Análise da demanda de medicamentos sujeitos a controle especial em unidades de saúde em Belém-Pa / Analysis of the demand for drugs subject to special control in health units in Belém-Pa

Luanny Paula Dias de Oliveira, Herta Reis da Silva, Anna Paula Rocha e Silva, Isnara Souza de Oliveira Ferraz, Laryssa Danielle da Silva Reis, Valdenira Gonçalves da Silva, Priscila de Nazaré Quaresma Pinheiro, Diandra Araújo da Luz

Abstract


A atenção à saúde mental tem gerado muitas discussões, pelo fato de grande parte da população brasileira ser acometida por distúrbios psíquicos. O sistema único de saúde priorizou a construção de um sistema tecnológico, sendo ele o Sistema Nacional de Gestão da Assistência Farmacêutica, a ferramenta HÓRUS. Foi analisado neste estudo a demanda da dispensação de medicamentos sujeito a controle especial em unidades básicas de saúde (UBS) no município de Belém do Pará, indicando-se as classes de medicamentos mais utilizadas e o perfil dos usuários, a partir dos relatórios de janeiro a dezembro de 2018 de quatro distritos da cidade. Nos distritos analisados, foram dispensados 25 medicamentos sujeitos a controle especial. Os mais dispensados foram: Amitriptilina 25mg, biperideno 2mg, biperideno injetável, carbamazepina 200mg, clorpromazina 100mg, clorpromazina 25mg, diazepam 5mg, fenitoína sódica 100mg, fluoxetina 20mg e haloperidol 5mg, sendo atendidos 37.793 pacientes, onde 52% eram do sexo feminino e 48% do sexo masculino. Há uma considerável demanda por psicofármacos nas UBS em questão e a prevalência no atendimento para pacientes do sexo feminino, demonstrando a importância da ferramenta HÓRUS no levantamento de indicadores acerca do uso de medicamentos.

 

 


Keywords


Assistência farmacêutica. Psicofármacos. Atenção primária. Saúde pública.

References


MINISTÉRIO DA SAÚDE; Secretaria de Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos. Departamento de Assistência Farmacêutica e Insumos Estratégicos. Assistência Farmacêutica no SUS: 20 anos de políticas e propostas para desenvolvimento e qualificação: relatório com análise e recomendações de gestores, especialistas e representantes da sociedade civil organizada. Brasília: Ministério da Saúde, 2018.

BARRETO, J. L.; GUIMARÃES, M.C.L.; Avaliação da gestão descentralizada da assistência farmacêutica básica em municípios baianos, Brasil; Cad. Saúde Pública, Rio de Janeiro, 2010. 26 (6):1207-1220.

NASCIMENTO JÚNIOR, J. M. et al.; Avanços e perspectivas da RENAME após novos marcos legais: o desafio de contribuir para um SUS único e integral. Revista Eletrônica Gestão & Saúde, Rio de Janeiro,2015; 6 (4):3354-3371.

OLIVEIRA, L. C. F.; ASSIS, M. M. A.; BARBONI, A. R.; Assistência Farmacêutica no Sistema Único de Saúde: da Política Nacional de Medicamentos à Atenção Básica à Saúde; Ciência & Saúde Coletiva, Rio de Janeiro, 2010;15 (3):3561-3567.

MOURA, D.C.N de et al. Uso abusivo de psicotrópicos pela demanda da estratégia saúde da família: revisão integrativa da literatura. SANARE, Sobral, 2016; 15(2):136-144.

COSTA, K. S; NASCIMENTO JÚNIOR, J. M.; Hórus: Inovação tecnológica na Assistência Farmacêutica no Sistema Único de Saúde. Rev. Saúde Pública, Brasília, 2012;46 (1): 91-99.

SANTOS, P. A, et. al. Perfil dos medicamentos psicoativos dispensados na farmácia básica municipal de ji-paraná, Rondônia;Rev. Eletr. Farm., Goiânia, 2017;14(3): 32-42.

ZANELLA, C. G., et. al.; Atuação do farmacêutico na dispensação de medicamentos em Centros de Atenção Psicossocial Adulto no município de São Paulo, SP, Brasil; Ciência & Saúde Coletiva, São Paulo, 2015; 20 (2): 325-332.

IBGE – INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios. Belém, 2018.

SANTOS, E. A.; ALMEIDA, M. L.; ESTÁCIO, S. C. S. A.; Avaliação do Perfil dos Usuários de Psicotrópicos nos Municípios de Tremembé e Pindamonhangaba. Trabalho de conclusão de curso (graduação em farmácia) - Faculdade de Pindamonhangaba, São Paulo. 2014. p.32.

MARTINS, L. P; PATRÍCIO, Z. M; GALATO, D. O ciclo de assistência farmacêutica no Sistema Único de Saúde: estudo qualitativo em um município do Estado de Santa Catarina. Rev. Bras. Farm., Santa Catarina, 2010; 185-188.

BRASIL. Ministério da Saúde. Portaria nº 344, de 12 de maio de 1998. Regulamento Técnico sobre substâncias e medicamentos sujeitos a controle especial.

SILVA, T.O; IGUTI, A. M. Medicamentos psicotrópicos dispensados em unidade básica de saúde em grande município do estado de São Paulo. Revista Eletrônica Gestão e Saúde, 2017;1(1):1726 -1737.

PEZZINI, B. R; SILVA, M. A. S; FERRAZ, H.G. Formas farmacêuticas sólidas orais de liberação prolongada: sistemas monolíticos e multiparticulados. Revista Brasileira de Ciências Farmacêuticas, 2007; 43(4): 1-12.

ANSEL, H.C.; POPOVICH, N.G; ALLEN Jr., L.V. Farmácia: formas farmacêuticas & sistemas de liberação de fármacos. 6.ed. São Paulo: Premier, 2000.

MELO, G. C et al., Conhecimento de clientes e análise de prescrições médicas de substância da lista C1 de uma drogaria do município de Santa Inês, Maranhão, Brasil. InterfacEHS – Saúde, Meio Ambiente e Sustentabilidade, 2015; 10(2): 83-94.

PADILHA, P. D et al. Análise da dispensação de medicamentos psicotrópicos pela rede pública municipal de saúde de campo mourão/PR. Revista Uningá, 2014; 20(2): 06-14.

SILVA TO, IGUTI AM. Medicamentos psicotrópicos dispensados em unidade básica de saúde em grande município do estado de São Paulo. Rev. Eletrônica Gestão e Saúde.2013;7(3):2004-2015.

GRASI, L. T. V.; CASTRO, J. E. S.; Estudo do Consumo de Medicamentos Psicotrópicos no Município de Alto Araguaia – MT; Faculdade do Pantanal – FAPAN, Ed. 3°, Cáceres, 2018.

ROCHA B. S, WERLANG M. C; Psicofármacos na Estratégia Saúde da Família: perfil de utilização, acesso e estratégias para a promoção do uso racional; Ciência & Saúde Coletiva, Rio de Janeiro, 2013;18 (11): 3291-3300.

CAPONI, S.; Loucos e Degenerados: uma genealogia da psiquiatria ampliada.;1. ed. Rio de Janeiro: Ed. FIOCRUZ, 2012; 29 (1): 205-206.

ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DA SAÚDE, 1990. Declaração de Caracas. Disponível em site:< pfdc.pgr.mpf.mp.br/atuacao-e-conteudos-de-apoio/legislacao/.../view>. Acessado em: dezembro de 2018.




DOI: https://doi.org/10.34119/bjhrv3n5-208

Refbacks

  • There are currently no refbacks.