Caderneta de Saúde da Pessoa Idosa: Qualificando Agentes Comunitários de Saúde/Elderly Health Handbook: Qualifying Community Health Workers

Mário Roberto Tavares Cardoso de Albuquerque, Carolina de Almeida Façanha, Matheus Vinícius Mourão Parente, Victória Haya Anijar

Abstract


Introdução: O novo perfil demográfico brasileiro impôs a necessidade de políticas públicas que apresentam novas formas de cuidado, especialmente com grupos vulneráveis como os idosos. Nesse contexto, a Organização mundial de saúde (OMS), desde 2004, propõe que os serviços de atenção primária deverão adaptar-se para atender aos idosos. Nessa perspectiva, o Ministério da Saúde do Brasil elaborou diversas cartilhas para orientação das equipes de saúde, entre elas a Caderneta de Saúde da Pessoa Idosa (CSPI). Contudo, percebe-se que a mesma é subutilizada em virtude de desconhecimento e falta de qualificação pelos membros da Estratégia Saúde da Família. Método: foi realizada uma oficina de qualificação para agentes comunitários de saúde, por acadêmicos de medicina, em uma unidade básica de saúde de Ananindeua/PA no ano de 2019. A atividade foi dividida em 3 fases: a primeira, com conteúdo expositivo e um questionário aplicado individualmente sobre os temas; a segunda, composta de uma dinâmica com questionário oral, cujas perguntas relacionadas ao conteúdo abordado foram criadas por um grupo e, em seguida, respondidas pelo grupo oposto. E a terceira fase foi constituída a partir de casos clínicos envolvendo a saúde do idoso, a fim de contextualizar as condutas e a investigação das principais comorbidades que acometem os idosos. Resultados e Discussão: após as 3 fases da atividade, notou-se que a grande maioria não sabia preencher corretamente a caderneta, mas tinham conhecimento da importância dela à prestação de saúde no idoso. Observou-se que após a atividade educacional, os ACS se mostraram mais confiantes sobre as temáticas abordadas e ratificaram a importância do uso de instrumentos simples, como a CSPI, para garantir o direito à saúde dessa população vulnerável. A atividade evidenciou a necessidade do cuidado à saúde do idoso, capacitou ACS e garantiu a transmissão de informação acerca da importância do uso da CSPI.


Keywords


assistência integral a saúde, política de saúde, serviços de saúde para idosos, idoso, saúde do idoso, atenção primária à saúde, educação em saúde.

References


Damaceno MJCF, Chirelli MQ. Implementação da Saúde do Idoso na Estratégia Saúde da Família: visão dos profissionais e gestores. Ciênc saúde coletiva. 2019;24(5): 1637-46. https://doi.org/10.1590/1413-81232018245.04342019.

Grespan SM, Gravina CF. Mudanças de estilo de vida na prevenção da doença ateroesclerótica. Tratado de geriatria e gerontologia. 4. ed. 2017: 1133.

Meireles AE, et al. Alterações neurológicas fisiológicas ao envelhecimento afetam o sistema mantenedor do equilíbrio. Revista Neurociências. 2010;18(1): 103-8.

Silva JLBV, et al. Práticas de promoção da saúde para pessoa idosa: revisão integrativa da literatura. Revista de Pesquisa. 2020. Rio de Janeiro-RJ. Brasil. Disponível em:. Acessado em: 22 de junho de 2020.

Brasil, Ministério da Saúde. Diretrizes para o cuidado das pessoas idosas no SUS: Proposta de Modelo de Atenção Integral. Brasília, DF, 2014. Disponível em:. Acessado em: 22 de junho de 2020.

Brasil, Ministério da Saúde. Caderneta de Saúde da Pessoa Idosa. Brasília, DF, 2014. Disponível em:. Acessado em: 22 de junho de 2020.

Placideli N, et al. Avaliação da atenção integral ao idoso em serviços de atenção primária. Rev Saúde Pública. 2020;54(6) 2020. https://doi.org/10.11606/s1518-8787.2020054001370.

Brasil, Ministério da Saúde. Manual para utilização da Caderneta de Saúde da Pessoa Idosa. Brasília, DF, 2018. Disponível em: . Acessado em: 22 de junho de 2020.

Brasil, Ministério da Saúde. Política Nacional do Idoso. Brasília, DF, 2010. Disponível em:. Acessado em 26 de junho de 2020.

Brasil, Ministério da Saúde. Política Nacional de Atenção Básica, DF, 2017. Disponível em:. Acessado em: 25 de junho de 2020.

Kandini G, Giorgi MDM, Ramos TJSB. A Importância da Política Nacional do Idoso No Contexto Universitario: Relato de Experiência. Anais do Encontro Mãos de Vida. 2019;5(1).

Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Envelhecimento e saúde da pessoa idosa – Caderno de Atenção Básica 19. Brasília, 2006. 192p.

Pinto AH, et al. Capacidade funcional para atividades da vida diária de idosos da Estratégia de Saúde da Família da zona rural. Ciência & Saúde Coletiva. 2016;21:3545-55.

Lemos N, Medeiros SL. Suporte Social ao Idoso Dependente. In: Tratado de Geriatria e Gerontologia. 3ª ed. Rio de Janeiro (RJ): Guanabara Koogan; 2011. p. 2002-4.

Costa EC, Nakatani AYK, Bachion MM. Capacidade de idosos da comunidade para desenvolver Atividades de Vida Diária e Atividades Instrumentais de Vida Diária. Acta paulista de enfermagem. 2006;19(1):43-8.

Dantas KMVP, et al. Caderneta de saúde da pessoa idosa no olhar de idosos atendidos na estratégia saúde da família. Dissertação (Mestrado em Enfermagem) - Universidade Federal da Paraíba, João Pessoa, 2015. 56f.

Schmidt A, et al. Preenchimento da Caderneta de Saúde da Pessoa Idosa: Relato de Experiência. SANARE. 2019;18(1):98-106. https://doi.org/10.36925/sanare.v18i1.1310




DOI: https://doi.org/10.34119/bjhrv3n5-157

Refbacks

  • There are currently no refbacks.