Percepção dos Escolares sobre a Prevenção das Enteroparasitoses / Perception of Schoolchildren about the Prevention of Enteroparasitoses

Isabella Tamires Batista da Silva, Alessandra Yasmin Feitosa Magalhães, Aline Alves dos Santos, Emanuelle Vilar Duarte dos Santos, Emília Natália Santana de Queiroz, Glauciany Amorim Santos Sobral, Kalyne Ketely Oliveira Melo, Thalia Gabriela Maria da Silva

Abstract


As parasitoses continuam sendo um grande problema de saúde pública no Brasil. São altas as taxas de morbidade e mortalidade em todo o mundo decorrente de infecções por parasitoses intestinais, inclusive em países em desenvolvimento. As infecções por parasitas podem acometer indivíduos em qualquer faixa etária sendo o maior índice em crianças em idade pré-escolar e escolar. Este trabalho tem como objetivo avaliar e ampliar o conhecimento sobre prevenção de parasitoses intestinais em crianças em idade escolar. Trata-se de um estudo de campo de natureza descritiva, transversal com abordagem quantitativa, realizada no município de Gravatá-PE, em uma Escola Municipal. O instrumento utilizado para pesquisa foi um questionário feito pela pesquisadora contendo assuntos relacionados sobre as medidas preventivas para controle de parasitoses intestinais em escolares. Participaram do estudo 35 escolares, sendo 15 (43%) do sexo feminino e 20 (57%) do sexo masculino na faixa etária de 10 a 14 anos. A prevalência de parasitoses intestinais ocorre de forma variada no mundo, podendo está associada as condições de higiene, moradia e a falta de saneamento básico. A educação em saúde é uma ferramenta importante e de grande importância para ser aplicada, pois tem o intuito de orientar a população acerca das infecções por parasitas bem como seus meios de transmissão.


Keywords


Doenças parasitárias, Crianças, Educação em saúde.

References


- ANDRADE, A.O. SÁ, A. R.N; BEZAGIO, R.C. Prevalência de Parasitoses intestinais em crianças de um centro municipal de Educação infantil de Campo Mourão, PR/Brasil. Uningá Review, Campo Mourão, v. 2, n. 10, p.36-41, 2017.

- AMARO, G.T. A abordagem educativa para prevenção de parasitoses intestinais. 2014. 30 f. TCC (Graduação) - Curso de Enfermagem, Universidade Federal do Mato Grosso do Sul, Campo Grande, 2014.

- BRASIL. Ministério da Saúde - Secretaria de Vigilância em Saúde. Plano nacional de vigilância e controle das enteroparasitoses. Brasília, 42 p., 2005.

- BRASIL. Ministério da Saúde. Doenças infecciosas e parasitárias: Guia de bolso. Secretaria de vigilância em saúde – 4ed. Ampl. Brasília. Ministério da saúde, 2004.

- BUSATO, M. A et al. Parasitoses intestinais: o que a comunidade sabe sobre este tema? Revista Brasileira de Medicina de Família e Comunidade, v. 10, n. 34, p. 1-6, 2015.

- CAVAGNOLLI, N. I. et al. Prevalência de enteroparasitoses e análise socioeconômica de escolares em flores da cunha-rs. Revista de Patologia Tropical, [s.l.], v. 44, n. 3, p.312-322, 13 out. 2015. Universidade Federal de Goias. http://dx.doi.org/10.5216/rpt.v44i3.38018.

- CASTRO, A.Z. et al. Levantamento das Parasitoses Intestinais em Escolares da Rede Pública na Cidade de Cachoeiro de Itapemirim-ES. Newslab, Espirito Santo, v. 64, n. 13, p.102-105, 2004.

- CRUZ A., 2003. Parasitas intestinais em crianças na idade escolar. Giardia Lamblia Ciclo de vida e sensibilidade e antiparasitários.Tese de doutoramento. Instituto de Ciências de Abel Salazar do Porto: 156 pág.

- DA SILVA, E.F. et al. Enteroparasitoses em crianças de áreas rurais do município de Coari. Revista de Patologia Tropical/Journal of Tropical Pathology, v. 38, n. 1, p. 35-44, 2009.

- DIAS, J.C.S et al. Prevalência de parasitoses intestinais e estado nutricional, segundo sexo e idade, entre a população indígena Caxixó, Minas Gerais, Brasil. Revista Brasileira de Estudos de População, v. 30, n. 2, p. 603-608, 2013.

- MELO, M. C. R et al. Parasitoses Intestinais. Revista Med Minas Gerais, 2004.

- MIRANDA, S.V.C. de. Atuação dos profissionais da Estratégia Saúde da família (ESF) frente as principais parasitoses intestinais. 2013. 66 f. TCC (Graduação) - Curso de Enfermagem, Universidade Federal de Minas Gerais, Minas Gerais, 2013.

- REUTER, C. P et al. Frequência de parasitoses intestinais: um estudo com crianças de uma creche de Santa Cruz do Sul-RS. Cinergis, v. 16, n. 2, 2015.

- RODRIGUES, J. V; CARNEIRO, W. S; A. A. C R. Infecções por helmintos gastrointestinais: perfil de crianças em escolas públicas e privadas do Sertão Paraibano. News Lab, v. 186, p. 128-36, 2013.

- SILVA, A. et al. Epidemiologia e prevenção de parasitoses intestinais em crianças das creches municipais de Itapuranga–Go. Revista Eletrônica Faculdade Montes Belos, v. 8, n. 2, 2015.

- SILVA, L.M. Uma abordagem sobre as principais parasitoses intestinais mais prevalentes na infância e suas causas. 2017.

- SOUZA, N. R et al. Caracterização dos pacientes com insuficiência renal aguda de uma unidade de terapia intensiva submetidos à hemodiálise. Veredas, Pernambuco, v. 2, n. 10, p.51-64, 2017.

- LIMA,A.S.S. Prevalência de parasitoses intestinais em escolares. 2014. 30 f. TCC (Graduação) - Curso de Enfermagem, Universidade Federal de Minas Gerais, Governador Valadares, 2014.

- LEITE, E.D.N; LIMA, J.M de; SOARES, P. N. R. A de. Saúde na escola: Parasitoses intestinais em adolescentes e medidas de biosegurança. 2017. 43 f. TCC (Graduação) - Curso de Enfermagem, Faculdade Integrada de Pernambuco, Recife, 2017.

- TORRES,A.G. Abordagem educativa para prevenção de parasitoses intestinais. 2016. 30 f. TCC (Graduação) - Curso de Enfermagem, Universidade Federal do Mato Grosso do Sul, Campo Grande, 2014.




DOI: https://doi.org/10.34119/bjhrv3n5-145

Refbacks

  • There are currently no refbacks.