Correlação da força de preensão palmar e parâmetros nutricionais em idosos hospitalizados/Correlation of handgrip strength and nutritional parameters in hospitalized elderly

Renan Gondim Araújo, Raquel Bezerra Barbosa de Moura, Caroline Sousa Cabral, Geovanna Torres de Paiva, Isabel Carolina da Silva Pinto Cavalcanti, Edcleide Oliveira dos Santos Olinto, Janine Maciel Barbosa, Ângela Amorim de Araújo

Abstract


INTRODUÇÃO: A fragilidade física é considerada uma síndrome médica caracterizada pela redução da força, da resistência e da função fisiológica, aumentando a vulnerabilidade do indivíduo desenvolver maior dependência e consequentemente maior risco de morte. Os marcadores da fragilidade física para avaliação e caracterização dos idosos são: força de preensão palmar (FPP) diminuída, lentidão da marcha, perda de peso não intencional, exaustão auto relatada e baixo nível de atividade física. Durante a hospitalização a FPP pode ser utilizada para definir metas de tratamento e avaliar efetividade das estratégias terapêuticas. OBJETIVO: investigar a FPP em idosos hospitalizados e sua correlação com diferentes parâmetros utilizados na prática usual da avaliação do estado nutricional nessa faixa etária. MÉTODO: Trata-se de um estudo descritivo, de corte transversal. Foram avaliados 51 idosos a partir de 60 anos, de ambos os sexos, admitidos na clínica médica do Hospital Universitário Lauro Wanderley em João Pessoa, Paraíba, entre os meses de março a julho de 2019. A FPP foi obtida com o uso do dinamômetro digital modelo EH101, utilizando a média de três medições. O ponto de corte considerado para a baixa força muscular foi de FPP < 27 kg para homens e < 16 kg para mulheres, de acordo com o consenso de 2019 do European Working Group on Sarcopenia in Older People (EWGSOP2). Para a análise estatística foi utilizado o programa Statistical Package for Social Science 13.0 e utilizou-se a Correlação de Pearson, considerando significante quando p<0,05. RESULTADO: A amostra foi composta por idosos com média de idade de 70,12 ± 6,87 anos, dos quais 56,9% possuíam idade entre 60 e 69 anos e 54,9% do sexo feminino. Na análise da FPP, encontrou 58,8% dos idosos com perda de força muscular já na admissão hospitalar. Os indicadores de circunferência muscular do braço e prega cutânea tricipital encontraram os maiores percentuais de desnutrição, 43,2% e 62,8%, respectivamente. A FPP apresentou correlação positiva apenas com a espessura do músculo adutor do polegar (EMAP) (r=0,542, p<0,001). CONCLUSÃO: Houve alta frequência de idosos com comprometimento da força, mas a FPP se correlacionou apenas com a EMAP, não apresentando relação direta com demais parâmetros antropométricos utilizados na prática rotineira da avaliação com idosos. Portanto, a FPP, ou no mínimo a avaliação da EMAP se torna indispensável para avaliação e planejamento terapêutico dos pacientes hospitalizados.


Keywords


Força muscular, avaliação nutricional, idosos,hospitalização.

References


AMARAL C. A.; PORTELA M. C.; MUNIZ P.T.; FARIAS E. S.; ARAÚJO T. S.; SOUZA O. F. Associação da força de preensão manual com morbidades referidas em adultos de Rio Branco. Caderno de Saúde Pública. v. 31, n. 6, p. 1313-1325, 2015.

BARBOSA-SILVA T. G.; BIELEMANN R. M.; GONZALEZ M.C.; MENEZES A. M. Prevalence of sarcopenia among community-dwelling elderly of a medium-sized SouthAmerican city: results of the COMO VAI? study. Journal of Cachexia, Sarcopenia and Muscle. v. 7, n. 2, p. 136-143, 2016.

BEAUDART C.; MCCLOSKEY E.; BRUYERE O., et al. Sarcopenia in daily practice: assessment and management. BioMed Central Geriatric. v.16, p.170, 2016.

BLACKBURN G. L.; THORNTON P. A. Nutritional assessment and management of the hospitalized patient. Medical Clinics of North America. v. 63, n. 5, p. 1103-1115, 1979.

BRAGAGNOLO. R.; CAPOROSSI, F. S.; DOCK-NASCIMENTO, D. B.; AGUILAR-NASCIMENTO, J. E. Espessura do músculo adutor do polegar: um método rápido e confiável na avaliação nutricional de pacientes cirúrgicos. Rev. Col. Bras. Cir. v. 36, n. 5, Rio de Janeiro, set./out., 2009.

CONFORTIN S. C.; ONO L. M.; MENEGHINI V.; PASTORIO A.; BARBOSA A. R.; D’ORSI E. Factors associated with handgrip strength in older adults residents in Florianópolis, Brazil: EpiFloripa Aging Study. Revista de Nutrição. v. 31, n. 4, p. 385-395, 2018.

CRUZ-JENTOFT, A. J.; BAHAT, G.; BAUER, J.; BOIRIE, Y.; BRUYÈRE, O.; CEDERHOLM, T. et al. Sarcopenia: Revised European consensus on definition and diagnosis. Age Ageing. v. 48, n. 1, p. 16–31, 2019.

DELL'OSBEL R. S.; ZANOTTI J. Relação entre força de preensão palmar e estado nutricional em idosas de Caxias do Sul/RS. Braspen Journal. v. 33, n.2, p. 111-115, 2018.

FIGUEIREDO I. M.; SAMPAIO R. F.; MANCINI M. C., et al. Test of grip strength using the Jamar dynamometer. Acta Fisiatrica. v. 14, n. 2, p. 104-10, 2007.

FRISANCHO, A. R. Anthropometric Standards: an Interactive Nutritional Reference of Body Size and Body Composition for Children and Adults. University Michigan, 2008.

GOMES T. S.; ALMEIDA A. F.; DALTRO C. H. C.; MEDEIROS J. B.; SENNA M. H. L. G. Associação da força de preensão palmar com indicadores clínicos e nutricionais em pacientes com doença renal crônica em tratamento não dialítico. Nutrición Clínica y Dietética Hospitalaria. v. 39, n.2 p. 73-79, 2019.

GUIGOZ Y.; LAUQUE S.; VELLAS B. J. Identifying the elderly at risk for malnutrition. Clinic in Geriatric Medicine. v. 18, n. 4, p. 737-757, 2002.

IBRAHIM K.; MAY C.; PATEL H.P., et al. A feasibility study of implementing grip strength measurement into routine hospital practice (GRImP): study protocol. Pilot Feasibility Study. v. 2, p. 27, 2016.

KELLER K.; ENGELHARDT M. Strength and muscle mass loss with aging process. Age and strength loss. Muscles Ligaments Tendons J. v. 3, n. 4, p. 346–50, 2013.

MARTIN F. G.; NEBULONI C. C.; NAJAS M. S. Correlação entre estado nutricional e força de preensão palmar em idosos. Revista Brasileira de Geriatria e Gerontologia. v. 15, n. 3, p. 493-504, 2012.

MARTIN J. A.; RAMSAY J.; HUGHES C.; PETERS D. M.; EDWARDS M. G. Age and Grip Strength Predict Hand Dexterity in Adults. Plos One. v. 10, n. 2, p. 1-18, 2015.

MONTEJANO LOZOYA R, MARTÍNEZ-ALZAMORA N, CLEMENTE MARÍN G, GUIRAO-GORIS SJA, FERRER-DIEGO RM. Predictive ability of the Mini NutritionalAssessment Short Form (MNA-SF) in a free-living elderly population: a cross-sectional study. PeerJ. 2017

OLIVEIRA E. N.; SANTOS K. T.; REIS L. A. Força de preensão manual como indicador de funcionalidade em idosos. Revista Pesquisa em Fisioterapia. v. 7, n. 3. p. 384-392, 2017.

ORGANIZAÇÃO PAN-AMERICANA DE SAÚDE (OPAS). Saúde, Bem-estar e Envelhecimento (SABE) – O Projeto SABE no município de São Paulo: uma abordagem inicial. Brasília: OPAS, 2003.

POURHASSAN, M.; ROMMERSBACH, N.; LUEG, G., et al. The Impact of Malnutrition on Acute Muscle Wasting in Frail Older Hospitalized Patients. Nutrients. v. 12, n. 5, p. 1387, 2020.

RIVIATI N.; SETIATI S.; LAKSMI P. W.; ABDULLAH M. Factors related with handgrip strength in elderly patients. Acta Medica Indonesiana. v. 49, n. 3; p. 215-219, 2017.

ROBINSON S M.; REGINSTER J. Y.; RIZZOLI R., et al. Does nutrition play a role in the prevention and management of sarcopenia? Clinical Nutrition. v. 37, n. 4, p. 1121-1132, 2018.

SOARES V. D. M.; FERNANDES M. H.; QUEIROZ B. M.; BRITO T. A.; COQUEIRO R. S.; CARNEIRO J. A. O. Análise comparativa entre dinamometria e equações antropométricas preditoras da força de preensão manual em idosos. Revista Brasileira de Ciências e Movimento. v. 27, n. 1, p. 11-17, 2019.

SPRINGSTROH K. A.; GAL N. J.; FORD A. L.; WHITING S. J.; DAHL W. J. Evaluation of Handgrip Strength and Nutritional Risk of Congregate Nutrition Program Participants in Florida. Journal of Nutrition in Gerontology and Geriatrics. v. 35, n.3, p. 193-208, 2016.

TAVARES G. M. S.; MÜLLER D. V. K.; FÃO R. N.; MANFREDINI V.; PICCOLI J. C. E. Análise da força de preensão palmar e ocorrência de quedas em idosas. Revista Brasileira de Ciência e Movimento. v. 24, n. 3, p. 19-25, 2016.

TOLENTINO G. P.; LIMA A. L. N.; OLIVEIRA G. N.; SILVA I. O.; VENÂNCIO P. E. M. Composição corporal e força de preensão palmar em idosas fisicamente ativas do Programa UNIATI UNIEVANGÉLICA, Revista de Atenção à Saúde, v. 15, n. 54, p. 67-73, 2017.

WORLD HEALTH ORGANIZATION (WHO). Physical status: the use and interpretation of anthropometry [text on the Internet]; 1995. Geneva: WHO; 1995 [Technical Report Series nº 854]. [citado em 2015 Jun 24] Disponível em: http://www.who.int/childgrowth/publications/ physical_status/en/

ZANIN C.; JORGE M. S. G.; KNOB B.; WIBELINGER L. M.; LIBERO G. A. Força de preensão palmar em idosos: uma revisão integrativa. Pan-American Journal of Aging Research. v. 6, n. 1, p: 22-28, 2018.




DOI: https://doi.org/10.34119/bjhrv3n6-018

Refbacks

  • There are currently no refbacks.