Análise dos aspectos epidemiológicos da cólera no Brasil: Um estudo da última década / Analysis of the epidemiological aspects of Cholera in Brazil: A study of the last decade

Lícia Silva de Carvalho, Claudia Guimarães Agle, Larissa Menezes Teixeira Rocha, Bruna Rodrigues das Neves Santos Marques, Thais Novais Pedreira

Abstract


Introdução: A cólera é uma infecção intestinal aguda causada pela bactéria Gram negativa Vibrio cholerae. Se não tratada, pode levar a uma rápida desidratação e morte. A maioria dos surtos estão relacionados à escassez no fornecimento de água potável e à contaminação da água pelo esgoto. Metodologia: Foi realizado um estudo descritivo temporal de pacientes internados no Brasil, num período de 10 anos, com dados do Sistema Único de Saúde (DATASUS). Resultados: Ocorreram 16.554 internações, sendo 51,6% do sexo feminino. Foram registrados 258 óbitos, sendo a maior taxa de letalidade encontrada no Sudeste. A maior incidência foi na faixa etária de 0-19 anos e a maior letalidade em 60 ou mais. Conclusão: A fragilidade do saneamento básico no país, gera um quadro de doenças que afetam a saúde pública. Ações em melhorias do Saneamento Básico e a educação da população têm-se mantido como medidas eficazes no controle e na prevenção da Cólera.


Keywords


cólera, letalidade, epidemiologia, Brasil, saneamento básico

References


Kabir S. Cholera vaccines: the current status and problems. Reviews in Medical Microbiology. 2005.

Lekshmi N, Joseph I, Ramamurthy T, Thomas S. Changing facades of Vibrio cholerae: An enigma in the epidemiology. Indian Journal of Medical Research. 2018 Fevereiro.

Sack DA, Sack RB, Nair GB, Siddique AK. Cholera. Lancet. 2004.

Davies HG, Bowman C, Luby SP. Cholera − management and prevention. Journal of Infection. 2017 Junho.

Gerolomo M, Penna ML. Journal of Public Health. Revista de Saúde Pública. 2000 Agosto; 34.

Martinelli-Filho JE, Lopes RM, Rivera ING, ll RRC. Are natural reservoirs important for cholera surveillance? The case of an outbreak in a Brazilian estuary. Society for Applied Microbiology. 2016 Julho.

Ramamurthy T, Sharma NC. Cholera Outbreaks in India. Current Topics in Microbiology and Immunology. 2014 Maio.

LE M. Epidemia de colera en chile. Revista Medica Chile. 1991; 119:943-56.

Witt VM RF. Environmental health conditions and cholera vulnerability in Latin America and the Caribbean. J Public Health Policy. 1991; 12:450-63.

L H. Relação entre saúde e saneamento na perspectiva do desenvolvimento. Ciência e Saúde Coletiva. 1998; 3(2): 73-84.

Silva ES ODLA. Acesso ao saneamento báscio e incidência de Cólera: uma análise quantitativa entre 2010 e 2015. Saúde debate. 2019 Dezembro; 43:121-136.

Bahamonde HC SA. La epidemia de cólera en América Latina: reemergencia y morbimortalidad. 2013; 33(1): 40-6.

NOAA National Centers for Envrironmental Information, State of the Climate: Global Climate report for november 2017. ; 2020.

Impact of climate on human infectious diseases: Empirical evidence and human adaptation.

Islam MS SMRSea. Effects of local climate variability on transmission dynamics of cholera in Matlab, Bangladedsh. Trans R Soc Trop Med Hyg. 2009; 103(11): 1165-1170.

Suárez M MCCRLPP. Interacciones transfronterizas y salud en la frontera Brasil-Colombia-Peru. Mundo Amazónico..

Silva MSR MSDRSSSG. Classificação dos rios da amazônia: uma estratégia para preservação desses recursos. HOLOS environmental. ; 13(2), 163-174.

Kuna A GM. Cholera - the new strike of an old foe.. Int Marit Health. 2017; 68(3): 163-167.

Ryan ET DUKWSMFAFGea. Mortality, morbidity and microbiology of endemic cholera among hospitalized patients in Dhaka, Bangladesh. Am J Trop Med Hyg. 2000; 63(1-2):12-20.




DOI: https://doi.org/10.34119/bjhrv3n5-209

Refbacks

  • There are currently no refbacks.