Cardiopatias congênitas em recém-nascidos: avaliação da prevalência em um Hospital de ensino da cidade de Juiz de Fora / Congenital heart disease in newborns: prevalence assessment at a teaching Hospital in the city of Juiz de Fora

Adriny dos Santos Araújo, Elisama Costa Ferreira, Heitor dos Reis Barbosa, Isaac Ferreira Grossi, Letícia Bianco Gomes de Almeida, Lucas Manoel de Oliveira Freitas, Marselha Marques Barral, Rosiane de Jesus Pereira

Abstract


INTRODUÇÃO: As cardiopatias congênitas consistem em uma alteração da normalidade do coração e representam a segunda maior causa de mortalidade infantil no Brasil. OBJETIVO: Averiguar a prevalência de cardiopatias congênitas em recém-nascidos (RN) e o perfil dos pacientes pesquisados, em um hospital de ensino da cidade de Juiz de Fora. METODOLOGIA: Trata-se de um estudo retrospectivo e transversal realizado através de coleta de informações em prontuários no período de janeiro de 2016 a dezembro de 2017. RESULTADOS: Os principais resultados demonstraram que dos 77 RN houve importante participação de pré-termos (42.9%), e a maioria (61.3%) são filhos de mães fora de idade de risco. Além disso, grande parte dos bebês não necessitaram de oxigênio e/ou reanimação em sala de parto (62%), apenas 35.1% foi internado em UTI ou Unidade Intermediária e 6.6 % faleceram. Vale ressaltar que a maioria (92.1%) teve alta para casa, e a comunicação interatrial foi a cardiopatia congênita mais encontrada (53.2%). CONCLUSÃO: Pode-se observar a prevalência de comunicação interatrial e o alto índice de altas hospitalares no serviço, o qual contribui para o desenvolvimento do sistema de saúde regional.


Keywords


Cardiopatias congênitas, Cirurgia Cardíaca, Cardiopediatria, Ecocardiograma.

References


BRASIL. Ministério da Saúde. Manual de assistência ao prematuro. Brasília: Ministério da Saúde, vol 3, (2011): 83-97.

GIDDING S, ANISMAN P. What pediatric residents should learn (or what pediatricians should know) about congenital heart disease. Pediatric cardiology, 2003; 24(5):418-23.

PENCHASZADEH VB, HALL JG. Frequency and characteristics of birth defects admissions to a pediatric hospital in Venezuela. American Journal of Medical Genetics Part A 1979; 3(4): 359-69.

PINTO JÚNIOR VC, BRANCO KMPC, CAVALCANTE RC et al. Epidemiology of congenital heart disease in Brazil. Brazilian Journal of Cardiovascular Surgery 2015; 30(2): 219-24.

VAN DER LINDE D, KONINGS EEM, SLAGER MA et al. Birth prevalence of congenital heart disease worldwide. Journal of the American College of Cardiology 2011; 58(21): 2241-7.

VICTORA CG. Intervenções para reduzir a mortalidade infantil pré-escolar e materna no Brasil. Rev Bras Epidemiol 2001; 4(1): 369.




DOI: https://doi.org/10.34119/bjhrv3n6-024

Refbacks

  • There are currently no refbacks.