Classificação dermatoglífica de uma desportista da categoria wellness, bem como, suas condições antropométricas e somatotípicas apresentadas no período fora da temporada competitiva / Dermatoglyphic classification of a wellness category bodybuilding competitor and her off-season anthropometric and somatotypic conditions

Thiago Batista Campos de Sousa

Abstract


Devido à parcial ausência de intervenções nacionais e internacionais com a categoria wellness do fisiculturismo, o presente estudo objetivou investigar as características dermatoglíficas, bem como as condições antropométricas e somatotípicas apresentadas por uma atleta no período fora da temporada competitiva. A metodologia utilizada é um estudo de caso, representado pela primeira e, até a presente data, a única competidora da categoria wellness de uma cidade no interior da Paraíba. A análise morfológica foi norteada pelas diretrizes da Sociedade Internacional para o Avanço da Cineantropometria e determinados métodos antropométricos aplicados no fisiculturismo em anteriores intervenções. Quanto aos resultados, identificou-se que o condicionamento da desportista no período de off-season não diferiu daqueles apresentados por mulheres em competições, alcançando uma classificação da massa adiposa como muito baixa, massa muscular como muito elevada e índice músculo-ósseo muito elevado. O somatótipo foi classificado como endomesomorfo, tendo a mesomorfia dominante e a endomorfia superior à ectomorfia. A endomorfia foi interpretada como abaixo da média, a mesomorfia acima da média e a ectomorfia abaixo da média. Já a classificação dermatoglífica evidenciou o predomínio para fibras glicolíticas, especificamente fibras lentas, tipo IIa. Conclui-se, pelo levantamento literário e achados do presente trabalho, que as mulheres com predisposição para o ganho de massa muscular melhor se adéquam às exigências da referida categoria. Contudo, torna-se necessário que posteriores intervenções considerem o nível da amostra, alcançando competidoras profissionais na respectiva divisão.

 


Keywords


Fisiculturismo, Imagem Corporal, Antropometria, Dermatoglifia.

References


ALVAREZ, B.R.; PAVAN, A.L. Alturas e comprimentos. In: PETROSKI, E.L. (Ed.). Antropometria: técnicas e padronizações. 5.ed. Várzea Paulista: Fontoura, 2011. p. 33-47.

ANNE Freitas: complete package. Direção e Edição: Robson Clério. Rio de Janeiro: PESOvídeo, 2013. DVD-Rom (120min), widescreen, color. Documentário sobre a IFBB Pro Anne Freitas.

BENEDETTI, T.R.B.; PINHO, R.A.; RAMOS, V.M. Dobras Cutâneas. In: PETROSKI, E.L. (Ed.). Antropometria: técnicas e padronizações. 5.ed. Várzea Paulista: Fontoura, 2011. p. 49-60.

BOSSI, L.C. Treinamento funcional na musculação. São Paulo: Phorte, 2013.

BRAFF. Dúvidas sobre o Mr. Brasil 2019 (14/08/2019). Rio de Janeiro: Confederação Brasil Fisiculturismo e Fitness, 2019. DVD-Rom.

CARTER, L. Somatotipo. In: NORTON, K.; OLDS, T. (Ed.). Antropométrica. Porto Alegre: Artmed, 2005. p. 151-172.

DE JESUS, G.; ZAWADZKI, P. Métodos de treinamento e recursos ergogênicos utilizados por fisiculturistas fora e dentro de temporada. In: Seminário de Iniciação Científica e Seminário Integrado de Ensino, Pesquisa e Extensão, 24., 11., 2018, Joaçaba. Anais... Joaçaba: Unoesc, 2018.

DE SOUSA, T.B.C. Intervenção Antropométrica, Somatotípica e Dermatoglífica em uma das Campeãs pela Federação Paraibana de Culturismo, Musculação e Fitness: estudo de caso. Biomotriz, v. 14, n. 1, p. 65-75, 2020a.

______ . Análise antropométrica, somatotípica e dermatoglífica na categoria wellness. Braz J Hea Rev, v. 3, n. 3, p. 6737-6754, 2020b. Disponível em: < https://www.brazilianjournals.com/index.php/BJHR/article/view/12022/10049 >. Acesso em: 07 jul. 2020.

______ . Intervenção antropométrica, somatotípica e dermatoglífica num dos campeonatos da Federação Paraibana de culturismo, musculação e fitness. Coleção Pesquisa em Educação Física, v. 18, n. 1, p. 75-84, 2019. Disponível em: < https://www.fontouraeditora.com.br/periodico/upload/artigo/95bff3306b356dfc35ba9efa6a72531c.pdf >. Acesso em: 07 jul. 2020.

DE SOUSA, T.B.C.; ASSIS NETO, O.Q. A importância da permanência do educador físico em academias de musculação – treinamento hipotético vs individualidade biológica. Coleção Pesquisa em Educação Física, v. 15, n. 2, p. 17-26, 2016. Disponível em: < https://www.fontouraeditora.com.br/periodico/upload/artigo/1239_1505309836.pdf >. Acesso em: 07 jul. 2020.

FAIAL, C.S.G. Análise de componentes principais na determinação da composição de fibras musculares pelo "Flegner power test" em fundistas, meio-fundistas e velocistas. 2006. 58f. Dissertação (Mestrado em Engenharia Biomédica)–UNIVAP. São Jose dos Campos, 2006.

FERRÃO, M.L.D.; FILHO, J.F.; FORTES, M.S.R.; VIANA, M.V.; DANTAS, E.H.M. Efeito da predominância de tipo de fibra muscular sobre o emagrecimento e condicionamento aeróbico. Fit Perf J, v. 3, n. 4, p. 231-235, 2004.

FERNANDES FILHO, J. Dermatoglifia. Rio de Janeiro: JFF, 2016. CD-Rom.

GUEDES, D.P.; GUEDES, J.E.R.P. Manual prático para avaliação em educação física. Barueri: Manole, 2006.

GUIMARÃES NETO, W.M. Coleção Musculação Total: montagem dos programas de treinamento. v. 2, p. 2. São Paulo: Phorte, 2002.

GUIMARÃES NETO, W.M.; CABRAL, F. Para todos os gostos: mulheres podem exibir sua beleza em 6 categorias. In: Movimento Muscular – Só para elas: a categoria mais adequada a cada shape. São Paulo: Sangiovanni, ano 2, n. 18, 2013. p. 36-38.

HOLWAY, F. Composición corporal en nutrición deportiva. In: BOULLOSA, M.B.; PENICHE, Z.C. Nutrición Aplicada al deporte. Madrid: McGraw Hill, 2011. p. 195-218.

JONES, N.; KIELY, J.; SURACI, B.; COLLINS, D.J.; DE LORENZO, D.; PICKERING, C.; GRIMALDI, K.A. A genetic-based algorithm for personalized resistance training. Biology of sport, v. 33, n. 2, p. 117-126, 2016.

GIL, A.C. Como elaborar projetos de pesquisa. 4.ed. São Paulo: Atlas, 2002.

KERR, D.A. An anthropometric method for the fractionation of skin, adipose, muscle, bone and residual tissue masses in males and females age 6 to 77 years. 1988. 126f. Dissertação (Mestrado em Ciência na Escola de Cinesiologia)–Universidade Simon Fraser, Vancouver, 1988.

MALLMANN, L.B.; ALVES, F.D. Avaliação do consumo alimentar de fisiculturistas em período fora de competição. Revista Brasileira de Nutrição Esportiva, v. 12, n. 70, p. 204-212, 2018.

MARTINS, M.O.; LOPES, M.A. Perímetros. In: PETROSKI, E.L. (Ed.). Antropometria: técnicas e padronizações. 5.ed. Várzea Paulista: Fontoura, 2011. p. 61-74.

MOURA, J.A.R. Antropometria e composição corporal: protocolos de medidas, equações preditivas e novas estratégias de análise. Blumenau: Legere, 2014.

______ . Entrevista com Angela Borges – Vida de Atleta #13. Blumenau: TEF, 2015. Disponível em: < https://www.youtube.com/watch?v=ibD2yZRZW6M >. Acesso em: 07 jul. 2020.

MUSCLE in form. São Paulo: [s.n.]. ano 16, n. 83, p. 84-89, 2014.

OLIVEIRA, A.P.; CORTEZ, A.C.L.; FERNANDES FILHO, J. Dermatoglifia nas categorias de base um time de futebol da cidade de Timon/MA. Revista Brasileira de Fisiologia do Exercício, v. 17, n. 4, p. 220-223, 2018.

OVALLE, W.K.; NAHIRNEY, P.C. Bases da Histologia. 2.ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2014.

QUINTANA, M.S. Teoría de Kinantropometría. Madrid: INEF, 2005

RATAMESS, N.A. Adaptations to Anaerobic Training Programs. In: BAECHLE, T.R.; EARLE, R.W. Essentials of strength and conditioning. Champaign, IL: Human Kinetics, 2008. p. 93-120.

ROSS, W.D.; KERR, D.A. Fraccionament de la massa corporal: un nou métode per utilitzar en nutrició clínica i medicina esportiva. Apunts: medicina de l'esport, v. 28, n. 109, p. 175-188, 1991.

SCHWARZENEGGER, A. Enciclopédia de Fisiculturismo e Musculação. Porto Alegre: Artmed, 2001.

ROSS, W.D.; WILSON, N.C. A stratagem for proportional growth assessment. Acta Paediatr Belg, v. 28 (Suppl), p. 169-182, 1974.

STEWART, A.; MARFELL-JONES, M.; OLDS, T.; RIDDER. H. International Standards for Anthropometric Assessment. Lower Hutt: ISAK, 2011.

ZANINI, Â.F. Pré Contest de uma atleta de Fisiculturismo. 2016. 170f. Trabalho de Conclusão de Curso (Bacharelado em Educação Física)–Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul, Ijuí, 2016.




DOI: https://doi.org/10.34119/bjhrv3n6-033

Refbacks

  • There are currently no refbacks.