A maternidade de mulheres em sofrimento psíquico: Uma revisão de literatura / The Motherhood of Women in Psychic Suffering: A Literature Review

Djuliane Maria Gil Schaeken Rosseti, Denise Machado Duran Gutierrez

Abstract


A mudança de paradigmas dentro da ciência fez surgir, na saúde mental, a reforma do pensamento reducionista da psiquiatria tradicional. A reforma psiquiátrica propõe a árdua tarefa de mudar o foco das ações e serviços em saúde da doença para a sujeito. Após dezessete anos da reformulação da Política Nacional de Saúde Mental brasileira, ainda não foi possível concretizar a atenção integral dos sujeitos em sofrimento psíquico. Quando o assunto é a maternidade de mulheres em sofrimento psíquico, parece que ainda caminhamos a passos lentos. Desta forma, este estudo teve por objetivo analisar a produção literária nacional e internacional acerca da experiência da maternidade de mulheres em sofrimento psíquico. Para tal, foi realizada a revisão da literatura existente com os descritores ‘saúde mental’ e ‘maternidade’ correlacionados nos bancos de dados da Biblioteca Virtual de Saúde (BVS). Tendo em vista a restrição de títulos em língua portuguesa, buscou-se nos bancos de dados internacionais associados à plataforma produções com base no descritor ‘mental health’ correlacionado com descritores ‘mothering’ e ‘parenting’. A análise das produções encontradas evidenciou a escassez de pesquisas que dialoguem acerca das vivências da maternidade de mulheres em sofrimento psíquico. Tal achado corrobora a percepção da realidade atual brasileira: a assistência integral da mulher em sofrimento psíquico está longe de ser efetivada. O reconhecimento dessa vivência é condição necessária para a execução dos serviços de saúde mental em consonância com os princípios de equidade e integralidade preconizados pelo Sistema Único de Saúde (SUS). Assim, torna-se fundamental que os serviços de saúde contemplem essas mulheres para além do lugar de portadoras de uma doença.


Keywords


Saúde mental, Saúde da mulher, Produção de cuidados.

References


AMARANTE, P. Saúde mental e atenção psicossocial. Rio de Janeiro: Editora Fiocruz, 2007.

ARRAIS, A. R., MOURÃO, M. A.; FRAGALLE, B. O pré-natal psicológico como programa de prevenção à depressão pós-parto. Saúde Soc. São Paulo, v.23, n.1, p.251-264, 2014.

BARROW, S. M. et al. Context and Opportunity: Multiple Perspectives on Parenting by Women With a Severe Mental Illness. Psychiatric Rehabilitation Journal, Vol. 37, No. 3, 176–182, 2014.

BASAGLIA, F. A instituição negada. Rio de Janeiro: Graal, 1985.

______. Escritos selecionados em saúde mental e reforma psiquiátrica. Rio de Janeiro: Garamond, 2005.

BENDERS-HADI, N.; BARBER, M.; ALEXANDER, M. J. Motherhood in Women with Serious Mental Illness. Psychiatr Q, 84:65–72, 2013.

BONFILS, K. A.et al. Parenthood and Severe Mental Illness: Relationships With Recovery. Psychiatric Rehabilitation Journal, Vol. 37, No. 3, 186–193, 2014.

BRASIL. Lei n. 10.216, De 6 de abril de 2001 - Política Nacional da Saúde Mental. 2001. Disponível em: http://cgj.tjrj.jus.br/documents/1017893/1038413/politica-nac-saude-mental.pdf

______. Saúde mental no SUS: os centros de atenção psicossocial / Ministério da Saúde, Secretaria de Atenção à Saúde, Departamento de Ações Programáticas Estratégicas. – Brasília: Ministério da Saúde, 2004a.

______. Política nacional de atenção integral à saúde da mulher: princípios e diretrizes / Ministério da Saúde, Secretaria de Atenção à Saúde, Departamento de Ações Programáticas Estratégicas. – Brasília: Ministério da Saúde, 2004b.

BUTLER, H., et al. The acceptability and feasibility of the Baby Triple P Positive Parenting Programme on a mother and baby unit: Q-methodology with mothers with severe mental illness. Arch Womens Ment Health, 2014.

CANGUILHEM, G. O normal e o patológico. 7ª ed. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2015.

CARNEIRO, U. S. S.; AQUINO, G. C.; JUCÁ, V. J. S. Desafios da integralidade na assistência: o itinerário terapêutico de mães com sofrimento psíquico grave. Revista de Psicologia, Fortaleza, v. 5 n. 1, p. 46-57, 2014.

CARPENTER-SONG, E. A. et al. Recovery in a Family Context: Experiences of Mothers With Serious Mental Illnesses. Psychiatric Rehabilitation Journal, Vol. 37, No. 3, 162–169, 2014.

COOK, J. A.; STEIGMAN, P. J.; JONIKAS, J. A. Outcomes of Programs Serving Mothers With Psychiatric Disabilities and Their Young Children: A Multisite Case File Abstraction Study. Psychiatric Rehabilitation Journal, Vol. 37, No. 3, 232–241, 2014.

DOLMAN, C.; JONES, I.; HOWARD, L. M. Pre-conception to parenting: a systematic review and meta-synthesis of the qualitative literature on motherhood for women with severe mental illness. Arch Womens Ment Health 16:173–196, 2013.

FERNANDES, M. G. M. O corpo e a construção das desigualdades de gênero pela ciência. Physis Revista de Saúde Coletiva, Rio de Janeiro, 19 [ 4 ]: 1051-1065, 2009.

GUTIERREZ, D. M. D..; MINAYO, M. C. S. Papel da Mulher de Camadas Populares de Manaus na Produção de Cuidados da Saúde. Saúde Sociedade. São Paulo, v.18, n.4, p.707-720, 2009.

HELMAN, C. G. Saúde, cultura e doença. 5ª ed. Porto Alegre: Artmed, 2009.

HENRIQUES, T. et al. Transtorno do estresse pós-traumático no puerpério em uma maternidade de alto risco fetal no Município do Rio de Janeiro, Brasil. Cad. Saúde Pública, Rio de Janeiro, 31(12):2523-2534, 2015

HILTON, N. Z.; TURAN, C. Availability of Services for Parents Living With Mental Disorders: A Province-Wide Survey. Psychiatric Rehabilitation Journal, Vol. 37, No. 3, 194–200, 2014.

ISOBEL, S.; MEEHAN, F.; PRETTY, D. An Emotional Awareness Based Parenting Group for Parents withMental Illness: A Mixed Methods Feasibility Study of Community Mental Health Nurse Facilitation. Archives of Psychiatric Nursing 30: 35–40, 2016.

JONES, M. et al. Parents with mental illness – a qualitative study of identities and experiences with support services. Journal of Psychiatric and Mental Health Nursing, 2016.

JONES, S. et al. An exploratory randomised controlled trial of a web-based integrated bipolar parenting intervention (IBPI) for bipolar parents of young children (aged 3–10). BMC Psychiatry 15:122, 2015.

KRUMM, S.; BECKER, T.; WIEGAND-GREFE, S. Mental health services for parents affected by mental illness. Current Opinion Psychiatry. 26:362–368, 2013.

LAKATOS, E. M.; MARCONI, M. A. Metodologia Científica – 5°. Ed. – 4°. Reimp. – São Paulo : Atlas, 2010.

LANGARO, F.; PRETTO, Z. Experiências de parentalidade como fatores geradores de sofrimento em mulheres. Fractal: Revista de Psicologia, v. 27, n. 2, p. 130-138, 2015.

MATOS, M. I. S. Delineando corpos: as representações do feminino e do masculino no discurso médico. In: M. I .S. e R. S.(orgs). O Corpo feminino em debate. São Paulo: Editora UNESP, p. 107-127, 2003.

MENDES, E. V. As redes de atenção à saúde. Brasília: Organização Pan-Americana da Saúde, 2011.

NICHOLSON, J. For Parents With Mental Health Conditions: The Chance to “Have It All” at Work and at Home. Psychiatric Rehabilitation Journal, Vol. 37, No. 2, 153–156, 2014.

ORDAN, R. et al. Nurses’ professional stigma and attitudes towards postpartum women with severe mental illness. Journal of Clinical Nursing; 27:1543–1551, 2017.

ORMSBY, S. M. et al. Evaluation of an antenatal acupuncture intervention as an adjunct therapy for antenatal depression (AcuAnteDep): study protocol for a pragmatic randomised controlled trial. Trials, Austrália, 2016.

PARROTT, F. R.; MACINNES, D. L.; PARROTT, J. Mental illness and parenthood: being a parent in secure psychiatric care. Criminal Behaviour and Mental Health. 25: 258–272, 2015.

PERERA, D. N.; SHORT, L. “It’s Not That Straightforward”: When Family Support Is Challenging for Mothers Living With Mental Illness. Psychiatric Rehabilitation Journal, Vol. 37, No. 3, 170–175, 2014.

SAMPAIO, R. F.; MANCINI, M. C. Estudos de revisão sistemática: um guia para síntese criteriosa da evidência científica. Rev. bras. fisioter., São Carlos, v. 11, n. 1, p. 83-89, 2007.

SCOTT, J. Gênero: uma categoria útil de análise histórica. Rev. Educação & Realidade. 20(2):71-99, 1995.

SHOR, R. et al. Therapeutic Factors in a Group for Parents with Mental Illness. Community Mental Health J 51:79–84, 2015.

STAMBAUGH, L., et al. Prevalence of Serious Mental Illness among Parents in the United States: Results from the National Survey of Drug Use and Health, 2008-2014, Annals of Epidemiology, 2016.

SUCHMAN, N. E. et al. Mothering from the Inside Out: results of a pilot study testing a mentalization-based therapy for mothers enrolled in mental health services. Attachment & Human Development, USA, 2016.

TENÓRIO, F. A reforma psiquiátrica brasileira, da década de 1980 aos dias atuais: histórias e conceitos. História, Ciências, Saúde – Manguinhos, Rio de Janeiro. Vol. 9 (1); 25-99, 2002.

VAN DER ENDE, P. C. et al. Parenting and Psychiatric Rehabilitation: Can Parents With Severe Mental Illness Benefit From a New Approach? Psychiatric Rehabilitation Journal, Vol. 37, No. 3, 201–208, 2014.

VAN DER ENDE, P. C. et al. Strategies for parenting by mothers and fathers with a mental illness. Journal of Psychiatric and Mental Health Nursing, 23, 86–97, 2016.

WANSINK, H. J. et al. Preventive Family Service Coordination for Parents With a Mental Illness in the Netherlands. Psychiatric Rehabilitation Journal, Vol. 37, No. 3, 216–221, 2014.

WHITE, L. M.; MCGREW, J. H.; SALYERS, M. P. Parents Served by Assertive Community Treatment: Parenting Needs, Services, and Attitudes. Psychiatric Rehabilitation Journal, 2013, Vol. 36, No. 1, 22–27, 2014.

WHITE, L. M. et al. Assertive Community Treatment for Parents With Serious Mental Illnesses: A Comparison of “Parent-Sensitive” Assertive Community Treatment Teams Versus Other Teams. Psychiatric Rehabilitation Journal, Vol. 37, No. 3, 251–260, 2014.




DOI: https://doi.org/10.34119/bjhrv3n6-006

Refbacks

  • There are currently no refbacks.