A perspectiva fenomenológica aplicada ao estudo de caso – uma experiência de dor e sofrimento / The phenomenological approach applied to the case study - an experience of pain and suffering

Nusa de Almeida Silveira, Nelson Filice de Barros, Bianca Stella Rodrigues, Carlos Cardoso Silva

Abstract


Este artigo apresenta a análise preliminar de um estudo de caso de uma pessoa portadora de um tipo de neoplasia mesenquimal rara, diagnosticada em 1999. Busca entender o sentido da dor e sofrimento a partir da subjetividade da pessoa, expressa pela linguagem falada. Os dados do estudo foram obtidos em quatro entrevistas de duração aproximada de 1 hora, com os relatos da experiência vivida desde o diagnóstico até o ano de 2015. A análise apresentada, com a descrição das confluências temáticas e as ideias nucleares, apresenta uma convergência nucleadora predominantemente relacionada ao enfrentamento da doença, diante dos desafios impostos pela nova condição de vida.

Keywords


Dor e sofrimento, Câncer, Fenomenologia, Neurociências, Ciências Sociais

References


Alves, P. C. (2006). A fenomenologia e as abordagens sistêmicas nos estudos sócio-antropológicos da doença: breve revisão crítica. Cad. Saúde Pública, 22(8), 1547-1554.

Brasil, Ministério da Saúde, Conselho Nacional de Saúde (2012). Resolução nº 466 de 12 de dezembro de 2012. Diretrizes e normas regulamentadoras da pesquisa envolvendo seres humanos. Brasília: Ministério da Saúde, 2012. Diário Oficial da União, n.12, Seção 1, p. 59, 13 jun.

Bello, A. A. (2000). A fenomenologia do ser humano. EDUSC.

Bicudo, M. A. V., Azevedo, D. C. & Barbariz, T. A. M. (2017). A pesquisa qualitativa realizada segundo a abordagem Fenomenológica. IN: Costa, A. P., Sánchez-Gómez, M. C. & Cilleros, M. V. M. A Prática na investigação qualitativa: exemplos de estudos. E-Book. Ludomedia, Aveiro, Portugal. Cap.2, 21-49.

Bicudo, M. A. V. (2011). Pesquisa qualitativa segundo a visão fenomenológica. Cortez.

Budó, M. L. D., Nicolini, D., Resta, D. G. et al. (2007). A Cultura permeando os sentimentos e as reações frente à dor. Rev Esc Enferm USP, 41(1), 36-43.

Carvalho, M. D. B. & Martins do Valle, E. R. (2002) A pesquisa fenomenológica e a enfermagem. Acta Scientiarum Maringá, 24(3), 843-847.

Centeno, R. S., Pedroso, A. A. G., Pereira, E. M. P. & Rassi-Neto, A. (2002). Tumor Fibroso Solitário da Meninge – Relato de Caso. Arq. Neuropsicquiatr., 60(2-A), 314-318.

Drummond, J. P. (2011). Bioética, dor e sofrimento. Ciência e Cultura, 63(2), 32-37.

Freire, P. (1996). Pedagogia da autonomia. 34ª. ed. Paz e Terra.

Gomes, A. M. A., Paiva, E. S., Valdés, M. T. M., Frota, M. A. & Albuquerque, C. M. (2008). Fenomenologia, Humanização e Promoção da Saúde: uma proposta de articulação. Saúde Soc., 17(1), 143-152.

Husserl, E. A Crise da Humanidade Europeia e a Filosofia (2002). Introdução e tradução de Urbano Zilles. - 2ª ed. Porto Alegre: EDIPUCRS, (Coleção filosofia vol. 41).

Ignatti, C. (2018). Resultados parciais da aplicação de toque terapêutico em portadores de dores crônicas. Braz. J. Hea. Rev., Curitiba, v. 1, n. 1, p. 193-200, jul./set.

Le Breton, D. Antropologia da dor. São Paulo: Fap-UNIFESP, 2013.

Ponty, M. M. (2011). Fenomenologia da Percepção. Trad. Carlos Alberto R. de Moura. 4ª ed. São Paulo: WMF Martins Fontes.

__________ (1975). A estrutura do comportamento. Interlivros.

Moreira, D. A. (2004). O método fenomenológico na pesquisa. Pioneira Thomson Learning.

Mountcastle, V. B. (1978). Fisiologia Médica, Guanabara Koogan, 13ª. ed. pg. 553.

Pimenta, C. A. M. & Portnoi, A. (1999). Dor e cultura. In: Carvalho M. M. M. J., organizador. Dor: um estudo multidisciplinar. São Paulo: Summus; 159-73.

Russo, J. & Ponciano, E. L. T. (2002). O Sujeito da Neurociência: da Naturalização do Homem ao Re-encantamento da Natureza. PHYSIS, 12( 2), 345- 373.




DOI: https://doi.org/10.34119/bjhrv3n6-017

Refbacks

  • There are currently no refbacks.