Desempenho de acadêmicos do Unipam na avaliação nacional seriada dos estudantes de medicina / Unipam academic performance in serial national assessment of medicine students

Valeska Balen Ronsoni, Monique Martins, Gianne Palácio Teixeira Eller, Thainá Pereira do Nascimento, Priscila Capelari Orsolin, Franco Joel de Oliveira Santana, Carolina Carmelina Cunha, Giovanna Maria Gontijo

Abstract


Introdução: O objetivo do presente estudo é analisar o desempenho dos acadêmicos do Centro Universitário de Patos de minas (UNIPAM) na prova da Avaliação Nacional Seriada dos Etudantes de Medicina (ANASEM) aplicada aos discentes do segundo ano do curso em 2016. Método: foi consultado o site da ANASEM, onde foram obtidos dados referentes ao desempenho dos alunos do UNIPAM e, posteriormente, comparados à média dos resultados obtidos pelos alunos de Medicina no Brasil, Sudeste e Minas Gerais. Para análise dos resultados foi realizada uma revisão bibliográfica sobre o tema “educação médica” nas bases de dados Scielo, Lilacs, Pubmed e Google Acadêmico, além da consulta ao Projeto Pedagógico do curso de Medicina da referida instituição. Resultados: Os alunos do UNIPAM obtiveram melhor desempenho que a média nacional, regional e estadual nas questões objetivas. Nestas, a classificação dos estudantes ficou nos níveis adequado e avançado; nenhum estudante da instituição classificou-se no nível básico. Nas questões discursivas, em apenas um item de seis, o escore dos alunos do XXX foi inferior à média. Conclusões: O curso oferecido pelo UNIPAM apesar de relativamente novo (8 anos em 2016), busca se adequar às mais novas metodologias de ensino e, devido a isso, obteve resultados superiores às médias das universidades particulares e, de maneira geral, alcançou um nível de proficiência melhor que o nacional regional e estadual.

 


Keywords


Avaliação Educacional, Desempenho Acadêmico, Educação Médica, Metodologias Ativas.

References


ALMEIDA, E. C. S.; MUSSI, A. de A. O PBL no curso de medicina da UEFS e as atuais políticas públicas orientadas para esse nível de ensino. In: Seminário Internacional de Educação Superior 2014, Universidade de Sorocaba- UNISO.

ANDERSON, M. I. P.; DEMARZO, M. M. P.; RODRIGUES, R. D. A Medicina de Família e

Comunidade, a Atenção Primária à Saúde e o Ensino de Graduação: recomendações e potencialidades. Revista Brasileira de Medicina de Família e Comunidade, [S.l.], v.3, n.11, p.157-172, nov. 2007.

BORGES, M. C. et al. Aprendizado Baseado em Problemas. In: SIMPÓSIO: Tópicos fundamentais para a formação e o desenvolvimento docente para professores dos cursos da área da saúde. Cap. VIII. Ribeirão Preto: Revista FMRP, 2014.

BRASIL. Ministério da Educação. Conselho Nacional de Educação. Câmara de Educação Superior. Resolução CNE/CES nº 4, de 7 de novembro de 2001. Institui Diretrizes Curriculares Nacionais do Curso de Graduação em Medicina. Diário Oficial União, 2001. Disponível em: . Acesso em: 21 Mai 2018.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Departamento de Vigilância Epidemiológica. Diretrizes nacionais para prevenção e controle de epidemias de dengue. Normas e Manuais técnicos. Brasília : Ministério da Saúde, 2009.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Coordenação-Geral de Atenção Domiciliar. v.2. Caderno de Atenção Domiciliar. Brasília: Ministério da Saúde, 2012.

BRASIL. Ministério da Educação. Conselho Nacional de Educação. Câmara de Educação Superior. Resolução Nº. 3 de 20 de junho de 2014. Institui diretrizes curriculares nacionais do curso de graduação em Medicina e dá outras providências. Diário Oficial da União, Brasília, 23 jun. 2014. Seção 1, p. 8-11.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Estratégias para o cuidado da pessoa com doença crônica: o cuidado da pessoa tabagista. Caderno da Atenção Básica, n.40. Brasília: Ministério da Saúde, 2015.

COUTINHO, E. S. F.; CUNHA, G. M. da. Conceitos básicos de epidemiologia e estatística para a leitura de ensaios clínicos controlados. Rev. Bras. Psiquiatr., São Paulo, v.27, n.2, p. 146-151, Jun 2005.

FARIAS, P. A. M. de; MARTIN, A. L. de A. R.; CRISTO, C. S. Aprendizagem Ativa na Educação em Saúde: Percurso Histórico e Aplicações. Rev. Bras. Educ. Med., Rio de Janeiro, v.39, n. 1, p. 143-150, mar.2015.

FRANCO, C. A. G. dos S.; CUBAS, M. R.; FRANCO, R. S. Currículo de medicina e as competências propostas pelas diretrizes curriculares. Rev. Bras. Educ. Med., Rio de Janeiro, v.38, n. 2, p. 221-230, jun. 2014.

GOMES, A. P; REGO, S. Transformação da educação médica: é possível formar um novo médico a partir de mudanças no método de ensino-aprendizagem?. Rev. Bras. Educ. Med., Rio de Janeiro, v.35, n.4, p.557-566, dez. 2011.

INEP: Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira. Ministério da Educação. ANASEM 1016- Relatório Síntese dos Resultados. Brasília: Ministério da Educação, 2016. Disponível em < http://portal.inep.gov.br/anasem>. Acesso em: 18 Mai.

NOGUEIRA, M. I. As mudanças na educação médica brasileira em perspectiva: reflexões sobre a emergência de um novo estilo de pensamento. Rev. Bras. Educ. Med., Rio de Janeiro , v. 33, n. 2, p. 262-270, jun. 2009.

PEIXOTO, J. M.; RIBEIRO, M. M. F.; AMARAL, C. F. S. Atitude do estudante de medicina a respeito da relação médico-paciente x modelo pedagógico. Rev. Bras. Educ. Med., Rio de Janeiro, v.35, n.2, p. 229-236, jun. 2011.

PÍCOLI, R. P. et al. Competências Propostas no Currículo de Medicina: Percepção do Egresso. Rev. Bras. Educ. Med., Rio de Janeiro, v. 41, n. 3, p. 364-371, Set. 2017.

SCHEFFER, M. et al. Demografia Médica no Brasil 2018. São Paulo: FMUSP/CFM, Cremesp, 2018.

UNIPAM. Projeto Pedagógico do Curso de Medicina. Patos de Minas, 2017.Disponível em

. Acesso em 21 de out de 2018.




DOI: https://doi.org/10.34119/bjhrv3n5-117

Refbacks

  • There are currently no refbacks.