico-química e microbiológica de água mineral e padrões da legislação. Revista Ambiente & Água - An Inter disciplinary Journal of Applied Science: v. 7, n.3, 2012. Pp 155-165.

DIAS, A. M.; CARDOSO, I. P.; SUZUKI, L. E. A. S.; FARIA, L. C.; MILANI, I. C. B. Características físico-químicas de águas minerais das regiões sul e sudeste do Brasil. 21º Congresso de Iniciação Científica. 4ª Mostra Científica. Universidade Federal de Pelotas. 2014.

DIAS, L. P.; MACEDO, J. S. R.; SOUSA, A. L.; CRONEMBERGER, M.G.O. Características físico-químicas de quatro marcas de Água mineral comercializadas em Teresina-PI. V Congresso Norte-Nordeste de Pesquisa e Inovação. (CONNEPI). Universidade Federal de Alagoas. Maceió, 2010.

FUNASA. Fundação Nacional de saúde. Manual Prático de Análise de Água. Ministério da Saúde: Brasília, 2004.

INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, NORMALIZAÇÃO E QUALIDADE INDUSTRIAL -INMETRO. Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior. Água mineral em garrafões de 20 L. Disponível em: www.inmetro.gov.br/consumidor/produtos/garrafoes.asp. Acesso em 20 de dezembro de 2014.

MARINS, R. V;. PARAQUETTI, H. H. M.; AYRES, G. A. Alternativa analítica para especiação físico-química de mercúrio em águas costeiras tropicais. Instituto de Ciências do Mar, UFCE; Departamento de Geoquímica, Universidade Federal Fluminense. v.25, n.3, p. 372-378. 2002

MORGANO, M. A.; SCHATTI, A. C.; ENRIQUES, H. A.; MANTOVANI, D.M.B. Avaliação físico-química de águas minerais comercializadas na região de Campinas, SP. Ciência e Tecnologia de Alimentos, v. 22, n. 3, p.329–343, 2002.

NASCIMENTO, A. R.; AZEVEDO, T. K. L. MENDES FILHO, N. E. IBANEZ, R., ANIBAL, M.O. Qualidade microbiológica das águas minerais consumidas na cidade de São Luis. Higiene Alimentar, São Paulo, v. 14, n.76, p. 69 -72. 2000.

PEREIRA, S. F. P.; COSTA, A. C. C.; CARDOSO, E.S.C.; CORREA, M. S. S. C.; ALVES, D. T. V.; MIRANDA, R. G.; OLIVEIRA, G. R. F. Condições de potabilidade da água consumida pela população de Abaetetuba-Pará. REA – Revista de estudos ambientais (Online) v.12, n. 1, p. 50-62, jan./jun. 2010

PONTARA, A. V.; OLIVEIRA, C. D. D.; BARBOSA, A. H. SANTOS, R. A.; PIRES, R. H.; MARTINS, C. H. G. Microbiological monitoring of mineral water commercialized in Brazil Brazilian Journal of Microbiology, v. 42, n. 2, p. 554-559, 2011.

REBELO, M. A. P.; ARAUJO, N. C. Águas minerais de algumas fontes naturais brasileiras. Revista da Associação de Medicina Brasileira. vol.45 n.3 São Paulo July/Sept. 1999.

ROCHA C. O. et al. Análises físico-químico de água mineral comercializada em campina grande -PB. Revista Verde, Mossoró, v.4, n.3, p. 01, 2009.

SOUSA, D. A.; PINHEIRO PAZ, W. H.; SANTOS. J. S.; BRAGA, D. O.; TORRES, J. R. O. Análise físico-químicas de águas minerais comercializadas em Teresina-PI. 54º Congresso Brasileiro de Química. Química e sociedade: Motores da sustentabilidade. 03 a 07 de novembro de 2014. Natal – RN. Disponível em: Acesso em: 09 de janeiro de 2015.

VILLAS, M.; BANDERALI, M. Como e porque medir a Condutividade Elétrica (CE) com sondas muiltiparâmetros? 2013. Disponível em: Acesso em: 09 de janeiro de 2015.

ZAN, R. A.; VIEIRA, F. G.; BAVARESCO, M. F.; MENEGUETTI, D.I.O. Avaliação da qualidade de águas minerais comercializadas nas cidades do vale do Jamari, Amazônia ocidental, Rondônia – Brasil. Revista de Saúde Pública de Santa Catarina, Florianópolis, v. 6, n. 4, p. 19-26, out./dez. 2013.




DOI: https://doi.org/10.34119/bjhrv3n6-059

Refbacks

  • There are currently no refbacks.