Eficácia do tratamento de Neurofeedback em crianças com TDAH: uma revisão literária/Effectiveness of Neurofeedback treatment in children with TDAH: a literary review

Sarah Mezadri Pinheiro, Caroline Lopes Gratival, Julia Altoé Peterle, Rayssa Souza Teixeira, Yaritza Suhett Caiado, Guilherme Vassalo Morais, Loise Cristina Passos Drumond, Marcela Souza Lima Paulo

Abstract


Introdução: O Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade (TDAH) é uma psicopatologia de causas genéticas considerada uma condição crônica que se inicia na infância e persiste na vida adulta. A criança portadora apresenta sintomas constantes geralmente conectados a problemas de aprendizagem e comunicação, tendo níveis diferentes de sensibilidades e de respostas aos variados tipos de tratamentos que podem ser utilizados. O Neurofeedback (NF), tratamento que visa melhorar a auto-regulação da atividade cerebral usando uma interface cérebro-computador, tornou-se popular em estudos e no manejo de pacientes. Objetivo: Realizar uma revisão da literatura acerca da eficácia do NF como tratamento alternativo em crianças entre seis e doze anos de idade portadoras de Transtorno do Déficit de Atenção e Hiperatividade (TDAH). Métodos: Para conduzir a redação desse artigo de revisão, foram usados os descritores "Attention Deficit Disorder with Hyperactivity” AND Neurofeedback AND Child, definidos pelo Descritores em Ciências da Saúde (DeCS) e Medical Subject Headings (MESH). A princípio, foram encontrados 90 artigos com os descritores selecionados. Após aplicados os critérios de inclusão e exclusão e de retiradas as duplicatas, foram escolhidos 10 artigos para estudo. Ao final, houve inclusão de 1, totalizando 11 artigos. Resultados:  Uma vez que o TDAH é tipificado pelo autocontrole deficiente e o NF tem como alvo o aprimoramento desta característica, o transtorno é o distúrbio psiquiátrico em que ele foi mais aplicado. Ainda que não haja riscos conhecidos no uso do NF, existem critérios para a exclusão de seu uso, como quociente de inteligência infantil abaixo da média, diagnóstico de esquizofrenia e de depressão, pois podem não surtir o efeito esperado. A aprendizagem do autocontrole pode ser melhorada com variáveis cognitivas-atribucionais, como a motivação e o bom humor, uma vez que facilitam a ativação pré-frontal e, desta forma, o controle cognitivo, auxiliando na redução de sintomas das crianças com o transtorno. Conclusão: O NF é completamente natural, ou seja, não medicamentoso, além de não-invasivo, sendo um tratamento alternativo sem riscos para o paciente. No entanto, ainda é criticado por psiquiatras e psicólogos por não levar em conta fatores estressantes externos e ambientais,  além de não apresentar o acompanhamento considerado necessário. Apesar disso, por consistir em um procedimento que auxilia na autorregulação a nível neurofisiológico e cognitivo-comportamental, tem como consequências positivas o controle de impulsos e a regulação da atenção. Apresenta, ainda, melhoria nas atividades cognitivas de crianças de seis a doze anos, que comumente estão em fase escolar ativa, recebendo muitas informações a serem processadas diariamente. O tratamento permite, com o tempo, que o indivíduo seja capaz de sustentar sua atenção de forma voluntária e consistente.

Keywords


Transtorno de déficit de atenção e hiperatividade, Neurofeedback. Criança.

References


Effects of neurofeedback versus methylphenidate for the treatment of attention-deficit/hyperactivity disorder protocol for a systematic review and meta-analysis of head-to-head trials. PMID: 30278582 PMCID: PMC6181550 DOI: 10.1097/MD.0000000000012623

The pharmacological and non-pharmacological treatment of attention deficit hyperactivity disorder in children and adolescents: A systematic review with network meta-analyses of randomised trials. PMID: 28700715 PMCID: PMC5507500 DOI: 10.1371/journal.pone.0180355

Behavioral Effects of Neurofeedback Compared to Stimulants and Physical Activity in Attention-Deficit/Hyperactivity Disorder: A Randomized Controlled Trial. ClinicalTrials.gov identifier: NCT01363544

Van Doren J, Arns M, Heinrich H, Vollebregt MA, Strehl U, K Loo S. Sustained effects of neurofeedback in ADHD: a systematic review and meta-analysis. Eur Child Adolesc Psychiatry. 2019;28(3):293-305. doi:10.1007/s00787-018-1121-4

NIRS-based neurofeedback training in a virtual reality classroom for children with attention-deficit/hyperactivity disorder: study protocol for a randomized controlled trial. PMID: 28118856 PMCID: PMC5259870 DOI: 10.1186/s13063-016-1769-3

ESCAschool study: trial protocol of an adaptive treatment approach for school-age children with ADHD including two randomised trials. PMID: 28738794 PMCID: PMC5525245 DOI: 10.1186/s12888-017-1433-9

Real-time fMRI neurofeedback in adolescents with attention deficit hyperactivity disorder. PMID: 28342214 PMCID: PMC5434828 DOI: 10.1002/hbm.23584

Bioulac S, Purper-Ouakil D, Ros T, et al. Personalized at-home neurofeedback compared with long-acting methylphenidate in an european non-inferiority randomized trial in children with ADHD. BMC Psychiatry. 2019;19(1):237. Published 2019 Aug 1. doi:10.1186/s12888-019-2218-0

Learning curves of theta/beta neurofeedback in children with ADHD. PMID: 27866283 PMCID: PMC5394134 DOI: 10.1007/s00787-016-0920-8

The neuronal mechanisms underlying improvement of impulsivity in ADHD by theta/beta neurofeedback. PMID: 27514985 PMCID: PMC4981886 DOI: 10.1038/srep31178

Cognitive and neurophysiological markers of ADHD persistence and remission. PMID: 26250744 PMCID: PMC4887724 DOI: 10.1192/bjp.bp.114.145185




DOI: https://doi.org/10.34119/bjhrv3n5-097

Refbacks

  • There are currently no refbacks.