Correlação entre o nível de atividade física e a existência de comorbidades em policiais militares: Atividade física durante a pandemia do COVID-19 / Correlation between the level of physical activity and the existence of comorbities in military policies: Physical activity during the COVID-19 pandemic

Hêule Nilton Santos de Oliveira, Diovana de Sena Alberto, Ketlen de Sena Silva, Marcela Fabiani Silva Dias, Wenderson do Nascimento Miranda, Anneli Mercedes Celis de Cardenas, Rosemary Ferreira de Andrade, Alvaro Adolfo Duarte Alberto

Abstract


Introdução: O ano de 2020 foi a explosão da pandemia do COVID-19 no mundo, os Estados Brasileiros adotaram uma série de medidas de enfrentamento. As Polícias Militares (PMs) têm a missão de assegurar a ordem pública, mas sob quais condições?  Objetivo: Revisão sistêmica da literatura, afim de compreender o papel das práticas de Atividade Física (AF) na mitigação aos sintomas mais graves do COVID-19, no segmento policial militar levando em consideração o nível de AF dos mesmos. Método: Trata-se de um estudo retrospectivo, de revisão da literatura. Resultados: O estudo evidenciou conforme os trabalhos selecionados que, o Nível de Atividade Física dos Policiais Militares, sofre influência de causas multifatoriais, apresentando percentuais expressivos de policiais que não possuem um nível satisfatório de Atividade Física. Conclui-se então que, as Polícias Militares não têm conseguido manter seu efetivo ativo fisicamente em sua totalidade. Conclusão: É indispensável que as Polícias revejam seus programas de atividade física, bem como manter seus militares da ativa em boas condições de saúde seja em tempos de normalidade ou em tempos de pandemia. 

Keywords


Polícia Militar, COVID-19, Atividade Física, SARS-C0V-2

References


BERNARDO, Valdeni Manoel et al. Atividade física de policiais: uma revisão sistemática. Revista Cubana de Medicina Militar, v. 45, n. 2, p. 206-214, 2016.

BERNARDO, Valdeni Manoel et al. Atividade física e qualidade de sono em policiais militares. Revista Brasileira de Ciências do Esporte, v. 40, n. 2, p. 131-137, 2018.

DE JESUS, Gilmar Mercês; MOTA, Nayara Melo; DE JESUS, Éric Fernando Almeida. Risco cardiovascular em policiais militares de uma cidade de grande porte do Nordeste do Brasil. Revista Brasileira de Ciências do Esporte, v. 36, n. 3, p. 692-699, 2014.

FIUZA-LUCES, Carmen et al. O exercício é o verdadeiro polypill. Fisiologia , 2013.

JÚNIOR, Mariano; CAMPOS, David; DE PAULA, Márcio Antônio. O risco do sedentarismo ao efetivo da 22° Companhia independente da Polícia Militar do Estado de Goiás. Revista Brasileira de Estudos de Segurança Pública, v. 11, n. 1, 2018.

LIMA, Arnaldo Diniz et al. A associação do índice de massa corpórea com a relação cintura/quadril no comportamento da saúde de policiais militares do estado do Ceará. RBPFEX-Revista Brasileira de Prescrição e Fisiologia do Exercício, v. 10, n. 59, p. 330-339, 2016.

LEE, Duck-chul et al. Efeitos a longo prazo de alterações na aptidão cardiorrespiratória e no índice de massa corporal na mortalidade por todas as causas e doenças cardiovasculares em homens: o Estudo Longitudinal do Centro de Aeróbica. Circulação, v. 124, n. 23, p. 2483-2490, 2011.

NIEMAN, David C.; WENTZ, Laurel M. The compelling link between physical activity and the body's defense system. Journal of sport and health science, v. 8, n. 3, p. 201-217, 2019.

Organização Pan-Americana da Saúde. Folha Informativa COVID-19 Brasília (DF): OPAS, 2020 [acesso em 23 de jul. De 2020]. Disponível em: https://www.paho.org/pt/covid19.

PEDERSEN, Bente Klarlund; SALTIN, Bengt. Exercise as medicine–evidence for prescribing exercise as therapy in 26 different chronic diseases. Scandinavian journal of medicine & science in sports, v. 25, p. 1-72, 2015.

World Health Organization. Taxa de contaminação no Brasil está entre as maiores no mundo. Brasília (DF): WHO, 2020 [acesso em 23 de jul. De 2020]. Disponível em: https://covid19.who.int/.




DOI: https://doi.org/10.34119/bjhrv3n5-144

Refbacks

  • There are currently no refbacks.