Encontro musical como estratégia de cuidado para a promoção da humanização em uma instituição de longa permanência para idosos / Music Encounter as a care strategy for the promotion of humanization in a long-stay institution for elderly

Alana Galvão Costa Guimarães, Rafael Monte Nero, Laryssa Cunha Portela, Gunnar Glauco De Cunto Carelli Taets, Fátima Helena do Espírito Santo, Leila Brito Bergold

Abstract


Objetivos: descrever a implantação e implementação de Encontros Musicais em uma Instituição de Longa Permanência; discutir a relação dos Encontros Musicais com o processo de humanização da assistência. Metodologia: Pesquisa Convergente Assistencial em que foram realizados 2 grupos em uma ILPI, de setembro e outubro de 2018, com 4 encontros mensais cada. O projeto de pesquisa foi aprovado pelo Comitê de Ética em Pesquisa do Campus UFRJ-Macaé, nº 2.057.352. Resultados: 14 idosos participaram. Os temas mais abordados pelos idosos foram: história de vida e relacionamentos amorosos. Conclusão: os Encontros Musicais podem ser um recurso a ser utilizado para a promoção da humanização da assistência no espaço da ILPI.


Keywords


Instituição de Longa Permanência para Idosos, Música, Humanização da assistência.

References


-World Health Organization. (2005). Envelhecimento Ativo: Uma Política De Saúde. Organização Pan-Americana Da Saúde. Brasília.

-Oliveira PB, Tavares DMS. (2014). Condições De Saúde De Idosos Residentes Em Instituição De Longa Permanência Segundo Necessidades Humanas Básicas. Revista Brasileira De Enfermagem. 67(2): 241 - 246.

-Bosi E. Memória E Sociedade: Lembranças De Velhos. (1979). São Paulo: T. A. Queiroz.

-Salcher EBG, Portella MR, Scortegagna HM. (2015). Cenários De Instituições De Longa Permanência Para Idosos: Retratos Da Realidade Vivenciada Por Equipe Multiprofissional. Rev. Bras. Geriatr. Gerontol. 18(2): 259-272.

-Fonseca S, Amante MJ, Araújo L, Morgado M, Nunes T. (2016). O Impacto De Um Programa De Estimulação Cognitiva Em Pessoas Idosas A Residir Na Comunidade Vs. Institucionalizadas. Actas De Gerontologia. 2: 1-9.

-Carvalho P, Dias O. (2016). Adaptação Dos Idosos Institucionalizados. Millenium-Journal of Education, Technologies and Health. 40: 161-184.

-Silva HS, Gutierrez BAO. (2018). Education As An Instrument Of Change In The Provision Of Care For The Elderly. Educar Em Revista. 34(67): 283-296.

-Ministério da Saúde. (2004). Secretaria de atenção à saúde. Humaniza Sus: Política Nacional De Humanização. Brasília.

-Bergold LB, Alvim NAT. (2009). Visita Musical Como Uma Tecnologia Leve De Cuidado. Texto & Contexto Enfermagem. 18(3): 532.

-Cardoso AVM, Souza AAM, Silva PLN, Carvalho HLA, Alves ED, Filho WA. (2016). Cuidando com arte: a promoção da saúde por meio da música. Revista Da Universidade Vale Do Rio Verde. 14(1): 714-735.

-Rohr RV, Alvim NAT. (2016). Intervenções De Enfermagem Com Música: Revisão Integrativa Da Literatura. Cuidado É Fundamental Online. 8(1): 3832.

-Bergold LB. (2009). Encontros Musicais: Uma Estratégia De Cuidado De Enfermagem Junto A Sistemas Familiares No Contexto Da Quimioterapia [Tese De Doutorado]. Escola De Enfermagem Anna Nery: Universidade Federal Do Rio De Janeiro.

-Trentini M, Paim L, Guerreiro D. (2014). Condições Crônicas E Cuidados Inovadores Em Saúde. 1st ed. São Paulo: Atheneu.

-Gutierrez DMD, Minayo MCS. (2010). Produção de conhecimento sobre cuidados da saúde no âmbito da família. Ciência & Saúde Coletiva. 15: 1497-1508.

-Almeida AV, Mafra SCT, Silva EP, Kanso S. (2015). A Feminização Da Velhice: Em Foco As Características Socioeconômicas, Pessoais E Familiares Das Idosas E O Risco Social. Textos E Contextos. 14(1): 115-131.

-Zanello V, Silva LC, Henderson G. (2016). Saúde Mental, Gênero E Velhice Na Instituição Geriátrica. Psicologia: Teoria E Pesquisa. 31(4): 543-550.

-Wichmann FMA, Couto NA, Areosa SVC, Montañés MCM. (2013). Grupos De Convivência Como Suporte Ao Idoso Na Melhoria Da Saúde. Revista Brasileira Geriatria E Gerontologia. 16(4): 821-832.

-Pinheiro NCG, Holanda VCD, Melo LA, Medeiro AKB, Lima KC. (2016). Desigualdade No Perfil Dos Idosos Institucionalizados Na Cidade De Natal, Brasil. Ciência & Saúde Coletiva. 21: 3399-3405.

-Faria CG, Carmo MP. (2015). Transição E (In) Adaptação Ao Lar De Idosos: Um Estudo Qualitativo. Psicologia: Teoria E Pesquisa. 31(4): 435 – 442.

-Silva MR, Santos MPV, Santos RA, Cunha GR, Torres LM. (2017). A Percepção Do Idoso Institucionalizado Sobre Os Benefícios Das Oficinas Terapêuticas. Revista Brasileira Em Promoção Da Saúde. 29: 76-84.

-Güths JFS, Jacob MHVM, Santos AMPVS, Arossi GA, Béria JU. (2017). Perfil sociodemográfico, aspectos familiares, percepção de saúde, capacidade funcional e depressão em idosos institucionalizados no Litoral Norte do Rio Grande do Sul, Brasil. Revista Brasileira de Geriatria e Gerontologia. 20(2): 175-185.

-Rozendo AS, Donadone JC. (2017). Políticas Públicas E Asilos De Velhos: Grau De Dependência Em Idosos Institucionalizados. Kairós Gerontologia. 20(1): 299-309.

-Zanello V, Henderson G, Silva LC. (2017). Instituição Geriátrica Como Uma Instituição Totalitária: Gênero E Saúde Mental. Mental. 11(20): 45 - 62.

-Maynart WHC, Albuquerque MCS, Brêda MZ, Sales JJ. (2014). A Escuta Qualificada E O Acolhimento Na Atenção Psicossocial. Acta Paulista De Enfermagem. 27(4): 300 – 304.

-Bergold LB, Alvim NAT. (2014). Música No Cuidado De Enfermagem A Sistemas Familiares Na Quimioterapia: Experiência Criativa Com A Pesquisa Convergente Assistencial. In: Trentini, M, Paim L, Silva DGV, organizadoras. A Convergência De Concepções Teóricas E Práticas De Saúde: Uma Reconquista Da Pesquisa Convergente Assistencial. Porto Alegre: Moriá. p. 229-273.

-Silva FRA, Rossi TMF. (2018). A Música Como Fator De Inclusão Social No Processo De Envelhecimento. Educação: Saberes e Prática. 7(1): 1 - 13.

-Silveira CML. (2017). Influência Da Espiritualidade Na Qualidade De Vida E Na Capacidade Funcional De Idosos Institucionalizados E Não Institucionalizados [Dissertação De Mestrado]. Universidade Católica De Brasília.

-Brito AMM, Camargo BV, Castro A. (2017). Representações sociais de velhice e boa velhice entre idosos e sua rede social. Revista De Psicologia Da Imed. 9(1): 5-21.

-Minayo MCS, Figueiredo AEB, Mangas, RMN. (2017). O Comportamento Suicida De Idosos Institucionalizados: Histórias De Vida. Physis. 27: 981-1002.

-Minayo MCS, Figueiredo AEB, Mangas RMN. (2019). Estudo Das Publicações Científicas (2002-2017) Sobre Ideação Suicida, Tentativas De Suicídio E Autonegligência De Idosos Internados Em Instituições De Longa Permanência. Ciência & Saúde Coletiva. 24: 1393-1404.

-Spadoni-Pacheco LM, Carvalho GA. (2018). Qualidade De Vida E Autoestima Em Idosas Submetidas E Não Submetidas À Cirurgia Estética. Rev. Bras. Cir. Plást. 33(4): 528 - 535.

-Ministério da Saúde. (2010). Secretaria de Atenção à Saúde. Humaniza Sus: Documento Base Para Gestores E Trabalhadores Do Sus. Brasília.

-Ministério da Saúde (2013). Secretaria de Atenção à Saúde. Política Nacional de Humanização. Brasília.




DOI: https://doi.org/10.34119/bjhrv3n5-202

Refbacks

  • There are currently no refbacks.